Com o aumento do número de aeronaves não tripuladas usadas em operações militares, surge um novo desafio quando o assunto é pousar esses veículos em segurança. Normalmente, a tripulação de porta-aviões e bases militares recorre a uma série de gestos para indicar o ponto para onde o avião deve se locomover, algo que se mostra inútil com sistemas robóticos — ao menos até o momento.

Pesquisadores do MIT estão trabalhando em um novo sistema de reconhecimento gestual que vai permitir que veículos autônomos reconheçam instruções da mesma maneira que um piloto humano. Os principais problemas enfrentados até o momento envolvem a detecção da posição do corpo dos guias e do sinal específico que eles estão realizando.

Sistema futurista

O software e o hardware, desenvolvidos pelos pesquisadores, lembram muito o Kinect da Microsoft, embora o novo sistema se prove muito mais eficiente. Segundo o time responsável pelo projeto, os testes realizados até agora conseguiram 76% de precisão na hora de detectar 24 movimentos diferentes — tarefa que deve se tornar mais difícil em situações reais, devido à grande movimentação que ocorre normalmente em locais de pouso convencionais.

Embora os resultados de laboratório sejam animadores, ainda há um caminho longo a percorrer antes que a tecnologia possa ser empregada em larga escala — afinal, o menor erro envolvendo aeronaves pode custar várias vidas humanas e milhões de dólares em prejuízo. O MIT reconhece que ainda existem diversas formas de aprimorar a novidade, e que esse processo deve acontecer de forma natural conforme o sistema se desenvolve e tem sua precisão aumentada.