Smartphones de todas as marcas são testados pelo Tecmundo. (Fonte da imagem: Tecmundo)

Se você acompanha as análises de produtos publicadas semanalmente pelo Tecmundo já deve ter dado uma olhada também nos comentários dos leitores em nossas postagens. Por se tratar de um conteúdo em que frequentemente apontamos falhas nos equipamentos, é natural que muitas vezes alguns usuários imaginem que estamos sendo rígidos demais, apenas tendo como objetivo encontrar um ponto negativo.

Pensando nas dúvidas que surgem constantemente nesse tipo de publicação, decidimos publicar este artigo explicando um pouco melhor como funcionam as nossas análises. Textos como esses estão entre os conteúdos mais visualizados e mais importantes do Tecmundo e, por conta disso, nossos leitores têm a garantia de que nenhuma análise publicada é paga.

Sem nenhum favorecimento

No espaço de comentários já vimos leitores apontando que temos um perfil mais “Android”. Outros defendem que somos fãs do iOS enquanto alguns dizem que tentamos promover somente o Windows Phone. Acredite, o fato de recebermos comentários como esses relacionados a praticamente todas as plataformas é motivo de orgulho. Afinal, isso prova que somos críticos com todos por igual, sem favorecimentos.

Máquina de testes utilizada em diversas análises. (Fonte da imagem: Tecmundo)

Como parte da política do Tecmundo, nenhuma análise do site pode ser paga, pois isso descaracterizaria o nosso trabalho. Mesmo nas notícias, o conteúdo patrocinado é praticamente inexistente. Quando temos um post patrocinado, ele sempre é indicado com uma mensagem ao final do texto, informando que se trata de um publieditorial. Esse tipo de conteúdo sempre trata apenas de apresentar produtos/aplicativos/serviços.

Recebemos também muito material de divulgação, enviado pelas assessorias de imprensa das empresas. Conteúdos como esses são reescritos pelos nossos redatores, perdendo o caráter mais comercial e ganhando um estilo mais informativo e objetivo.

Não há custo algum para publicações como essas, e o espaço está aberto para assessorias de imprensa de todo o mundo nos enviarem material – que será publicado se for relevante para os nossos leitores e se estiver de acordo com o perfil do site. Além disso, antes da postagem as informações são checadas pelos nossos redatores para que não haja nenhum mal-entendido.

Como temos acesso aos produtos analisados

Adoraríamos poder analisar todos os produtos disponibilizados no mercado no mesmo dia em que eles chegam aos consumidores – ou até mesmo antes disso. Entretanto, isso nem sempre é possível. Muitos dos produtos que analisamos são comprados pela redação do Tecmundo, sendo que temos uma verba mensal para esse tipo de aquisição.

Smartphones adquiridos pelo Tecmundo para análises e uso da redação. (Fonte da imagem: Tecmundo)

Esses produtos, posteriormente, são utilizados pelos redatores e programadores do Grupo NZN para testes de aplicativos e para tutoriais que publicamos. Entretanto, existem também produtos que são cedidos pelas empresas para que realizemos uma análise. Esses aparelhos chegam até nós por empréstimo e, em geral, podemos ficar 15 dias com eles. Depois desse período eles são devolvidos às empresas. Sempre ao final de uma análise indicamos em que condições esse aparelho chegou até nós – seja por compra direta ou por empréstimo.

Muitas vezes não é possível executar a comparação entre placas de vídeo, smartphones ou tablets, pois um produto recebido por empréstimo já foi devolvido ao fabricante.

“Tecmundo, analisa o smartphone XYZ...”

Sabemos que a nossa opinião sobre um produto é importante para os leitores. Por conta disso, nos esforçamos para que a análise completa dele esteja disponível tão logo o aparelho chegue ao mercado. Em alguns casos, recebemos o produto de uma empresa semanas antes de ele chegar às lojas – o que é ideal.

Porém, nem sempre isso acontece. Na maioria dos casos temos que esperar que as empresas nos emprestem um produto, o que pode resultar em um “atraso” de semanas. Leve em consideração também que as nossas análises não são feitas rapidamente. Antes que um texto vá ao ar, nossos redatores utilizam o aparelho por alguns dias, como forma de se certificar daquilo que estão falando.

Smartphones de todas as marcas, pra todos os gostos. (Fonte da imagem: Tecmundo)

Além disso, há uma metodologia para a análise de cada produto, com testes de benchmark obrigatórios e itens que devem ser checados de forma detalhada em nosso laboratório de testes. Quando encontramos um ponto negativo, acredite: testamos diversas vezes até termos a certeza de que, de fato, determinado item podem trazer algum prejuízo para o consumidor.

Um exemplo para você entender melhor: uma das análises mais solicitadas pelos nossos leitores recentemente foi a do smartphone Nexus 5. Lançado em outubro de 2013 nos EUA, tentamos importar um exemplar para a nossa análise. Porém, até hoje ele ainda não chegou por aqui, pois ficou parado na Receita Federal aguardando liberação.

Já no início deste mês, quando o produto foi disponibilizado no Brasil, compramos um novo aparelho para a realização dos nossos testes. Foram duas semanas esmiuçando praticamente tudo o que o aparelho oferece, e o resultado foi a superanálise que publicamos neste mês. Além disso, há o tempo destinado para fotografar o produto e também filmá-lo para a videoanálise que sempre acompanha os textos.

Aliás, análises no estilo superconteúdo, com layout diferenciado, devem se tornar mais frequentes por aqui, em especial com os produtos top de linha.

Por que alguns produtos têm prioridade

Você pode se perguntar: por que alguns produtos têm mais destaque do que outros? É porque preferimos uma marca ou um sistema operacional? Na verdade não é nada disso. Assim como qualquer outra publicação, nós tomamos decisões com base nas preferências dos nossos leitores, pois o número de redatores é limitado e precisamos otimizar melhor nosso tempo e recursos para dar tempo de analisar todos os produtos o mais rápido possível sem que o critério de análise seja comprometido no processo.

Jogos também fazem parte do nosso patrimônio. (Fonte da imagem: Tecmundo)

As matérias mais visualizadas e os temas com maior número de acessos acabam pesando na hora de escolhermos entre um assunto e outro. No caso dos sistemas operacionais mobile, por exemplo, o Android hoje responde por mais de 80% do mercado no Brasil. Por conta disso, é natural que existam mais pessoas esperando esse tipo de conteúdo do que interessados em informações sobre os seus concorrentes.

Caso a situação fosse inversa – suponha que a BlackBerry fosse a líder de mercado –, não tenha dúvidas: daríamos prioridade para ela. O mesmo critério é adotado na escolha do tipo de produto a ser analisado: smartphones, por exemplo, costumam ser mais populares do que tablets e notebooks. Contudo, isso não significa deixar os outros de lado: na medida do possível, procuramos dar atenção para todos.

Voltados para o consumidor final

Graças ao enorme número de leitores que o Tecmundo possui, é natural que tenhamos muitas pessoas especializadas entre aqueles que leem o nosso conteúdo. Alguns leitores nos questionam em alguns casos porque damos uma abordagem mais básica, sendo que é possível rootear um aparelho para melhorá-lo ou fazer o overclock de uma máquina para que ela se saia melhor.

Consoles também recebem nossa atenção. (Fonte da imagem: Tecmundo)

Na prática, sabemos que isso é possível. Entretanto, também sabemos que a grande maioria dos consumidores acaba utilizando o aparelho, seja ele qual for, da maneira que o recebe do fabricante. Por conta disso, nossas análises são focadas no consumidor médio, e sempre deixamos claro para qual perfil de consumidor um aparelho é destinado.

Um smartphone de R$ 2.500, embora possa ser excepcional em termos de desempenho, não é o melhor e nem o mais indicado para quem utiliza pouco os seus recursos. Da mesma forma, um aparelho de R$ 800 pode ser a opção mais indicada para quem busca uma boa relação custo-benefício e acaba se tornando “melhor” do que um celular mais moderno.

Eu não sabia, agora eu sei

Queremos ouvir a opinião de vocês. Há alguma análise de um aparelho lançado recentemente que nós não publicamos e vocês gostariam de ler? Sempre procuramos ir atrás daqueles que são mais pedidos ou procurados pelos nossos leitores. Como você já deve imaginar, comprar todos os celulares, tablets, notebooks e GPUs que saem é algo inviável. Entretanto, estamos sempre em contato direto com as empresas para que possamos receber os produtos por empréstimo para análises.

Ao final dos nossos posts, temos um espaço ainda em que os leitores podem reportar eventuais erros – que acontecem, somos humanos – postados em nossas análises. As mensagens enviadas por ali são recebidas diretamente pelo redator e não tenha dúvidas de que elas serão verificadas em breve.

Nós escolhemos todos: quanto mais, melhor! (Fonte da imagem: Tecmundo)

Por fim, não fique com dúvidas: se um determinado ponto de um texto ou de uma análise não ficou claro para você, deixe a sua pergunta nos comentários. Sempre que possível os redatores respondem diretamente as dúvidas dos usuários diretamente no post ou no canal do YouTube. Nossa proposta é sempre a de auxiliar a consumidor tirando suas dúvidas sobre um produto e não impor uma opinião dizendo se você deve ou não comprar um aparelho.

O Tecmundo possui um volume muito grande de informações publicadas e nem sempre é possível responder a todos, mas fazemos o possível para atender nossos leitores da melhor maneira. E mais importante: ao ler uma análise de produto no Tecmundo, seja ele qual for, tenha a certeza de que ela foi feita da maneira mais transparente possível e sem nenhuma interferência externa.

Ainda ficou com dúvidas? Não hesite em perguntar, será um prazer respondê-los.

Cupons de desconto TecMundo: