Aprendemos ao menos sete lições em função do lançamento do Apple Watch – faça a revisão de todo o conteúdo aqui. E dois dos pontos que se destacaram em nosso review foram, primeiro, o tamanho da tela do acessório e, por fim, a exigência de um iPhone ou iPad para a execução de certos apps (entenda).

Fato é que o relógio inteligente da Maçã não conta com um browser. Mas é verdade: o sistema do Apple Watch, que é uma variação do iOS, pode até suportar programas desenvolvidos para os demais dispositivos da Apple a partir de ligeiras alterações de código. O que aconteceria, então, se um navegador passasse a rodar junto da pequena tela do aparelho?

Foi justamente essa a experiência feita pelo jailbreaker Comex. Ao instalar um navegador e fazê-lo funcionar em um Apple Watch, o hacker mostrou, na prática, por que o wearable não foi lançado com compatibilidade para determinados apps.

Dificuldades de navegação devido ao pequeno display e, assim, a falta de ferramentas que permitem uma experiência completa em ambiente online são as deficiências que ficam em evidência na publicação de Comex.

Especula-se que o próximo Apple Watch terá uma tela maior (o que permitiria, por exemplo, um manuseio mais fluído de determinados aplicativos). Mais programas deverão ser também suportados pelo próximo modelo do dispositivo vestível da empresa. Vale observar que, apesar da dificuldade de se usar um navegador tradicional, o aparelho mostra-se capaz de executar o programa. Versões alternativas de softwares (como o Opera Mini) poderão ser lançadas para smartwatch?

Cupons de desconto TecMundo: