O tão esperado Android Lollipop 5.0 finalmente está entre nós. A nova versão do SO chegou repleta de novidades, como era de se esperar, já que a Google reserva os números cheios de suas atualizações para o Android com o objetivo de promover grandes mudanças no sistema operacional.

Foi assim com o Android 3.0, lançado de forma exclusiva e específica para tablets; e com o Android 4.0, que reunificou tablets e smartphones em apenas um SO, além de oferecer um novo design minimalista batizado de Holo, novas features, como NFC e desbloqueio facial e muito mais recursos.

Grandes mudanças

Com o Android 5.0 não foi diferente. O salto nas mudanças foi significativo. O mais visível deles é o Material Design, a nova filosofia de design da empresa que pretende não só envolver o Android como também a internet.

Além disso, o Lollipop trouxe diversos novos recursos e funcionalidades, como as notificações na tela de bloqueio, o novo painel de configurações rápidas, novo sistema multitarefas, modo convidado, recurso para desativar todas as notificações e muito mais.

Ainda dá para melhorar

Apesar de ser o melhor Android já feito até agora, além de oferecer um visual impressionante e uma tonelada de mudanças, muitas delas que não são visíveis para os usuários, sentimos falta de diversas funcionalidades e recursos.

Muitos desses recursos já estão disponíveis no Android, mas apenas em ROMs personalizados de outras fabricantes, mas não no Android “puro”. Compilamos uma lista de tudo que acreditamos que poderiam melhorar ainda mais o Lollipop. Confira:

1. Um botão para tudo limpar

Uma solução extremamente simples que ainda não deu as caras na versão pura do Android é um botão simples dentro do modo multitarefa capaz de encerrar todos os programas abertos de uma só vez.

Isso é possível de ser feito em ROMs personalizadas, como a TouchWiz, da Samsung, e interface da LG. Porém, no Android Lollipop puro, você consegue apenas eliminar aplicativo por aplicativo. Até o CyanogenMod e o ParanoidAndroid contam com essa funcionalidade.

2. Modo silencioso de volta

A Google substituiu o modo silencioso pelo “não pertube”, em que é possível delimitar períodos de tempo em que você não será incomodado com nenhum tipo de notificação. Porém é preciso definir o período que o aparelho deverá ficar em silêncio.

Ou seja, não há mais um botão simples que simplesmente desativa o som do aparelho. Deslizando a barra de som ou pressionando os botões de volume, o mínimo que você chega é o modo vibratório. Por favor, Google, devolva a opção simples de desativar o som.

3. Funcionalidades do botão desligar

O botão de energia, quando pressionado longamente, oferece a opção de desligar o dispositivo móvel no Android Lollipop. Porém, as ROMs personalizadas oferecem muito mais recursos, como a possibilidade de reiniciar o aparelho e ativar o modo avião.

Além disso, algumas ROMs permitem tirar screenshots, e até mesmo ativar modos de som, como vibração e silencioso. Está na hora da Google incrementar essa opção, oferecendo muito mais funcionalidades.

4. Modos de som específicos

Uma funcionalidade interessante do Windows é a possibilidade de regular o som de cada programa que está executando som. Você pode impedir que o cada um dos aplicativos emitam sons ou bloqueá-los de uma vez só.

Essa solução seria ótima também para o Android, silenciando não apenas notificações e ligações, mas também os próprios aplicativos, como jogos e programas de mídia. Dessa forma, você controla quais aplicativos poderão reproduzir som ou não assim que forem executados.

5. Aplicativos pré-instalados

A Google tem uma extensa linha de excelentes aplicativos que cobre boa parte das atividades básicas de um smartphone, como ligações, troca de mensagens SMS e MMS, relógio e despertador, calendário, player de música, navegador da internet, email e muito mais.

A maioria destes aplicativos já vem instalados de forma padrão no Lollipop. Até aí tudo bem. O problema é que não é possível desinstalar nenhum desses programas, a menos que você faça o root no aparelho.

Se você não quer fazer o root, a única opção é desativar os aplicativos, o que impede que ele consuma memória RAM e bateria, mas não deixa de ocupar espaço na memória. Isso é um ponto negativo até porque nem todos os aplicativos são interessantes para todos os usuários, como é o caso do Google Sheets, Google Fit, Google Plus, entre outros.

6. Personalização de atalhos rápidos

Os atalhos rápidos permitem a você acessar configurações diversas do sistema, como ajuste de brilho, acesso a rede de dados e WiFi, controle de som e muito mais. Porém, eles são imutáveis: o que está lá não pode ser alterado.

Uma boa opção para o Android seria a personalização da tela de atalhos rápidos, permitindo que os usuários consigam manter apenas os recursos que realmente importam. É o mesmo sistema usado dentro do CyanogenMod, que poderia ser facilmente replicado no Lollipop.

7. Galeria de fotos

A galera de fotos foi eliminada no Android Lollipop. No seu lugar, a Google manteve apenas o Photos, um recurso derivado do Google Plus que foi transformado em app próprio e organiza as fotografias do seu aparelho de diversas formas, principalmente por datas.

Apesar de ser cheio de recursos interessantes, o programa não é tão simples quanto a antiga Galeria. Primeiro porque ele não organiza as fotos por álbum da mesma forma, separando as imagens por aplicativo, além de fotos da câmera, screenshots e fotos baixadas (downloads). 

8. Gerenciador de arquivos

É quase inconcebível que o Android, um sistema operacional que preza por uma suposta liberdade aos usuários, ainda não tenha um programa de gerenciamento de arquivos nativo. E infelizmente, não foi com o Lollipop que a empresa disponibilizou o recurso para seus usuários.

Um gerenciador de arquivos é importante para que os usuários possam administrar suas próprias pastas e documentos sem precisar depender de programas de terceiros.

9. Suporte a temas por padrão

O Android é um sistema aberto que permite facilmente sua personalização. Você pode trocar quase tudo no sistema, desde fontes, cores, papéis de parede, telas de bloqueio, ícones, sons e muito mais. Porém, a Google poderia criar um sistema padrão de suporte para adicionar essas mudanças.

Além de trazer mais confiabilidade para o sistema, já que  há uma penca de programas do gênero, muitas vezes de fontes duvidosas, a empresa também criaria um padrão mais organizado, além de tornar mais simples o processo, de forma similar a que existe no Chrome.

10. Botão 3G mais rápido

O botão 3G que fica localizado nas configurações rápidas da gaveta de notificações não ativa e desativa a rede dados com apenas um toque. O resultado é que você precisa tocar na opção para depois entrar em outra tela e só então ativar e desativar o recurso.

A empresa poderia ter utilizado o mesmo esquema que funciona no WiFi e no Bluetooth: um toque rápido ativa e desativa a conexão. Um toque no nome do recurso lista mais opções, como a lista de redes disponíveis. É uma coisa tão simples que nem deveria ser mencionada aqui.

11. Modo econômico versátil

O modo econômico de bateria do Lollipop conta com três faixas diferentes de porcentagem para que ele seja ativado: quando a bateria atinge 15%, 5% ou nunca. Entretanto, seria mais interessante se esse recurso fosse livre.

Dessa forma, os usuários poderiam definir a porcentagem de bateria que quiserem para economizar, seja em 30, 50 ou 70%. Isso é especialmente importante em casos que você vá ficar longe do carregador por um tempo mais extenso e algo fácil da Google resolver.

12. OK Google aprimorado

A Google adicionou um recurso interessante ao Moto X quando comprou a Motorola: a pesquisa de voz com o dispositivo desligado. Bastava dizer “OK, Google” mesmo com a tela bloqueada para fazer pesquisas, sem tocar em um único botão.

Porém, esse recurso não foi adicionado ao Android Lollipop, como se esperava. Apesar do hardware do Moto X ser otimizado especificamente para isso, a Google também poderia adaptar, ao menos, a linha Nexus.

13. Bloqueador de chamadas nativo

Outra benesse que poderia ser implantada com facilidade no Android é um sistema de bloqueio de chamadas nativo. Isso evitaria, como se sabe, a ligação de números indesejados, como de bancos oferecendo cartão de crédito.

14. Tela de bloqueio mais inteligente

A tela de bloqueio do Lollipop ficou muito mais inteligente graças a introdução do sistema de notificações transformados em pequenos cards. Você pode deslizar para remover ou tocar em cima delas para acessar diretamente as informações do aplicativo.

Porém, a Google poderia dar mais poder à tela de bloqueio, oferecendo outras opções e recursos para torná-la ainda melhor. É o caso dos atalhos rápidos, que poderiam ir além da câmera e do telefone. Ah, e a empresa removeu os widgets na lockscreen. 

15. Toque na tela para ligar

O LG G2 foi um dos dispositivos pioneiros a inserir um sistema de toques na tela para ativá-la. Basta apenas tocar rapidamente duas vezes para que o display se ascenda. Esse prático recurso já começou a ser adotado por outros dispositivos, mas ainda não é um padrão.

O próprio Nexus 9 agora conta com essa opção, mas o Nexus 6 não. Quem já usou esse método sabe o quanto ele é simples e prático, tanto para ligar quanto para desligar, e transformar isso em regra seria muito conveniente para qualquer usuário.

*****

Bem, essas são as nossas sugestões para tornar o Android Lollipop ainda melhor. Você conhece mais alguma dica bacana? Não deixe de comentar. 

Cupons de desconto TecMundo: