(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Já faz algum tempo que a AMD vem usando o slogan “o futuro é a fusão” e, para isso, ela apostou na ideia de juntar processador e chip gráfico em um único componente: a APU.

A ideia da APU (Unidade de Processamento Acelerado) é oferecer desempenho na medida com preço aceitável, servindo tanto para processamento geral quanto para jogos.

Bom, depois de impressionar com suas primeiras APUs, a fabricante agora traz a nova geração de chips baseada na arquitetura Piledriver e nos enviou uma das melhores APUs da série Richland para análise.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Neste artigo, vamos conferir de perto como este chip se comporta em tarefas comuns e, principalmente, em diversos cenários de jogos de alta qualidade. Antes de partirmos para os testes, vamos conferir as especificações e mais alguns detalhes sobre as tecnologias da APU AMD A10-6700.

Especificações

  • Processador: AMD A10-6700
  • Arquitetura: Piledriver
  • Fabricação: 32 nm
  • Núcleos: 4 (Richland)
  • Threads: 4
  • Cache L2: 2 x 2 MB
  • Cache L3: não possui
  • Frequência: 3.700 MHz
  • Turbo: 4.300 MHz
  • TDP: 65 W
  • Temperatura máxima: 71,3 °C
  • Memória máxima suportada: DDR3-1866
  • Canais de memória: 2
  • Instruções do processador: MMX, SSE, SSE2, SSE3, SSSE3, SSE4, SSE4.1, SSE4.2, SSE4a, AES, ABM, AVX, BMI1, F16C, FMA3, FMA4, TBM, XOP, AMD64, VT, EVP e Turbo Core 3.0
  • Chip gráfico: AMD Radeon HD 8670D
  • Frequência: 844 MHz

Máquina de testes

Para realizar esta análise, montamos uma máquina bem básica com alguns componentes que já tínhamos em nosso escritório. O Windows utilizado é uma versão de testes, mas ele funcionou perfeitamente para nossos fins.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

  • Placa-mãe: GIGABYTE F2A85XM-HD3
  • Cooler: padrão da AMD
  • Fonte: Corsair CMPSU-850AX
  • Disco rígido: Western Digital WD 1600AAJS – 160 GB (7.200 RPM)
  • Memória: AMD Entertainment 8 GB DDR3 (2 x 4GB) 1.600 MHz 
  • Sistema: Windows 8 Enterprise
  • Driver: Catalyst 13.4
  • Placa de vídeo: AMD Radeon HD 6670 com 1 GB GDDR5

Como você pode conferir, usamos uma placa de vídeo adicional em nossas verificações. Entretanto, ela não foi utilizada a todo tempo. Em alguns jogos, realizamos três tipos de testes: um com o chip gráfico da APU, outro com o recurso CrossFire Dual Graphics e outro apenas com a placa de vídeo offboard.

Essas múltiplas etapas da análise nos permitiram descobrir o real desempenho da APU, as vantagens da união dos dois chips e os resultados possíveis apenas com a Radeon HD 6670. Agora, chega de papo e vamos conferir como essa máquina se comportou nos principais jogos.

Street Fighter IV Benchmark

O benchmark de Street Fighter IV é um software bem interessante para quem deseja executar um teste rápido sem ter que instalar o jogo completo. Com algumas lutas pré-programadas e diferentes personagens, este teste nos permite ter uma boa ideia do desempenho geral do PC ao executar o game.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Apesar de já ser antigo e não impressionar tanto pelos visuais, Street Fighter IV requer grande poder da CPU e da GPU. Em um teste que realizamos com o processador Intel Core i5-3450 (que conta com uma Intel HD Graphics 2500), mesmo em 720p com recursos desativados, o game da Capcom rodou com uma taxa de frames abaixo dos 60 fps — sendo impossível jogar.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

No caso da APU AMD A10-6700, não tivemos problemas para rodar o jogo em 1080p e com vários filtros e efeitos habilitados. O chip dá conta do recado perfeitamente quando o anti-aliasing está desligado. Não executamos este teste em CrossFire ou com a GPU offboard. Confira os resultados da APU em diferentes situações:

Resident Evil 6 Benchmark

O famoso jogo de zumbis também tem um benchmark específico para que os jogadores testem a capacidade de seus PCs antes de adquirir o jogo. Em diversas análises, usamos este software para verificar o poderio do chip gráfico e achamos que seria sensato mostrar como esta APU da AMD trabalha com este game.

Rodamos o benchmark em três situações diferentes. A primeira (em 720p com todos os recursos em nível baixo) serviu apenas para termos noção de que ela era capaz de rodar o jogo. Depois, ainda em 720p, habilitamos o anti-aliasing e configuramos a qualidade das sombras, das texturas e do monitor para o nível alto.

Ampliar (Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

A APU nos surpreendeu mostrando capacidade para reproduzir o jogo com uma taxa de frames satisfatória em 720p. Infelizmente, seja com o nível de detalhes no alto ou no baixo, ela ainda não dá conta da jogatina em 1080p.

Final Fantasy XIV Benchmark

Final Fantasy é um jogo bem recente que mostra ambição com seu universo repleto de detalhes e monstros gigantes. O benchmark do game é bem curto, mas testa o potencial do PC em diferentes situações. Novamente, testamos o título em diferentes configurações.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Assim como aconteceu em Resident Evil 6, neste Final Fantasy, a APU AMD A10-6700 não mostra poder suficiente para rodar o jogo em 1080p com todos os detalhes ativados. Desativando alguns deles, o game já roda com desempenho satisfatório. Todavia, os melhores resultados para uma experiência de jogo melhor só aparecem em 720p com detalhes em nível médio.

Unigine Heaven Benchmark e Unigine Valley Benchmark

Os testes de gráficos da Unigine são muito utilizados para analisar placas de vídeo, por isso achamos justo executá-los na APU da AMD para averiguar o desempenho do chip gráfico em visuais mais ousados. Por se tratar de um componente modesto, reduzimos os detalhes para o nível Low, desabilitamos o anti-aliasing e o tessellation.

As duas verificações efetuadas foram realizadas na resolução de 720p, sendo que a única diferença entre elas consistiu na versão do DirectX. Para obter resultados precisos, usamos o benchmark padrão (em que os programas executam uma série de animações automaticamente).

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Como você pode ver, o chip AMD Radeon HD 8670D é perfeitamente capaz de trabalhar com gráficos ousados e manter uma taxa de frames aceitável. Aparentemente, esta APU trabalha melhor com a tecnologia DirectX 11.

PCMark e 3DMark

Os últimos benchmarks que executamos foram os testes da Futuremark. No PCMark, nossa configuração obteve uma pontuação total de 2326 PCMarks points (um pouco abaixo de um  Intel Core 2 Quad Q6600 ou de um AMD Phenom II X4 840). É uma pontuação razoável e mostra que este chip dá conta da maior parte das atividades do cotidiano.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

O novo 3DMark conta com uma bateria de testes bem ampla, analisando o potencial gráfico, desempenho com partículas de Physics e a performance combinada. São três verificações: ICE STORM, CLOUD GATE e FIRE STRIKE. A APU AMD A10-6700 mostrou excelentes resultados nos dois primeiros, mas sofreu para executar o FIRE STRIKE (a taxa de frames chegou a cair para 1 ou 2 fps em alguns momentos).

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Aliens vs. Predator

Depois de tantos benchmarks, vamos conferir como o AMD A10-6700 se saiu na execução de alguns jogos, afinal esta é a parte que realmente importa. Para começar, testamos o game Aliens vs. Predator com os detalhes no nível Very High com o DirectX 11.

Executamos a mesma cena do jogo em três configurações: 720p (1x AA / sem AF / sem tessellation), 720p (4x AA / sem AF / com tessellation) e 1080p (4x AA / sem AF / com tessellation).

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

O chip AMD A10-6700 mostrou poderio para trabalhar em 720p com a qualidade Very High. Tanto com recursos ativados quanto sem configurações avançadas, o processador gráfico apresentou bom desempenho. Apesar disso, devemos salientar que as taxas mínimas de frames quando o anti-aliasing está habilitado podem incomodar na hora do tiroteio.

O CrossFire Dual Graphics com a placa AMD Radeon HD 6670 faz uma diferença significativa. As duas GPUs trabalham muito bem em conjunto e apresentam boa jogabilidade até mesmo em 1080p com filtros e recursos habilitados. Nesse game, usar apenas a placa de vídeo offboard não garante resultados tão bons quanto o CrossFire.

Batman: Arkham City

Conforme mostramos no artigo “11 jogos de PC que são mais leves do que você imagina”, o jogo do Homem-Morcego pode rodar até mesmo em chips gráficos mais básicos. Ao executar o título na APU AMD A10-6700, pudemos desfrutar de visuais com qualidade “Alta” (sem anti-aliasing e com DirectX 9) e jogar perfeitamente até mesmo na resolução de 1920x1080 pixels.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Ao ativar os detalhes no nível “Extremo” e habilitar o anti-aliasing em 8x, a APU não consegue dar conta do recado. O problema pode ser solucionado com o CrossFire ou uma placa de vídeo offboard. Aliás, ficamos perplexos ao observar que, aparentemente, o jogo do Batman não consegue aproveitar o desempenho dos dois chips gráficos.

Nos três testes executados, tivemos taxas de fps muito semelhantes. Levando em conta a margem de erro, podemos considerar que os dois se igualam e, portanto, seria possível rodar o jogo nessa qualidade com a mesma placa gráfica offboard e com o uso de outro processador.

Hitman: Absolution

O mais recente game do Agente 47 não é tão leve quanto parece (por sinal, é um dos jogos que testamos em chips gráficos mais fracos e não obtivemos desempenho satisfatório). No caso do AMD A10-6700, o jogo exige muito poder do componente gráfico e do processador, mas é possível aproveitar o título perfeitamente na resolução de 720p.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Algo curioso neste teste é que a placa de vídeo offboard conseguiu melhores resultados do que o uso de dois chips gráficos em CrossFire. Talvez, a utilização da memória DDR3 do sistema tenha impactado no desempenho, visto que a AMD Radeon HD 6670 usa memória GDDR5 e pode ter maior velocidade no carregamento das texturas.

Metro 2033

Jogos de FPS são excelentes para testes de desempenho, e Metro 2033 é um dos títulos mais comuns nessas situações. Nessa verificação, tivemos deixar todos os detalhes no mínimo, visto que o jogo é pesado. Já esperávamos que o AMD A10-6700 pudesse dar conta do recado, mas não imaginávamos que ele seria capaz de rodar o jogo até mesmo em 1080p.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Aqui, novamente, notamos que a Radeon HD 6670 e o uso do CrossFire Dual Graphics mostram resultados quase idênticos. Possivelmente, quando a placa offboard está ativada, o jogo ignora o chip embutido na APU. Ao usar a placa extra, você pode até ativar alguns recursos e obter melhores resultados visuais.

Total War: SHOGUN 2

Para finalizar nossa bateria de testes, apelamos para um jogo mais pesado. Total War: SHOGUN 2 é um título que abusa do computador ao carregar cenários gigantescos repletos de detalhes. Antes de entrar no jogo, é possível executar uma série de benchmarks, e foram esses testes que realizamos para ter uma média precisa do desempenho com o jogo.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Como você pode ver, é possível rodar o game sem grandes problemas na resolução de 1280x720 pixels. O uso do CrossFire com o DirectX 11 ativado dá uma boa diferença de desempenho. Nenhuma configuração rodou o teste em 1080p satisfatoriamente e a APU não foi capaz de rodar este benchmark.

O mais curioso, contudo, é que SHOGUN 2 também testa o desempenho geral do processador. O game necessita de poder da GPU e da CPU separados. O chip gráfico geralmente cuida dos grandes elementos de cenário e o processador atenta para detalhes como o movimento dos personagens.

(Fonte da imagem: Divulgação/SEGA)

Independente da configuração, notamos que o processador não tem poder suficiente para rodar o jogo decentemente. Você tem todo o cenário funcionando a mais de 30 fps em 720p, mas os personagens parecem gifs com movimentos travados. O problema mesmo é a falta de desempenho do processador (algo que já havíamos constatado no PCMark).

Temperaturas

Finalmente, para concluir nossa análise, queremos mostrar as temperaturas máximas que presenciamos durante todos esses testes. Por se tratar de um componente que realiza quase todo o trabalho pesado, pensávamos que este AMD A10 poderia esquentar além do normal. Todavia, mesmo contando apenas com um cooler básico, esta APU não esquenta muito.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Como você pode ver, em nenhum momento ela chega aos 60 °C. Com o chip gráfico desligado, a APU chega no máximo a 42 °C nos games e softwares mais pesados. No dia a dia, não é preciso se preocupar muito com isso, pois este chip gerencia a energia e a frequência com inteligência.

Vale a pena?

Com certeza! A AMD A10-6700 é uma APU que impressiona pelo poderio gráfico e que pode atender de maneira eficiente às atividades do cotidiano (navegação, edição de imagens, reprodução de vídeos e o que mais você quiser fazer).

Em nossos testes, ficou claro que ela, sozinha, é mais do que suficiente para rodar quase todos os jogos (com exceção de SHOGUN 2). Este chip da AMD provou ser robusto para executar os games com resolução HD (720p) e até mesmo com alguns filtros e recursos adicionais ativados.

Infelizmente, esta APU não é capaz de trabalhar com jogos pesados em 1080p, mas com a aquisição de uma placa de vídeo offboard (compatível com o CrossFire Dual Graphics) você pode aproveitar gráficos ainda mais bonitos.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Atualmente, é difícil encontrar o produto no Brasil, o que dificulta sabermos o preço real dele por aqui. Ao pesquisar no Buscapé, encontramos a AMD A10-6800k (modelo superior ao que testamos) por valores próximos de R$ 450.

Assim, se consideramos que a A10-6700 pode custar algo próximo dos 400 reais, podemos dizer que compensa muito investimento, pois você obtém um processador de boa qualidade com capacidade para rodar games e o preço de uma placa de vídeo básica. Enfim, gostamos muito da APU e damos nossos parabéns à AMD, que fez um ótimo trabalho!

Este produto foi cedido para análise pela AMD.

Cupons de desconto TecMundo: