Durante uma conversa em um evento promovido pelo site Re/code, o CEO do Tinder, Sean Rad, anunciou que o app de paquera vai passar a contar com uma nova opção de gênero na tela em que o usuário se cadastra. Essa opção será “Trans”, focada nessa camada da sociedade que, até então, não tinha espaço definido no app.

Muitas pessoas transgênero e transexuais inclusive já sofreram com a bipolaridade feminino-masculino do app, tendo sido banidas da rede social por suposta “má conduta”. Rad explicou ao Re/code que a mudança “é boa não apenas para a comunidade do Tinder, mas também é a coisa certa a ser feita pelo mundo”.

Rad ainda admitiu que o app não estava fazendo o suficiente pela sociedade no que toca as pessoas trans ou que não se identificam com nenhum tipo de gênero. “Por um bom tempo, não fizemos o suficiente para dar a essas pessoas uma boa experiência. É difícil para elas conseguirem o que procuram, e nós tivemos que mudar nosso app para resolver isso”, disse Rad.

Por um bom tempo, não fizemos o suficiente para dar a essas pessoas uma boa experiência

Vale notar ainda que, apesar de o Tinder ser o app mais popular da atualidade no seu segmento, outros serviços similares têm saído na frente no que toca o acolhimento de usuários transgênero e transexuais.

Thurst e OkCupid já permitem que as pessoas se cadastrem em suas plataformas de várias maneiras, não apenas como homem ou mulher. De qualquer forma, a novidade no Tinder deve estar disponível no Android e no iOS dentro de um mês.  

Cupons de desconto TecMundo: