(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

A Lenovo vem investindo pesado no mercado brasileiro, introduzindo aos poucos uma série de novos computadores que antes só chegavam aqui através de importação.

O ThinkPad T440 é um desses aparelhos que chegou recentemente ao país, buscando atender ao consumidor que precisa de uma máquina de alto desempenho, com ferramentas robustas e uma bateria que seja capaz de oferecer energia para um dia todo de trabalho.

Trazendo alguns recursos únicos da Lenovo, como o TrackPoint, um touchpad diferente e softwares próprios que visam melhorar a experiência de uso, este modelo promete bons resultados para quem precisa de uma máquina para trabalho. Testamos todo o poder do dispositivo para trazer um veredito para você que está pensando em adquirir um ultrabook.

Especificações

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Benchmarks

PCMark 8 - Work

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

3DMark - IceStorm

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Design não é um ponto forte

A Lenovo já tem longa experiência no desenvolvimento de notebooks, mas aparentemente toda a inovação que a empresa já demonstrou no passado e a expertise apresentada ao longo dos anos não foram aproveitadas no design deste computador.

Talvez por conta do público-alvo que, quem sabe, não se importa com tal característica ou simplesmente para manter os traços de máquinas antigas da mesma linha, a fabricante acabou optando por um visual mais quadrado e simplificado.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Isso não é necessariamente algo ruim, mas é preciso considerar que os ultrabooks são conhecidos também por seus designs diferenciados. Geralmente, as concorrentes apostam em curvas e traços mais leves. O ThinkPad T440 vai totalmente contra essas ideias, abusando de retas e dando a sensação de ser um gadget antigo.

É curioso que, conforme citamos, a Lenovo não é novata na área, sendo que diversos outros produtos que testamos da marca recentemente trazem características visuais bem mais ousadas. Claro, essa questão estética não atrapalha a funcionalidade, mas pode ser algo a se considerar quando falamos em usabilidade.

Tela e som de boa qualidade

O display do ThinkPad T440 apresenta bons resultados no que diz respeito à fidelidade de cores, brilho e contraste. É quase impossível ver distorções na tela, mesmo quando a posicionamos em ângulos obtusos.

Quando utilizada a máquina contra a luz, o alto brilho do display ainda possibilita enxergar as imagens com boa qualidade, garantindo uma experiência satisfatória independente do tipo de ambiente.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Ao regular o brilho para o nível mínimo, fica bem difícil visualizar o conteúdo, mas é claro que essa configuração funciona muito bem em locais escuros e garante alta duração da bateria. O único problema é a resolução que, para uma máquina desse tipo, poderia ser maior.

O sistema de áudio do ThinkPad T440 apresenta bons resultados. Não notamos distorções severas ao reproduzir vídeos e músicas em volume máximo. Como era de se esperar, os graves ficam limitados por conta dos alto-falantes de baixa potência, mas este notebook entrega uma boa experiência multimídia no que diz respeito aos sons.

Hardware poderoso

Sabe aquela história de que quem vê cara não vê coração? Essa é uma grande verdade no caso do ThinkPad T440. O visual modesto não dá a mínima noção da capacidade do computador, porém no interior temos um processador Intel Core i5 pronto para toda e qualquer atividade.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

O chip gráfico não é dedicado para jogos de alto desempenho, mas podemos dar a certeza de que você pode aproveitar diversos games com qualidade mediana com alta resolução. Nos testes do 3DMark, este notebook apresentou resultados satisfatórios, obtendo pontuações que ficam acima de muitos concorrentes.

Em nossos testes, conseguimos rodar Borderlands 2, DiRT 3, Batman: Arkham City e Left4Dead 2 sem grandes problemas. É claro que para executar tais games foi preciso reduzir os níveis de detalhes e desativar os filtros. De qualquer forma, a experiência é satisfatória e você pode aproveitar diversos jogos recentes.

Teclado bom, mas bagunçado

Considerando que este ultrabook é focado no público que busca um computador para trabalho, o mínimo que esperamos é um teclado eficiente que possa ajudar o usuário a aumentar sua produtividade e ter o melhor desempenho possível na hora de compor documentos e emails.

O teclado deste Lenovo não é exatamente como esperávamos, mas ele tem suas qualidades. Primeiro, é preciso ressaltar que ele é confortável. As teclas são de bom tamanho, ficam bem dispostas, sendo que é fácil digitar grandes textos em pouco tempo.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Ativar as funções especiais (regulagem de brilho, controle de volume e outros recursos) é fácil. Entretanto, usar as teclas de função em seu estado padrão exige o uso da tecla Fn — ou seja, se você quer fechar um programa usando o comando “Alt + F4”, deve pressionar “Alt + Fn + F4”. É um pouco confuso no começo, mas aos poucos é possível se acostumar.

Acontece que o teclado deste ThinkPad tem um layout diferente. Além do TrackPoint no meio do teclado, as teclas Ctrl e Fn foram trocadas de posição. Não é raro você tentar copiar um conteúdo e acabar pressionando “Fn + C”.

Touchpad e TrackPoint

Outros componentes que nos decepcionaram um bocado foram “os mouses” deste notebook. O touchpad é um bocado bizarro, sendo que quase todas as pessoas aqui da redação que experimentaram o produto por alguns minutos comentaram sobre a estranheza na interação com esse componente.

Não dá para entender exatamente o motivo, mas a Lenovo teve a ideia de fazer um touchpad elevado, sendo possível afundá-lo completamente, independente da região em que você pressionar. O botão esquerdo é ativado em qualquer região com um simples toque, mas o direito só pode ser utilizado ao usar uma pressão considerável no canto direito inferior.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

O TrackPoint é um dos grandes trunfos da série ThinkPad, mas temos algumas dúvidas quanto à real necessidade de ter esse segundo controlador de ponteiro em um notebook que tem um touchpad enorme.

Ele é preciso e simples de usar, porém é necessário considerar que ainda é preciso ativar os botões esquerdo e direito do mouse diretamente no touchpad — por isso ficamos na dúvida sobre a necessidade de incluir tal elemento no computador. Pode ser que o público interessado no produto adore o TrackPoint, mas novos usuários talvez não vejam grande vantagem nesse “mouse”.

Energia acima de tudo!

O grande destaque deste produto é para ser sua incrível capacidade de desempenho energético. Nesse sentido, o ThinkPad T440 até que faz bonito. Como de costume, realizamos um teste prático para conferir a capacidade da bateria no dia a dia.

Com as baterias (interna e removível) 100% carregadas, configuramos o brilho da tela para 50%, deixamos o adaptador WiFi ligado e reproduzimos um vídeo do YouTube por uma hora. Ao fim do teste, havia 80% restante da energia, o que nos leva a concluir que, para essa atividade, as baterias podem durar até 5 horas.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Além desse teste, realizamos uma verificação com o programa PCMark 8. Ativamos o teste de bateria na categoria Work (que testa a eficiência energética quando o computador é utilizado para tarefas de escritório) com o brilho configurado em 50%. O software detectou que as baterias podem aguentar até 5 horas e 48 minutos para tarefas mais básicas.

Os resultados são excelentes, mas não são impressionantes, ainda mais se considerarmos que a Lenovo promete valores acima de 10 horas para as baterias. A verdade é que esse tempo estrondoso só pode ser alcançado com o brilho da tela no mínimo e ao executar pouquíssimas tarefas que não demandem grande poder do processador e do disco rígido.

Claro, quase 6 horas de uso para tarefas corriqueiras é excelente para quem precisa de um ultrabook para trabalhar e não tem uma tomada por perto. Todavia, não pense que este máquina vai surpreendê-lo com as baterias originais de fábrica. A história deve mudar adicionando componentes energéticos de maior potência.

Vale a pena?

Inovação é algo que custa muito caro. Todavia, nem toda inovação é algo essencial para o consumidor. No caso do ThinkPad T440, as baterias de alta capacidade realmente impressionam, mas essa qualidade única do aparelho não é motivo suficiente para investir mais de R$ 4.500 no produto.

No geral, esta máquina da Lenovo entrega desempenho satisfatório para quem pretende usar o computador para trabalho, mas as tarefas que você pode realizar nesse ultrabook podem ser realizadas da mesma forma em outros computadores mais baratos.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Apesar de ser um fator muito subjetivo, o visual do aparelho não é dos melhores (e até que entendemos disso, visto que testamos muitos produtos e temos uma boa base de comparação). Parece que o design deste ThinkPad não está alinhado com os atuais produtos da fabricante. Além disso, ele não chama tanto a atenção quanto os produtos de outras marcas.

Aliando esses pormenores com o touchpad bizarro, o teclado fora de padrão e o TrackPoint desnecessário, temos aqui uma máquina que acaba decepcionando muito. Infelizmente, não acreditamos que o investimento no produto seja válido, até porque a bateria não impressiona tanto quanto o que é prometido.

Este produto foi cedido para análise pela Lenovo.

Cupons de desconto TecMundo: