Já não é surpresa para ninguém que quase qualquer app de sucesso costuma resultar em uma enxurrada de aplicativos genéricos, que vem com praticamente a mesma proposta, apenas para conseguir se aproveitar da situação – seja com propagandas ou com softwares maliciosos.

No caso de Flappy Bird, porém, a situação foi a extremos. Uma vez que tivemos um número absurdo de “órfãos” quando o game foi tirado das lojas, outros desenvolvedores não tardaram a preencher essa lacuna com suas próprias versões.

O único problema é que, como um estudo feito pelo McAfee indica, 80% deles estão infestados de malwares.

De ligações a roubos de dados

Segundo o USA Today, a empresa encontrou mais de 270 apps baseados no game que estavam infectados. Após testar cada um deles, a equipe descobriu que o malware mais comum aqui era um programa que permitia fazer ligações com seu número de telefone sem sua permissão.

Outro caso encontrado por eles foi o de aplicativos que enviam mensagens de seu celular para sites de cobrança; o dinheiro, por sua vez, é mandado para companhias falsas. Há ainda malwares dedicados a conseguir seus dados de localização – algo considerado bastante valioso no mercado-negro, já que ladrões de cartões de crédito precisam disso para poder utilizar sua conta corretamente.

Mais cuidado no Android

A situação, segundo o McAfee, é ainda mais complicada para a plataforma da Google. O motivo, como muitos já devem imaginar, está no fato de o sistema Android ser aberto, o que permite o acesso a aplicativos mais variados, mas também um menor controle na parte da segurança.

Mas o sistema iOS não está completamente seguro. Isso porque aqueles que utilizam algum tipo de jailbreak para conseguir usar aplicativos third-party são especialmente vulneráveis a programas maliciosos.

Com isso, fica o aviso: é melhor pensar duas vezes antes de baixar um aplicativo genérico em seu smartphone.

Cupons de desconto TecMundo: