Mantenha o seu computador sempre protegido (Fonte da imagem: iStock)

A liberdade e tudo o que a internet nos proporciona é incrível. Por meio dela, você se mantém informado, adquire mais cultura, baixa músicas e filmes, se diverte, conversa com os amigos e mantém contato com gente do mundo todo.

Porém, como não poderia deixar de ser, nem tudo são flores no mundo virtual. Existem também muitos riscos, com pessoas mal-intencionadas que utilizam as mais diversas ferramentas para invadir o seu computador e roubar informações importantes a seu respeito.

Por isso, é preciso buscar alternativas para combater essas ameaças contra o seu computador e as suas informações. E alguns dos programas mais eficientes para ajudá-lo nessa tarefa são os antivírus, trabalhadores incansáveis que protegem você e a sua máquina.

A segurança passada por esse tipo de programa é tão conhecida que algumas pessoas lançam mão de vários softwares em seu computador, utilizando antivírus de várias marcas diferentes ao mesmo tempo.

Contudo, isso pode ser um grande erro – e é capaz de tornar o seu computador ainda mais vulnerável. Então, fique atento e saiba por que você não deve utilizar dois ou mais antivírus ao mesmo tempo em seu PC.

É prejudicial ao desempenho do computador

Para que a sua máquina se mantenha sempre protegida, os antivírus geralmente iniciam o seu trabalho juntamente com o sistema. Alguns, inclusive, já começam a trabalhar antes mesmo que o SO tenha sido carregado.

Isso faz com que esse tipo de software precise de uma quantidade considerável de recursos para funcionar corretamente. Logo, se um antivírus já demanda uma boa parte da memória RAM e da capacidade de processamento disponíveis em seu PC, imagine dois, três, cinco programas do gênero funcionando ao mesmo tempo.

Um programa atrapalha o outro

Além de você multiplicar o gasto de recursos do seu computador, acredite, há uma razão ainda pior para que você não utilize vários antivírus ao mesmo tempo: a confusão entre um programa e outro pode fazer com que sua máquina fique desprotegida.

(Fonte da imagem: iStock)

Imagine a seguinte situação: você resolve contratar dois guarda-costas para protegê-lo em seus passeios. O problema é que os dois não se conhecem, de forma que nem um, nem outro, tem ideia de que há mais de um profissional trabalhando para você.

Assim, um belo dia você está andando tranquilamente pelo shopping quando um segurança percebe algum risco e parte para combatê-lo. O problema é que, na verdade, ele identificou o seu outro guarda-costas como uma ameaça.

E qual o resultado dessa batalha? Bem, a sua proteção ficaria bastante reduzida, uma vez que um segurança acabou anulando o outro – e os bandidos com certeza aproveitariam as oportunidades criadas por essa confusão.

É mais ou menos isso o que pode acontecer quando você tem dois ou mais antivírus. Como eles ficam em constante monitoramento, um pode perceber o outro como uma ameaça, identificando os famosos “falsos positivos”. Com isso, ambos os programas começarão a alertá-lo constantemente sobre riscos que, na verdade, não existem.

Já quando um vírus realmente for encontrado por algum dos programas, outro problema poderá surgir. Como o arquivo malicioso acaba sendo isolado pelos antivírus, provavelmente você não conseguirá removê-lo. Um impossibilita a ação do outro.

Deixe que o antivírus trabalhe da melhor forma possível (Fonte da imagem: iStock)

Além disso, você acabará criando exceções, fazendo com que a proteção diminua – e abrindo caminho para as mais diferentes ameaças. Por isso, o recomendado é: utilize somente um bom antivírus, aquele que você conhece e confia.

No mercado, há atualmente uma boa gama de opções de programas do gênero, muitos com grandes companhias responsáveis pelo seu desenvolvimento, como o Avira, o AVG, o Avast!, o Norton e o Kaspersky, além de muitos outros.

Algumas ferramentas podem trabalhar juntas

Se utilizar mais de um antivírus pode ser um verdadeiro tiro no pé, contar com outras ferramentas de proteção é algo muito bem-vindo. Como há uma grande variedade de ameaças, é necessário, em alguns casos, utilizar também opções que trabalhem de maneira mais específica.

Você pode lançar mão de programas que identificam spywares e adwares, como o SpyBot, por exemplo. Além disso, é importante também ter sempre um bom Firewall trabalhando em sua máquina. Eles não permitem que conexões estranhas tenham acesso aos dados do seu computador, impedindo que alguém roube os seus dados.