Um dos maiores (e mais antigos) problemas do Android é o fato de que há um grande intervalo entre as atualizações feitas pela Google e sua distribuição pelas empresas que usam o sistema. Embora isso tenha sido minimizado em anos recentes, quem não tem gadgets mais recentes geralmente tem que esperar entre três meses a um ano para receber as versões atualizadas da plataforma.

Para tentar corrigir esse problema, a empresa anunciou o Project Treble pouco antes do início do evento I/O 2017. A iniciativa separa o código de baixo-nível escrito por fabricantes como a Samsung e a Qualcomm do banco de dados que serve como base para o Android — como resultado, atualizações podem ser distribuídas mais rapidamente usando somente códigos relevantes ao sistema como um todo.

Atualizações podem ser distribuídas mais rapidamente usando somente códigos relevantes ao sistema

A esperança é que, ao vencer essa barreira, as atualizações do sistema operacional cheguem rapidamente a um grande número de consumidores. Isso também traz vantagens às fabricantes, que não vão ter que abrir mão de suas interfaces nem ter que gastar muito tempo as adaptando a novas versões.

A iniciativa também quer incentivar que fabricantes de processadores e dispositivos adicionem suas mudanças de código e correções de bugs ao código-base do Android Open Source Project. A expectativa é que essas mudanças entrem em ação a partir do lançamento do Android O, que deve ser lançado oficialmente próximo ao final de 2017.

Cupons de desconto TecMundo: