Figuras conectadas e feitas a partir de uma folha do tradicional papel “washi” (Fonte da imagem: Reprodução/Oddity Central)
O Japão possui como uma de suas principais tradições a técnica secular de dobrar papel e criar figuras incríveis e cheias de detalhes — o origami. Apesar de ser considerada minuciosa e difícil por muitos, tal arte ainda possui um nível mais avançado para aqueles que gostam de um desafio: o renzuru. Neste tipo de técnica, a dificuldade está em criar diversas figuras conectadas a partir de uma única folha de papel.

A arte centenária do renzuru surgiu entre os séculos 16 e 18 e exige aprendizes bastante dedicados, pois dominar as técnicas não é um processo muito simples. Basicamente, para que uma larga folha do tradicional papel “washi” seja transformada em uma incrível obra, é preciso realizar cortes estratégicos para formar os quadrados menores que darão forma às figuras conectadas.

O expert do renzuru

Na década de 90, Mizuho Tomita começou a estudar um livro de renzuru que ele ganhou de presente de sua cunhada. E, apesar de nunca ter sido muito bom em dobrar papéis até aquele momento, ele se dedicou e demorou uma semana para conseguir fazer a primeira fileira de dobraduras utilizando a técnica.

Mizuho Tomita começou a estudar a arte na década de 90 (Fonte da imagem: Reprodução/Oddity Central)
Hoje, Tomita, com 70 anos, é reconhecido como um dos mais respeitados mestres de renzuru no mundo. Ele possui em seu currículo o recorde de ter conectado 368 figuras a partir de uma única folha de papel. Com tanta experiência, ele acabou desenvolvendo alguns estilos próprios e hoje também ensina outras pessoas que tenham interesse (e paciência) para este tipo de arte.

Fonte: Oddity Central

Cupons de desconto TecMundo: