Você já ouviu falar na Federação Mundial de Grandes Torres? Trata-se de uma organização que reconhece e divulga dados sobre as maiores construções do planeta. Quatro das cinco maiores torres da atualidade estão presentes nas páginas da Federação e a outra delas ainda não foi concluída.

“Mas, Tecmundo, o título do artigo dizia antenas. Agora vocês estão falando de torres?”. Pois é, as maiores antenas estão posicionadas acima das construções mais altas para garantir que o alcance do sinal emitido por elas seja maior e sofra menos interferências de outros prédios próximos. Por essa razão, é impossível separarmos os dois grupos (antenas e torres).

Quer conhecer as estruturas que fazem parte de nossa lista? Então fique atento para ir às alturas com instalações espalhadas pela Ásia, Europa e América do Norte. O melhor de tudo é que por aqui você não corre o risco de sofrer com vertigens.

Tokyo Sky Tree

A maior torre do mundo ainda não está pronta. Em construção desde julho de 2008, o edifício japonês deve ter as obras concluídas até fevereiro do próximo ano. Quando pronto, o prédio vai apresentar a altura impressionante de 634 metros (marca alcançada em agosto de 2011). Seis grandes empresas de televisão e rádio são as responsáveis pelo projeto.

Desses 634 metros, apenas 495 são de área habitável, pois os 139 mais altos são da antena. E para que uma antena tão grande? Nove das principais emissoras de televisão concentrarão suas transmissões digitais na Tokyo Sky Tree. Entre elas, estão NHK, Nihon, Asahi, TBS, TV Tokyo, Fuji e Tokyo Metropolitan Television. Isso vai transformar a torre na principal transmissora de sinal de radiofrequência do Japão.

Além da antena digital (sinais analógicos não serão transmitidos), a construção vai contar também com dois observatórios: o mais baixo a 350 metros de altura e o mais alto, 100 metros acima. Uma curiosidade: a altura de 634 metros é um trocadilho com a palavra japonesa “Musashi” (Roku-San-Chi), que representa o antigo nome da região de Tokyo.

Canton Tower

Assim como a primeira colocada do ranking, a segunda também fica na Ásia. A Canton Tower é uma gigante construção chinesa (da cidade de Guangzhou), que foi completada em 2010 e apresenta a altura de 600 metros até o topo da antena. São 141 metros de antena transmissora, dois a mais do que a existente na Tokyo Sky Tree.

A Canton Tower conta com um design diferente, sendo ligeiramente “torcida”, como pode ser visto nas fotografias. Além da antena responsável pela transmissão de vários canais de televisão e emissoras de rádio para várias cidades próximas a Guangzhou, a estrutura conta com diversos serviços para a população.

Há restaurantes, cafés e casas de chá, cinemas e observatórios. Durante as noites, é possível controlar todos os focos de luz externa da torre, o que garante animações e apresentações de luzes. Para isso, os responsáveis pela construção adotaram LEDs para aumentar o brilho e diminuir o consumo energético da Canton Tower.

CN Tower

CN Tower é a única construção americana da nossa lista e esteve na primeira colocação no ranking de torres mais altas do mundo por 34 anos. Em 1976, quando foi concluída, a construção de Toronto (Canadá) apresentava uma estrutura de 553 metros (contando com uma antena de 96 metros). É nessa torre também que acontece o Edge Walk.

Oito canais de televisão digital baseiam suas transmissões a partir da torre canadense. Eles são somados a dez redes de rádio para formar uma das maiores concentrações de transmissão de radiofrequência do mundo. Além disso, empresas de telecomunicações também possuem retransmissores no local.

Quem gosta de aventura pode se impressionar com o 360 Restaurant. O restaurante giratório fica a 351 metros do chão, sendo o mais alto do mundo. Para comer lá é preciso um pouco de coragem, pois todas as janelas são inclinadas de forma que permitam aos clientes observarem a cidade toda.

Ostankino Tower

Moscou, a capital da Rússia, entrou na lista graças à Ostankino Tower. Além de ser a única europeia do ranking, é também a mais antiga (foi concluída em 1967, em comemoração aos 50 anos da Revolução Russa de 1917). Com 155 metros dedicados à antena, é da Ostankino Tower que sai o sinal de 22 emissoras de televisão diferentes, além do sinal de 25 emissoras de rádio FM.