Na última segunda, dia 25, centenas de taxistas protestaram em ruas da Cidade do México pedindo que o Uber seja proibido no país. Segundo os motoristas, o aplicativo não passa pelo mesmo processo de registro, taxas e leis de segurança a que taxis convencionais precisam se submeter.

O líder dos protestantes, Eleazar Romero, declarou que os taxistas não são contra a tecnologia e que a principal reinvindicação é a de que todos passem pela mesma regulamentação e sigam as mesmas regras que os motoristas registrados precisam obedecer.

Corrida grátis

Aproveitando a situação, o Uber respondeu ao protesto em seu blog oferecendo duas corridas grátis, sendo cada uma no valor de até 150 pesos (cerca de R$ 30), para os mais de 300 mil usuários cadastrados no serviço.

Nos trending topics do Twitter no México, a hashtag #Ubersequeda (“O Uber fica”) permaneceu em destaque por boa parte do dia, e os apoiadores dos serviços alternativos aproveitaram a ocasião para reclamar dos problemas frequentes em corridas de táxi comum.

Segundo muitos usuários do aplicativo, os motoristas no México são quase sempre rudes e frequentemente cobram preços mais altos alegando falta de troco ou problemas no taxímetro.

Autoridades da Cidade do México se pronunciaram dizendo que vão estudar maneiras de regulamentar o aplicativo, mas enfatizaram a importância de taxistas tradicionais se atualizarem e também usarem aplicativos.

Cupons de desconto TecMundo: