A computação vestível vem evoluindo e uma das faces mais visíveis disso é o investimento de grandes companhias em smartwatches, os relógios inteligentes. Quem trabalha com o desenvolvimento de software para este tipo de aparelho, como é o caso dos desenvolvedores do Android, precisa repensar a forma como o sistema funciona para adaptá-lo a um novo ambiente.

Nesta terça-feira (3), o designer Roman Nurik e programador Timothy Jordan, ambos responsáveis por realizar tal adaptação do Android, escreveram um pouco sobre a experiência de desenvolvimento para computação vestível. Os dois relatam uma espécie de vida nos bastidores da criação de software para dois protótipos de smartwach: o Motorola Moto 360 e o LG G Watch, cuja animação de boot vazou na web e revelou o suposto novo logotipo do Android.

Adaptando interfaces

Um exemplo dado pelos desenvolvedores em sua postagem é sobre um app de caminhada de passeio, que poderia tanto ser ativado de forma convencional por meio de um comando de voz quanto por meio de notificações que sugerissem novos caminhos próximos de onde você passa.

Ao se deparar com tal panorama, o grande desafio relatado por eles é justamente o pouco espaço com o qual você tem que lidar. “280x280 pixels não é muito espaço para se trabalhar, então você precisa fazer algumas escolhas difíceis sobre quando e como apresentar informação”, relatam Nurik e Jordan.

Aqui, os dois se viram diante de outro “problema”: a diferença de formato entre os dois relógios inteligentes, pois enquanto o da LG é um quadrado, o da Motorola é circular, exigindo ainda mais mudanças e adaptações.

A solução encontrada por eles para fazer bastante informação caber em na tela de um smartwatch foi a utilização de páginas. No caso, a notificação sugerindo um passeio aparece e pode ser iniciada com um único toque; depois disso, o usuário teria que deslizar a tela para a lateral a fim de acessar as demais informações, todas aparentemente legíveis.

O desafio da tela circular

Os desenvolvedores informam que nunca haviam criado nada para uma tela circular, algo justificável, pois não há nenhum smartphone ou tablet redondo com Android disponível no mercado. Por incrível que pareça, o trabalho de mudança foi bem fácil, contam os dois, envolvendo alguns recortes, redimensionamentos e realinhamentos.

A imagem de fundo foi ampliada para 320x320 pixels enquanto o espaço de notificação foi reduzido, indo de 116x116 pixels de densidade (dp) para 108x108 dp. O posicionamento do texto e do indicador de página também foram levemente alterados de forma a ficarem mais acessível na tela circular.

Além de contar um pouco sobre o trabalho de bastidores envolvendo o desenvolvimento do Android para smartwatches, Roman Nurik e Timothy Jordan contam que mais informações sobre esse trabalho serão reveladas durante os dias 25 e 26 de junho deste ano, quando ocorre o próximo Google I/O.

Cupons de desconto TecMundo: