Um tablet especializado na leitura de livros, revistas e quadrinhos. É com essa proposta que o Kobo Arc foi lançado em outubro de 2013 pela Livraria Cultura, representante oficial da marca no Brasil. Com um visual que lembra muito os eReaders com a mesma marca, o gadget equipado com uma versão modificada do Android 4.1 compete com dispositivos como o Nexus 7 e o Galaxy Tab 3 pela atenção dos consumidores.

O uso da marca Kobo significa que o produto já vem pré-configurado com diversos aplicativos que promovem a leitura de títulos disponibilizados na loja virtual da empresa. No entanto, o gadget não restringe as opções do consumidor permitindo o acesso ao catálogo completo de aplicativos disponíveis através do sistema Google Play.

Tivemos a oportunidade de passar alguns dias com o Kobo Arc e, neste artigo, trazemos a você tudo o que é preciso saber sobre ele. Confira nossa análise e, após a leitura, registre sua opinião sobre o tablet de 7 polegadas em nossa seção de comentários.

Especificações técnicas

Testes de benchmark

Contrariando a tradição de nossas análises, só pudemos exibir testes de desempenho resultantes do uso dos softwares AnTuTu 4.1.7 e do Vellamo 2.0.3. Essa limitação se deve ao fato de o aparelho simplesmente deixar de funcionar durante o uso de apps como o 3DMark e o Basemark X, o que impediu nossa equipe de utilizá-los como base para a transmissão de uma impressão mais completa do que é possível esperar do tablet no quesito performance.

Aprovado

Desempenho competente

Como é possível observar em nossos benchmarks (respeitadas as devidas variações que testes do tipo tendem a apresentar), o Kobo Arc possui um desempenho bastante semelhante àquele oferecido pelo Nexus 7. Na prática, isso quer dizer que o produto mostra um desempenho bastante competente para um dispositivo de sua categoria.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Embora o dispositivo não seja capaz de rodar jogos pesados com gráficos elaborados em nível máximo (o que está longe de ser sua intenção), é possível utilizá-lo muito bem tanto para propósitos de entretenimento quanto na realização de tarefas como compor textos, enviar mensagens de email ou navegar pela internet.

Levando em consideração que estamos falando de um produto da linha Kobo, não é de se espantar que o aplicativo de leitura da empresa se mostre bastante competente. Nossa única reclamação nesse sentido está o fato de que a tela de 7 polegadas do Arc pode tornar complicado a leitura de alguns quadrinhos, especialmente aqueles que estão recheados de falas escritas em fontes pequenas.

Já no quesito jogos eletrônicos, não há do que reclamar em relação ao tablet, especialmente quando se leva em consideração o que ele tem a oferecer. Enquanto títulos populares como Angry Birds rodam sem problema no aparelho, é possível submetê-lo a games mais pesados como Dead Trigger 2 sem que isso signifique ter que enfrentar lentidões ou quedas de desempenho notáveis.

Design que transmite resistência

Contrariando a tendência estabelecida pelo mercado de que tablets devem ser aparelhos extremamente finos, o Kobo Arc aposta em um design que prioriza a resistência. Isso se traduz em um gadget com uma borda lateral grossa e uma borda de tela que fica em um nível ligeiramente superior ao display em si.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Em sua parte frontal, o dispositivo apresenta duas saídas de som stereo e uma câmera frontal para a realização de videochamadas através de apps como o Skype (que já vem pré-instalado). Já em sua parte superior, há somente o botão para ligar ou desligar o produto, enquanto o controlador de volume e a entrada para fone de ouvido estão localizados à direita da tela (quando se utiliza o gadget no modo paisagem).

Um ponto inusitado é a proteção traseira do dispositivo, que conta com algumas reentrâncias destinadas a permitir segurá-lo com maior firmeza. Também chama a atenção o fato de a tampa traseira do tablet poder ser removida, algo que não só permite o acesso direto à sua bateria como possibilita trocar a cor do aparelho (o que exige investir em acessórios vendidos à parte pela Kobo).

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

O Arc transmite a sensação de se tratar de um aparelho resistente que não vai ser facilmente danificado por nenhuma batida ou queda acidental, o que apresenta seus contrapontos. Além de o gadget não ser exatamente bonito quando comparado a outras opções do mercado, seu peso avantajado contribui para tornar cansativa a experiência de manuseá-lo com somente uma mão.

Android modificado na medida certa

Embora normalmente modificações no Android impliquem aparelhos com desempenho reduzido e um sistema de uso que pouco ganha no processo, a Kobo acertou ao bolar a interface modificada do Arc (batizada como “Tapestry”). A maior alteração fica por conta da eliminação do sistema de pastas, que é substituído por algo batizado pela fabricante como “Galerias”.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Atuando como uma espécie de hub de acesso secundário, esse recurso permite criar agrupamentos temáticos de atalhos e widgets de maneira intuitiva. O tablet vem acompanhado por agrupamentos destinados à leitura, entretenimento e redes sociais, porém nada impede que você os apague e os substitua por outros tipos de conteúdos mais condizentes com seu gosto pessoal.

Algo que permanece inalterado durante a navegação pelos menus do aparelho (a não ser quando se abre o campo destinado aos aplicativos ou um software é acionado) é a barra “Descobrir”, que fica fixada no canto inferior da tela. Destinado a usuários assíduos dos softwares da Kobo, essa área exibe sugestões de livros digitais e músicas baseadas no tipo de conteúdo que você costuma consumir através do gadget.

Liberdade de fontes

Embora conte com a marca Kobo e venha acompanhado pelos aplicativos de leitura próprios à companhia, o Arc não impede que você consuma conteúdos disponibilizados em locais como a Amazon ou o sistema Google Livros. Oferecendo acesso a todos os apps da loja virtual Google Play, o aparelho em nenhum momento tenta restringir o tipo de conteúdo que você deseja consumir.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Assim, não é preciso se contentar em ter somente um “tablet que funciona como eReader”, e há a possibilidade de que você nem sequer utilize o aparelho para a leitura de livros digitais. Embora isso de certa forma tire a força dos produtos proprietários da fabricante, é admirável o fato de a empresa respeitar o consumidor a ponto de não colocar qualquer espécie de restrição ao que você coloca no tablet.

Essa liberdade também se traduz na possibilidade de instalar modificações que mudam totalmente a interface-padrão do Android — o que inclusive permite deixar de lado o sistema adotado pela própria Kobo. Assim, mesmo que o aparelho conte com uma versão modificada do sistema operacional, não é difícil alterar seu software de forma a deixá-lo mais compatível com seu próprio gosto pessoal.

Bateria resistente

Embora o aparelho não tenha oferecido as 10 horas de reprodução de vídeos prometidas pela fabricante, o Kobo Arc teve um desempenho bom nos testes realizados por nossa equipe. Ao todo, foi possível assistir mais de 8,3 horas contínuas de vídeos em alta resolução hospedados no YouTube, marca respeitável para um aparelho da categoria.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Na prática, isso significa que é possível usar o tablet durante dois ou três dias seguidos sem se preocupar em carregá-lo em uma fonte de energia. Caso você use o aparelho somente para consultar emails e acessar redes sociais, esse intervalo pode ser ampliado tranquilamente para uma semana ou ainda mais tempo.

Reprovado

Tablet para ambientes internos

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Mesmo contando com a tecnologia IPS, voltada a proporcionar um campo de visão mais amplo e um maior conforto em ambientes externos, o Kobo Arc não resiste à exposição direta à luz do sol. Tentar ler algum texto, acessar algum site da internet ou lidar com algum aplicativo sob essas condições é pedir para ter uma experiência desconfortável devido à alta reflexibilidade do painel do tablet, que em nada lembra o que é oferecido pelos eReaders da mesma fabricante.

Faltou um aplicativo matador

A já mencionada liberdade de poder instalar qualquer aplicativo no Kobo Arc faz com que o produto deixe de apresentar uma vantagem que realmente o destaque frente à concorrência (a possibilidade de remover sua proteção traseira não se mostra suficiente para cumprir esse papel). Apesar de sua interface modificada ser interessante, o fato de haver no mercado aparelhos semelhantes com a versão “limpa” (e atualizada) do Android acaba fazendo com o tablet soe somente como “uma opção a mais” frente a outros gadgets bastante semelhantes.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Talvez o único ponto que realmente faça o aparelho se destacar em comparação a competidores como o Nexus 7 e o Samsung Galaxy Tab 3 seja o fato de ele apresentar um modelo com 64 GB de armazenamento interno — algo raro para um produto de sua categoria. No entanto, isso não ameniza o problema de que, em matéria de conteúdo, o gadget não oferece um diferencial que faça você querer investir nele em vez de comprar um de seus competidores mais baratos.

Vale a pena?

Apesar de ser vendido como um tablet especializado na leitura de livros, felizmente o Kobo Arc mostra que consegue realizar muitas tarefas além dessa. Apresentando um tamanho compacto e um visual facilmente identificável (que, reconhecemos, não deve agradar a todos pela espessura de suas bordas laterais), o dispositivo se mostra um bom concorrente a aparelhos como o Nexus 7 e até mesmo o iPad Mini.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Apresentando uma interface própria interessante, o aparelho chama a atenção por garantir acesso irrestrito a todos os conteúdos da loja Google Play. Com isso, é possível instalar praticamente qualquer aplicativo compatível com o Android e até mesmo modificar a forma como o aparelho funciona, deixando-a mais próxima do visual-padrão do sistema operacional.

O produto só peca por não trazer nenhuma característica matadora que realmente o diferencie de seus concorrentes diretos, o que faz com que ele dependa quase que exclusivamente do nome Kobo para chamar a atenção dos consumidores. No entanto, esse acaba se mostrando um detalhe pequeno frente às qualidades oferecidas pelo produto, que, no geral, se apresenta uma boa opção para quem deseja investir em um tablet de 7 polegadas.

Cupons de desconto TecMundo: