Verona é o palco para uma das histórias de amor mais conhecidas do mundo: Romeu e Julieta. Na obra de William Shakespeare, por conta das desavenças entre as famílias rivais, Montecchio e Capuleto, os amantes não têm um final exatamente feliz.

Porém, isso não impediu que um desenvolvedor americano Matthew Nolan usasse o nome Verona para batizar um aplicativo de relacionamentos focado em unir romanticamente israelenses e palestinos. Segundo o slogan do aplicativo, a ideia é “Paz mundial, um swipe por vez”.

Como funciona

Os usuários se conectam ao Verona usando dados do Facebook e criam um perfil se identificando como israelense ou palestino. Depois disso, o app começa a procurar pessoas do grupo oposto.

A novidade funciona de maneira bem similar ao Tinder: swipe para a direita para curtir alguém ou para a esquerda para rejeitar. Se o casal combinar e se curtir mutuamente, o aplicativo permite começar a troca de mensagens. Segundo o criador do programa, é justamente essa conversa que pode levar a um caminho para a paz.

Inspiração

Por Nolan ser um homem caucasiano, classe média, sem nenhum ascendente israelense ou palestino, é difícil entender de onde surgiu o interesse pelo conflito secular que está tão longe da cidade de Nova York, onde o desenvolvedor nasceu e cresceu.

Segundo Nolan, a inspiração veio durante uma festa de dia dos namorados e uma conversa sobre projetos que poderiam inspirar a paz. Um amigo do jovem empreendedor comentou que era palestino e estava namorando uma garota israelense e que eles estavam felizes apesar das diferenças.

O grupo de amigos brincou sobre como esse tipo de relacionamento poderia ser interessante para resolver conflitos, e o desenvolvedor americano decidiu levar a piada a sério e criar o aplicativo baseado na experiência do casal de conhecidos.

Críticas

Porém, por mais que seja bem-intencionado, o aplicativo parece ser um pouco ingênuo em algumas questões culturais que são bem importantes para os dois grupos.

Uma das mais preocupantes foi apontada por publicações israelenses que lembraram a trágica história de Ofir Rahum, um jovem de 16 anos que, em 2001, foi atraído para o que pensou ser um encontro com um interesse amoroso, mas que era apenas uma armadilha. O garoto levou 15 tiros e não sobreviveu ao ataque.

Outros problemas, como a diferença de crenças entre os grupos, também são frequentemente apontados como um empecilho para o aplicativo dar certo. É possível até ver alguns exemplos de comentários extremamente raivosos e preconceituosos contra um dos grupos nas análises disponíveis no Google Play.

Esperança

Porém, apesar das críticas, Nolan está confiante de que o aplicativo é uma boa ideia. “Realmente acredito que esta seja a solução. Se você olhar para a História, toda vez que aconteceram mudanças sociais, elas normalmente começaram com pessoas que estavam dispostas a desafiar convenções”.

E o jovem empreendedor continua: “[Nos Estados Unidos] nós passamos por mudanças incríveis porque algumas pessoas decidiram tentar algo diferente. Então eu definitivamente acredito que este é o primeiro passo rumo à direção certa”.

Esperamos que a intuição do jovem esteja correta e que eventos do passado não se repitam com o uso do aplicativo.

Verona é um app gratuito e está disponível para Android.

Cupons de desconto TecMundo: