Conforme divulgado no último fim de semana, nesta segunda-feira (24) a operadora norte-americana AT&T divulgou que chegou a um acordo para comprar a Time Warner. A  transação, que envolveu nada menos que US$ 85,4 bilhões (R$ 267 bilhões) prevê o pagamento de US$ 107,50 por ação em uma negociação que envolve metade dos pagamentos em dinheiro e metade em ações da operadora.

Essa marca a terceira vez em tempos recentes que uma gigante do campo das operadoras de telecomunicações adquire um conglomerado de mídia. Anterioremente, a Comcast havia anunciado a compra da NBCUniversal por US$ 30 bilhões, enquanto a Verizon Communications adquiriu recentemente o Huffington Post e o Yahoo!.

A Time Warner reúne diversas produtoras de conteúdo de peso

Com o investimento, a AT&T cria um conglomerado capaz de criar conteúdos variados e distribui-los para milhões de pessoas através de smartphones, conexões banda larga fixas e televisão por satélite. Entre as produtoras sob o guarda-chuva da Time Warner estão nomes de peso como CNN, HBO e Cartoon Network.

Combinação perfeita

Acreditamos que a Time Warner é o líder claro em produção de conteúdo Premium

“Quando Jeff e eu começos a falar, se tornou claro para nós rapidamente que compartilhávamos uma visão similar”, afirma Randall L. Stephenson, CEO da AT&T, se referindo a Jeffrey Bewkes, CEO da Time Warner. “Acreditamos que a Time Warner é o líder claro em produção de conteúdo Premium”.

Vale observar que a própria Time Warner já é fruto da união de uma empresa de mídia com uma companhia de internet: no ápice da chamada “Bolha da Internet”, ela foi comprada pela AOL. Na época, a combinação — que prometia unir produção de conteúdo com sua distribuição pela internet — se mostrou insustentável, o que fez com que os dois negócios se separassem algum tempo depois.

Cupons de desconto TecMundo: