Um dos assuntos mais comentados do momento é a aquisição de uma licença para uso da liga metálica Liquidmetal por parte da Apple. Pelo nome dá para presumir que estamos falando de um material metálico, mas pouca gente sabe do que realmente se tratam todos os anúncios.

O que é?

O Liquidmetal é um metal muito diferente dos que já existem, mas fisicamente ele é muito parecido. Em termos científicos é possível classificar o Liquidmetal como um metal amorfo e como um metal sólido (ele não é líquido em temperatura ambiente). Ao visualizar uma peça constituída por esta liga metálica não há como dizer com precisão que é o Liquidmetal, pois ele é muito semelhante ao aço inoxidável.

Todavia, a diferença deste elemento está na formação inicial (quando ele é “fabricado”) e nas suas propriedades. Diferente dos demais metais, o Liquidmetal possui um ponto de fusão (o derretimento) baixo e uma dureza acima do comum. Abaixo você pode conferir um vídeo do relógio da Omega, que exibe um pedaço do processo de fabricação que utiliza o Liquidmetal para compor parte do produto:

Aliás, as propriedades dele vão bem mais além do que é conhecido atualmente. Segundo os testes mais recentes, o Liquidmetal pode ser tão duro quanto o titânio, mas muito mais maleável para utilizar em diversas situações.

Para que serve?

Provavelmente para qualquer pessoa comum ele não serve para grande coisa, até porque é só um pedaço de metal. Contudo, quando aplicado devidamente pode ser muito útil para criar carcaças, suportes, encaixes e outros tantos itens necessários na composição de um produto.

O Liquidmetal já existe desde 2003, porém nenhum fabricante fica divulgando os metais que utiliza na composição de seus produtos. Talvez este seja o principal motivo de você nunca ter ouvido falar no tal metal. Contudo, ele está presente em alguns eletrônicos (como pendrives da SanDisk), em tacos de golfe, bolas de golfe, relógios, celulares e outros tantos produtos.

A utilização deste metal não fica limitada aos produtos acima, sendo que seria possível aplicá-lo em muitos outros eletrônicos. O uso dele pode ser interessante para reduzir o peso dos produtos, para fornecer maior durabilidade e dureza.

Por que a Apple se interessou por ele?

Ainda não houve um pronunciamento oficial da empresa sobre o assunto e é quase certo que não haverá. As notícias circularam simplesmente porque quando há uma aquisição importante de determinada patente, a mídia acaba relatando qual marca adquiriu determinado produto.

Considerando isso, não devemos esperar que a Apple comente algo sobre o porquê do interesse súbito nesta liga metálica. Uma coisa é certa, a empresa da maçã queria exclusividade para usar o Liquidmetal, e com a negociação que fez deve ser a única a utilizar a liga metálica por um bom tempo.

Imagem de um pedaço de LiquidmetalQue lucro há nisso? Possivelmente os engenheiros da empresa de Steve Jobs obteve informações de que esta liga metálica pode ser muito útil na produção de novos modelos de alguns produtos. A aquisição de uma licença exclusiva do Liquidmetal permitirá que a Apple crie eletrônicos com tecnologia “mais avançada” (não entenda este termo como superioridade) do que outras empresas.

Algumas especulações indicam que o Liquidmetal será usado nas novas versões do iPhone e possivelmente do MacBook Air. Aliás, falando no smartphone da Apple, é importante salientar que a empresa já usou o Liquidmetal previamente no aparelho para criar o pino de ejeção do cartão SIM (este pino só está presente nos modelos americanos).

Ele é realmente promissor?

É muito difícil afirmar algo nesse sentido, ainda mais que até o momento não há muitos produtos que usam o Liquidmetal, contudo se depender da Apple podemos ter certeza de que em breve existirão diversos eletrônicos invadindo as lojas com anúncios do tipo “iPhone ainda mais leve e durável”.

Algumas empresas já realizaram diversas pesquisas com ele, sendo que o Liquidmetal já foi enviado até para o espaço. A NASA realizou testes com o metal (veja o vídeo abaixo) e provou que ele pode ser muito interessante. O teste mostra que a leveza do Liquidmetal é surpreendente e que essa liga pode ser bem aproveitada em algumas situações.