Investindo cada vez mais no mercado brasileiro, a companhia AOC lançou no Brasil uma linha completa de tablets, incluindo modelos com diversos tamanhos de tela. Recentemente analisamos o modelo Breeze 7 Y2241, com tela de 7 polegadas e voltado para consumidores que buscam modelos de entrada.

Agora, chegou a vez de conhecermos os detalhes do modelo Breeze 8 Y3282. Com tela de 8 polegadas, o aparelho tem processador dual-core ARM Cortex-A9 (Rockship 3066) de 1,6 GHz, 1 GB de RAM e pode ser encontrado nas lojas nacionais por preços que variam entre R$ 500 e R$ 600. Será que vale a pena investir o seu dinheiro nesse produto? Isso é o que vamos descobrir agora nessa análise.

Design

O Breeze 8 não conta com um design inovador e, de certa forma, ele se parece com muitos aparelhos em tamanhos similares. Porém, vale lembrar que são poucas as empresas que se preocupam em oferecer um modelo com tela de 8 polegadas – um tamanho intermediário entre as convencionais telas de 7 e 10 polegadas.

Com cantos arredondados, o modelo da AOC tem bordas laterais de cerca de 1,5 centímetro e bordas superiores e inferiores de 2 centímetros. A câmera frontal está localizada na parte lateral, o que sugere um uso do produto na horizontal. A tampa traseira conta com acabamento em alumínio, o que dá uma maior resistência para o produto.

Além de ter suporte para cartão micro SD, o tablet da Breeze conta ainda com uma saída HDMI. Outro diferencial é que no pacote o usuário recebe ainda um cabo OTG, que permite a conexão direta de um pendrive ou dispositivo removível com o aparelho.

Tela

A tela de 8 polegadas do AOC Breeze não está entre os tamanhos mais comuns disponibilizados pelos fabricantes. Entretanto, o formato se mostra uma boa alternativa para aqueles que pretendem fugir da tela menor dos tablets de 7 polegadas ou ainda que acham muito grande uma tela com 10 polegadas.

A resolução de 1024x768 pixels se mostra adequada para praticamente todas as funções a que o produto se propõe. O nível de controle de brilho também está dentro de parâmetros satisfatórios e até mesmo a angulação do produto compromete pouco a qualidade de imagem durante o manuseio. Mesmo contra a luz, a constituição da tela ainda permite a sua utilização sem maiores problemas.

Desempenho

Durante os nossos testes, em momento algum percebemos algum tipo de travamento ou atraso no tempo de resposta do aparelho. A transição entre os apps é suave, em boa parte pelas poucas modificações que a empresa fez na versão 4.1 do Android. A versão, aliás, é um dos pontos a serem observados, uma vez que não se sabe se haverá ou não atualização para outras lançadas posteriormente.

Embora não seja propriamente voltado para jogos, o aparelho se sai bem, sendo capaz de rodar boa parte dos títulos disponíveis na Play Store. Games como Thor: O Mundo Sombrio e FIFA 14, por exemplo, puderam ser executados com normalidade. O espaço de armazenamento é de 8 GB, mas pode ser expandido com cartão micro SD.

O processador dual-core é um ARM Cortex-A9 (Rockship 3066) de 1,6 GHz. Ele está longe de ser um dos melhores na sua categorias, mas ao menos neste modelo se comportou muito bem em praticamente toadas as atividades que nos propusemos a realizar.

Duração de bateria

Com uma bateria de 4.500 mAh, certamente o consumidor não terá muito com o que se preocupar no que diz respeito a esse quesito. A capacidade de armazenamento de energia é suficiente para fazer com que o consumidor utilize o aparelho sem a necessidade de recarga por pelo menos um dia inteiro.

Em nossos testes, foi possível assistir a vídeos no Netflix por mais de seis horas contínuas. Na prática, para uso cotidiano navegando em sites, acessando redes sociais, checando emails e se divertindo com jogos, é possível sair de casa sem o carregador pela manhã e voltar no final do dia ainda com bateria de sobra para mais algumas atividades.

Qualidade de áudio

Praticamente nenhum tablet disponível no mercado vem acompanhado por fones de ouvido e o modelo da AOC não é diferente. Se você quiser ouvir música ou ainda assistir as suas séries preferidas terá que optar entre usar os fones do seu smartphone ou lançar mão dos speakers do produto.

A qualidade de áudio não é nenhum primor, mas de forma alguma pode ser apontada como um ponto negativo no aparelho. Suas características não comprometem o uso e devem satisfazer a maioria dos consumidores. O som não é dos mais altos, mas percebemos distorções em agudos apenas com o volume acima dos 90%. Vale lembrar que dentro desta faixa de preço, praticamente nenhum modelo apresenta áudio com qualidade acima da média.

Os speakers estão posicionados na parte de baixo do produto, o que significa que ao segurá-lo na horizontal para jogos, por exemplo, invariavelmente uma de suas mãos vai acabar recobrindo a saída de áudio, tornando o som levemente abafado.

Câmera

Sempre vale a pena lembrar: em um tablet, uma câmera de qualidade como a dos smartphones nunca foi a principal proposta dos fabricantes. Por conta disso, é natural encontrar produtos com menor qualidade nesse quesito, sendo ainda que a maioria das empresas opta por fornecer apenas o básico ou ainda eliminar por completo este item.

Funcionalidade básica foi a escolha da AOC, ao incluir uma câmera traseira de 2 megapixels em seu produto. Ela pode até quebrar um galho para fotos eventuais que você precise fazer, mas não espere boa definição de imagem ou baixo nível de ruído. Já na parte frontal, o modelo disponibiliza uma câmera com resolução de 0,3 megapixel.

Foto capturada com a câmera traseira do tablet AOC Breeze 8.

Mais uma vez, vale ressaltar que a proposta aqui é a de oferecer uma câmera para videoconferências e, nesse sentido, ela também pode ser apontada como meramente funcional. Chama a atenção o fato de a câmera frontal estar posicionada na lateral do produto, o que sugere o uso dela com o aparelho na horizontal – formato que convenhamos é mais apropriado para esse tipo de comunicação.

Recursos extras

Há duas ferramentas que acompanham o tablet Breeze 8 que merecem ser destacadas. A primeira delas é um acessório, o cabo OTG. Ele permite que os usuários conectem um pendrive ou dispositivo removível USB diretamente ao tablet, facilitando o acesso e a transferência de informações entre os aparelhos.

Outra novidade é uma loja própria de aplicativos da AOC. A iniciativa é bastante válida, pois permite o download de aplicativos gratuitos sem a necessidade de cadastro ou dados de cartão de crédito. Entretanto. A quantidade e a qualidade dos apps disponíveis é bastante limitada. Além disso, para instalar os apps da AOC App Store é preciso habilitar no SO a instalação a partir de fontes desconhecidas, processo que não é indicado pelo software da empresa no momento do uso da ferramenta, podendo confundir os usuários.

Vale a pena?

Entre os tablets disponíveis no mercado brasileiro, voltados para o público que procura modelos de entrada ou ainda os intermediários mais acessíveis, o modelo da AOC se mostra um dos mais competentes. Embora ele não se destaque em nenhum quesito em especial, da mesma forma praticamente não há pontos negativos que possam prejudicar o consumidor na utilização do aparelho.

Custando entre R$ 500 e R$ 600, o aparelho é voltado para aqueles que utilizam o produto como uma ferramenta auxiliar de estudo ou para consumo de conteúdo. Redes sociais, acesso à internet e execução de boa parte dos apps da Play Store não são prejudicadas em nenhum momento. Sua proposta não é a de estar entre os mais potentes da categoria, então se você estiver procurando um modelo para jogos talvez seja mais interessante investir um pouco mais.

Há ainda uma loja específica de aplicativos da AOC, uma boa ideia, mas que ainda carece de melhorias e de uma biblioteca mais interessante de aplicativos. Funcional e com um preço condizente com as configurações que oferece, vale a pena testar um modelo da empresa antes de definir qual será o próximo aparelho que você pretende comprar.

Cupons de desconto TecMundo: