Royal Society — ou Real Sociedade, uma instituição de Londres para o melhoramento do conhecimento científico — foi fundada em 1660 e, em todos esses anos de história, só agora decidiu organizar seu primeiro concurso fotográfico. A premiação foi lançada para marcar os 350 anos do Philosophical Transactions, o primeiro periódico científico do mundo, e teve como objetivo celebrar o poder da fotografia para comunicar a Ciência.

O time de jurados — composto por editores, fotógrafos e cientistas — selecionaram dez imagens entre as mais de mil inscritas, e a seguir você pode conferir quais foram as fotografias vencedoras do concurso:

Vencedor da categoria “Comportamento”

Por: Claudia Pogoreutz, Alemanha.

A imagem acima foi clicada em Kuramathi, nas Maldivas, e mostra um cardume de peixes tropicais nadando em sincronia enquanto guardam distância de um jovem tubarão-de-pontas-negras-do-recife (Carcharhinus melanopterus).

Vencedor da categoria “Biologia Evolutiva”

Por: Ulrike Bauer, Reino Unido.

O retrato que você acabou de ver foi registrado no Jardim Botânico de Bonn, na Alemanha, e revela detalhes da superfície hidrofóbica das folhas de uma planta aquática (Salvinia molesta). Como você viu, as folhas possuem espécies de pelos que repelem a água e servem para mantê-las secas mesmo quando as plantas permanecem submersas durante várias semanas.

Finalista da categoria “Ecologia e Ciências Ambientais”

Por: Martha M. Robbins, Alemanha.

A incrível imagem acima, capturada em Ruanda, na África, foi uma das finalistas do concurso e mostra o poder e a força dos gorilas, um dos nossos “parentes” mais próximos. No entanto, a foto também revela a vulnerabilidade desses animais devido à pressão que nós exercemos sobre o seu habitat — note a ocupação humana em segundo plano.

Escolha dos editores

Por: Evan D'Alessandro, Estados Unidos.

Conhecido popularmente pelo nome de coral-cérebro, o organismo da fotografia pertence à espécie Colpophyllia natans, um tipo de coral encontrado principalmente no mar do Caribe e no Golfo do México. Aparentemente, apesar das diferentes cores e formas que podemos ver, o espécime acima representa uma única colônia.

Menção honrosa

Por: Davide Gaglio, África do Sul.

O momento de reflexão do babuíno foi flagrado na Reserva Natural Cape Point, na África do Sul.

Menção honrosa

Por: Steve Gschmeissner, Reino Unido.

Pode parecer mentira, mas a criatura com aspecto alienígena da imagem acima é um piolho de peixe, um pequeno crustáceo parasita da família Argulidae que pode chegar a medir até 30 milímetros de comprimento. O da fotografia é do gênero Argulus — observado através de um microscópio eletrônico de varredura.

Finalista na categoria “Biologia Evolutiva”

Por: Fabio Pupin, Itália.

Se você olhar atentamente, a fotografia que você acabou de ver conta com uma cobra “camuflada” no meio da areia. Da espécie Bitis peringueyi, trata-se de uma víbora venenosa endêmica do Deserto do Namibe, que se estende do sudeste de Angola até a costa sul da Namíbia.

Finalista na categoria “Comportamento”

Por: Luca Antonio Marino, Itália.

O bichinho esperto do retrato — um macaco-prego (Sapajus libidinosus) — foi fotografado aqui no Brasil, mais especificamente no Piauí. Na imagem, o animal pode ser visto tentando abrir uma semente de palmeira com uma pedra.

Menção honrosa

Por: Jose Juan Hernandez Martinez, Espanha.

A imagem acima registra um momento bastante curioso: flagrada nas Ilhas Canárias, na Espanha, a fotografia mostra um macho da espécie Chlamydotis undulata em um tipo de “exibição” — eles ficam mostrando sua plumagem para as fêmeas — que faz parte do ritual de acasalamento dessas aves.

Vencedor geral

Por: Bert Willaert, Bélgica.

Eleita como vencedora geral do concurso, a imagem acima — inscrita na categoria “Ecologia e Ciências Ambientais” — mostra uma porção de girinos de sapo-comum (Bufo bufo) vistos de baixo para cima.

Você já participou — e foi o vencedor — de algum concurso? Comente no Fórum do Mega Curioso

Via Mega Curioso.

Cupons de desconto TecMundo: