(Fonte da imagem: Reprodução/DVICE)
Desde a década de 30, é difícil encontrar pessoas que nunca tenham jogado ou mesmo ouvido falar do pinball. A fama desse estilo de jogo eletromecânico, em que duas ou mais palhetas devem ser manipuladas para evitar que as bolas de metal caiam em um espaço vazio, chegou até mesmo ao Windows — inicialmente no 95, sendo incluído nas versões do sistema operacional da Microsoft até o XP.

Mas e se, além de diversão, o pinball também pudesse ser uma forma de criar arte? O designer gráfico holandês Sam van Doorn respondeu essa questão em seu trabalho de graduação: ele transformou uma máquina de pinball para que ela usasse tinta litográfica na produção de impressões.

(Fonte da imagem: Reprodução/The Verge)
O nome da criação de van Doorn chama-se STYN e faz um estilo de arte moderna em um cartaz a partir de suas palhetas e uma bola. Futuramente, a máquina será utilizada em diferentes festas para que as pessoas possam criar as suas próprias obras. No entanto, o criador da engenhoca não chama as pinturas resultantes de “arte”, mas as classifica como peças de design que são o produto da fusão "diversão + jogo".

Sam van Doorn também disponibiliza as peças produzidas na STYN em seu site pessoal pelo valor de 50 euros.

Cupons de desconto TecMundo: