Vídeos de unboxing fazem um sucesso cada vez maior no YouTube. A ideia de compartilhar a experiência de abrir a caixa de um novo produto pode ser bastante divertida, já que de certa forma é como se aquele aparelho fosse um pouquinho seu. E o que dizer então da possibilidade de acompanhar o processo de produção de um celular, desde o início?

Com exclusividade, o TecMundo teve a oportunidade de visitar uma das fábricas da Foxconn no Brasil, mais precisamente as instalações localizadas na cidade de Jundiaí, no interior de São Paulo. É lá que estão sendo produzidos no Brasil os novos aparelhos da linha Zenfone 3 – os modelos ZE552KL e ZE520KL do Zenfone 3 e as versões ZC553KL e ZC520TL do Zenfone 3 Max.

O início da linha de produção

A linha de produção de um celular começa com a placa limpa. Note que ela é maior do que um celular. Isso acontece porque, na verdade, vemos quatro placas de smartphone em uma peça única. O primeiro passo é o recebimento de alguns pontos de solda, procedimento que acontece em uma máquina cujo processo é parecido com o de estampar uma camiseta.

Depois da aplicação, tudo é checado para garantir que o processo tenha sido feito corretamente. Aliás, conferir itens é uma das coisas que você mais vai ver em uma linha de produção. O trabalho é bastante minucioso e, nessa fase, ele ainda é praticamente 100% automatizado.

Em cada passagem na máquina são colocadas até 136 componentes

Seguindo em frente, a placa, já com alguns pontos de solda, começa a receber os primeiros componentes – e alguns deles são extremamente pequenos, menores até mesmo do que a cabeça de um alfinete. Uma fita vai sendo desenrolada e à medida que ela é puxada, novas peças vão sendo colocadas.

Ao final dessa fase, há um novo check-list para ver se tudo foi colocado de forma correta. Caso algum problema seja constatado, a peça volta para a linha de produção. Em seguida, a placa ganha alguns componentes maiores, como o processador e a memória.

Solda e início do processo manual

Até então, os componentes são apenas colocados na placa. Para que fiquem firmes, é preciso soldá-los e é justamente isso que acontece quando eles passam por um forno de 12 fases. Ele esquenta a peça até que a temperatura chegue aos 265 graus Celsius e, antes de sair, ela é resfriada com nitrogênio.

80% dos trabalhadores da linha de produção são mulheres. O motivo? Elas são mais atenciosas

Ao sair da máquina, a placa ganha uma etiqueta, o que faz com que ela passe a existir como um celular, digamos assim. Aquela peça única agora é divida em quatro partes. O excesso de pó do corte é retirado e cada placa de celular, agora independente, segue na linha de produção para o início do processo manual de montagem.

Antes disso, mais testes são realizados para saber se tudo aquilo que foi colocado até então está realmente funcionando. Nada segue adiante se um mínimo detalhe estiver fora do lugar. Nos primeiros passos da montagem manual, o aparelho recebe a tela LCD, botões laterais e outros componentes. Alguns deles são tão delicados que é preciso usar uma pinça para colocá-los na placa. A preocupação com o excesso de poeira também é recorrente, tanto é que certos funcionários precisam trabalhar em ambientes vedados para evitar que o produto receba algum tipo de contaminação.

Depois que tudo foi posicionado de maneira correta, é hora de colocar a bateria. O Zenfone 3 tem a tampa traseira fechada, inacessível para o usuário. Por conta disso, ela é prensada e lacrada no corpo do aparelho. Esse processo ocorre depois que os últimos componentes são adiconados. Agora, ao menos em termos de montagem, dá para dizer que o Zenfone 3 está pronto.

Testes e mais testes

Agora que o celular está pronto, é hora de realizar todos os testes possíveis. Absolutamente tudo do aparelho é conferido para que não exista nenhum erro. Caso algo não funcione como o esperado, o celular volta para a linha de produção para que seja refeito. Há avaliações de estresse dos componentes de áudio e vídeo, calibragem da bússola e do giroscópio, além de verificações na câmera e na estabilização óptica de imagem. O sinal de WiFi, o 3G e o 4G também são checados em uma máquina especial.

Colocando na caixa

Agora que está tudo pronto, é hora de colocar o Zenfone 3 na caixa. Antes disso, uma última conferência verifica se o selo da Anatel foi corretamente aplicado na traseira do produto. Se ele estiver torto ou minimamente danificado, será preciso substituir. É hora de incluir o cabo USB, o manual de instruções, o carregador e os fones de ouvido.

A linha de produção de um celular conta com mais de 100 pessoas envolvidas

Depois de embalada, a caixa é plastificada, para que tudo fique vedado. O celular está pronto, mas ele não viaja sozinho: junto ao Zenfone 3 são armazenados 10 aparelhos. Essa caixa é acondicionada em um pallet que recebe outras dezenas de caixas. E é dessa forma que os celulares são transportados para as distribuidoras e para as lojas.

Por fim, das lojas, o celular vai parar nas mãos dos consumidores. O processo de montagem de um aparelho envolve mais de 100 pessoas e, quanto mais top de linha for o produto, mais complexa é a sua produção.

Cupons de desconto TecMundo: