A empresa estadunidense de aviação Boeing anunciou nesta semana um avião que diminui o uso de combustível drasticamente. Após longos anos de promessas, atrasos e bilhões de dólares gastos, a aeronave foi batizada de 787 Dreamline e tem a missão de consumir até 20% menos combustível do que um avião similar em tamanho, carregando até 264 passageiros.
A economia se deve ao material usado em sua fabricação, de até 50% de materiais compostos, contra 25% de um concorrente similar. O 787 possui novidades tecnológicas bem peculiares, como janelas com escurecimento eletrônico. Por meio delas, os passageiros podem alterar a luminosidade em até cinco níveis.
Além disso, ele conta com banheiros bem mais espaçosos e cavidades na lateral da aeronave que direcionam o ar fresco para as cabines, controlando a temperatura do interior. 
Embora tenha sido divulgado com pompa, o avião ainda está em fase de testes e os japoneses devem ser os primeiros a usá-lo, a partir de setembro, em voos de Tóquio para Hong Kong por meio da All Nippon Airways.

(Fonte da imagem: Boeing/Divulgação)

A empresa estadunidense de aviação Boeing anunciou nesta semana um avião que diminui o uso de combustível drasticamente. Após longos anos de promessas, atrasos e bilhões de dólares gastos, a nova aeronave foi batizada de 787 Dreamline e tem a missão de consumir até 20% menos combustível do que um avião similar em tamanho, carregando até 264 passageiros.

A economia se deve ao material usado em sua fabricação, de até 50% de materiais compostos, contra 25% de um concorrente similar. O 787 possui novidades tecnológicas bem peculiares, como janelas com escurecimento eletrônico. Por meio delas, os passageiros podem alterar a luminosidade em até cinco níveis.

Além disso, ele conta com banheiros bem mais espaçosos e cavidades na lateral da aeronave que direcionam o ar fresco para as cabines, controlando a temperatura do interior. 

Embora tenha sido divulgado com pompa, o avião ainda está em fase de testes e os japoneses devem ser os primeiros a usá-lo, a partir de setembro, em voos de Tóquio para Hong Kong por meio da All Nippon Airways.