Sem bomba atômica desta vez. Quem achou que íamos falar dela aqui está redondamente enganado. Faz tempo que essa arma deixou de ser inimiga número 1 da humanidade para entrar nas páginas da história. Ainda bem.

Agora chegou a vez das armas mais bizarras, que trazem a ficção para a realidade. Invenções tão estranhas que só podem ter saído da cabeça de cientistas que cresceram entre a TV, o video game e os livros de ciência (a verdadeira combinação explosiva).

Nada de bombas, explosões estratosféricas ou canhões fumegantes, meus caros. O novo arsenal parece que vem direto de Hollywood, dotado de robôs-bolha, lasers e golfinhos letais.

1. Tanque Rolha

Quem nunca passou as tardes vendo séries japonesas no estilo do Jaspion, Jiraiya e Changeman? Para quem nasceu nos anos 80, essa pergunta poderia ser facilmente trocada por: “Quem não teve infância?”

GoGo Drill, de Power Rangers (Fonte da imagem: Reprodução/Power Rangers Wikia)

Invariavelmente, algum inimigo dotado de uma espécie de furadeira atacava nossos heróis e furava o chão com uma velocidade inacreditável. Pois bem, um gênio russo teve a brilhante ideia de transformar o total absurdo disso em um tanque para os terrenos gelados e acidentados da Sibéria.

A ideia do veículo não é criar buracos no chão nem atacar os inimigos com sua espécie de saca-rolha gigante, mas transpor facilmente todo tipo de barreira, desde árvores e buracos até a grossa camada de neve da Rússia Setentrional.

2. Laser paralisador temporário

Enquanto alguém não inventar definitivamente um sabre de luz ou um rifle de laser que fure qualquer superfície, a humanidade não descansará. No meio termo, os militares americanos criaram uma arma a laser capaz de paralisar o alvo, cegando-o temporariamente com um feixe de luz ultrapotente.

A arma dita não letal já foi usada pelo exército estadunidense na ocupação do Afeganistão e está em estudo para ser utilizada pela polícia de alguns estados dos nossos vizinhos do Norte. Confira abaixo:

3. Robô quadrúpede

Star Wars, desde seu lançamento, levou as pessoas à loucura com a criação de um mundo ficcional que fazia 100% dos fãs se perguntarem no final da sessão: “Droga, por que as coisas não são como no filme? Era a rotina inevitável do “mamãe, quero ser um Jedi!”.

Screenshot de Star Wars Episode V: O Império Contra-ataca (Fonte da imagem: Reprodução/inmovies.ca)

Se você sempre ficou embasbacado com os AT-AT Walkers, pela sua beleza e poderio, e sonhou um dia que seu pai fosse buscá-lo na escola com um desses, em vez de com o Santana carequinha, já pode suspirar esperançoso. Talvez um dia você busque seu neto no colégio com um veículo de quatro patas.

Os militares deram um jeito de criar um robô quadrúpede, apelidado carinhosamente de Big Dog. Apesar de um tanto desengonçado, pequeno e barulhento como um liquidificador queimado, o simpático cachorrão pode levar peso e andar por lugares esburacados e íngremes.

4. Robô-Bolha

Embora tenha um nome bobo, esse projeto, ainda em fase inicial, envolve grande tecnologia. O robozinho esquisito que, na verdade, parece uma bola de futebol vazia, tem a habilidade de rolar sozinho e mudar de forma. Controlado por um computador, ele utiliza elementos químicos complexos que podem solidificar suas partes para ganhar formatos diferentes e se locomover.

Esse tipo de robótica química apresenta enormes vantagens em relação ao peso e à falta de liberdade locomotiva dos seus primos de metal. Arnold Schwarzenegger que se cuide, pois o experimento está avançando rapidamente. Nesse ritmo, o ciborgue metamorfo do filme “Exterminador do Futuro” logo será realidade.

5. Flipper, o justiceiro dos mares

Tristes tempos que vemos nossos amigos dos mares sendo transformados em máquinas mortíferas. Essa é para deixar os protetores dos animais de cabelo em pé. A marinha americana treina, desde os anos 80, golfinhos para serviços de patrulhamento dos mares.

Golfinho procurando por bombas no golfo persa (Fonte da imagem: Divulgação/Site da marina americana)

Não satisfeitos com uma simples patrulha animal, os cientistas militares inventaram armas que podem ser acopladas aos animais e acionadas por eles mesmos para exterminar inimigos submarinos. Pelo que tudo indica, o desfecho dessa história vai ser a mais temível máquina de matar, o “golfinho with lasers”.

6. A Lanterna do Vômito

Por essa ninguém esperava, mas nessa nova onda de armas não letais tudo é absolutamente possível. Equipada com uma luz potente, com LEDs pulsantes, a infame lanterna do vômito cega temporariamente e causa crises de náusea.

(Fonte da imagem: Reprodução/Wings On Some Wheels)

O efeito causado pelo piscar e a mudança de cor em altíssima velocidade da placa LED se mostrou muito eficiente ao castigar suas cobaias. Esse efeito desagradável foi descoberto por pilotos de helicóptero que apresentavam indisposição ao ficar expostos aos constantes flashes produzidos pelas pás de propulsão em movimento, cortando os raios solares.

7. O Grito

“The Scream” é uma arma do exército israelense que emite sons numa frequência insuportável ao ouvido humano, causando enjoo e tontura. Diferente do que se pode pensar, a exposição à arma não é a mesma coisa do que estar em frente a uma caixa de som gigante tocando a banda que você mais odeia.

O efeito, que lembra mais um poder mutante, trabalha não com a altura das ondas sonoras, mas com uma frequência específica que faz vibrar intensamente o ouvido interno, provocando efeitos semelhantes aos da labirintite.

8. OVRNI (Objeto Voador Redondo não Identificável)

Que os japoneses estão sempre na frente no quesito tecnologia não é novidade. Mas, às vezes, eles surpreendem não tanto pela tecnologia e sim pela criatividade. Um exemplo disso é esta esfera voadora guiada por controle remoto.