Todo voo, seja para turismo ou para fins comerciais, tem um mesmo padrão: desligar todos os aparelhos eletrônicos durante a decolagem e pouso. Por todo o trajeto, só é possível utilizar gadgets no modo avião, sem nenhum tipo de conexão, ou seja, nada de internet. Por conta disso, há o WiFi oferecido por preços exorbitantes dentro da própria aeronave. Porém, ele é ruim. Bem ruim.

Contudo, isso pode estar prestes a mudar em 2018. A Gogo, uma das companhias responsáveis pelo serviço de redes móveis nas aeronaves, vai investir em uma nova forma para transmitir sinal de internet para passageiros. O novo modelo utilizará o sinal LTE, que poderá aumentar bastante a velocidade, diminuir o preço do serviço e atiçar a concorrência a investir em novidades também.

WiFi melhor dentro do avião é algo que já é esperado há muito tempo

Sai torres de sinal, vem LTE

A tecnologia atual (e defasada) se baseia em torres de sinal que transmitem a conexão ao usuário. Contudo, por conta da troca de torres e a intensidade das ondas de transmissão, a internet nunca chega perto do limite de 10 Mbps. Além disso, o alto investimento torna a implementação cara.

Por conta disso, o LTE, que não é uma novidade no mundo, mas pode ser uma ótima notícia para WiFi de aviões, vai aumentar o limite de velocidade para até 100 Mbps, além de baratear e oferecer sinal em locais antes inacessíveis, como alto mar. Porém, como tudo que é bom tem algo negativo, não veremos isso em prática até 2018.