(Fonte da imagem: Thinkstock)

Apesar de a Apple processar alguém por quebra de patentes (geralmente a Samsung) ter virado algo comum, todos os processos movidos pela empresa fazem certo sentido. Certa ou errada, a companhia se vê no direito de lutar pelos seus direitos, e não tem nada de errado com isso. Agora, uma notícia vinda do México pode apresentar uma pedra no caminho da empresa no país latino.

Em 2003, uma empresa de Call Center e telecomunicações chamada iFone foi registrada no México. Em 2007, a Apple anunciou o iPhone. A empresa de Cupertino conseguiu registrar o nome em algumas instâncias no país, mas faltava uma: a que a iFone tinha registrado.

Então, a Apple entrou com um pedido em 2009 para ficar com a marca, o que obrigaria que a iFone tivesse que mudar de nome para continuar operando. A empresa se recusou e uma troca de processos se iniciou.

Agora, uma corte mexicana deu o seu veredito e a iFone foi a vencedora, prejudicando a venda do iPhone no México. Isso não acaba com a distribuição do smartphone no país, mas não é a situação ideal imaginada pela Apple, que deve entrar com um apelo junto ao sistema legal mexicano em breve.

Enquanto isso, a iFone moveu uma ação buscando ressarcimento da Apple pelos processos abertos contra ela.

O que você acha de tudo isso? A Apple está certa ao tentar registrar o nome parecido do seu smartphone para se proteger ou a empresa de Cupertino foi um pouco longe demais com o processo?

Cupons de desconto TecMundo: