(Fonte da imagem: Divulgação/Turtle Beach)

O headset EarForce DPX21 da Turtle Beach não se trata de um único produto, mas sim da combinação de dois dispositivos consagrados produzidos pela companhia. Ao já tradicional fone de ouvido PX21, a empresa adicionou o processador Dolby Surround EarForce DSS, que amplifica a capacidade sonora dos aparelhos conectados a ele.

Tivemos a oportunidade de passar pouco mais de uma semana com o produto e o testamos em combinação com o PC, o Xbox 360 e o PlayStation 3. Neste artigo, você confere uma análise completa sobre os dispositivos e confere qual o nosso veredito quanto às vantagens e desvantagens trazidas por ele.

Aprovado

Design de construção

Embora a primeira impressão deixada pelo EarForce DPX21 não seja muito positiva, devido ao acabamento plástico do dispositivo, basta lidar com ele por alguns minutos para que esse julgamento se mostre errado. O produto se mostra bastante resistente e maleável, o que permite ajustá-lo facilmente à cabeça sem que seja necessário fazer força para que isso ocorra.

(Fonte da imagem: Divulgação/Turtle Beach)

O headset se encaixa de maneira firme às orelhas, o que pode dar a impressão de que ele vai incomodar depois de algum tempo. No entanto, durante os testes realizados, ficamos com o dispositivo na cabeça durante horas sem que ele provocasse qualquer espécie de desconforto.

Outro ponto que chamou a atenção foi o microfone maleável, que se ajusta muito bem a qualquer formato de rosto. Nos momentos em que esse recurso não se mostra necessário, é possível deixá-lo em uma posição fixa que em nenhum momento atrapalha o uso dos fones de ouvido.

Processador EarForce DSS

Embora seja possível utilizar o headset usando somente uma conexão USB e uma entrada P2, recomendamos utilizá-lo junto ao processador EarForce DSS. Para isso, será preciso contar com uma entrada de áudio digital, algo que está presente em todos os modelos do PlayStation 3 e na versão S do Xbox 360 (nas demais variações do console, é preciso utilizar acessórios específicos para que isso seja possível).

(Fonte da imagem: Divulgação/Turtle Beach)

O uso do dispositivo faz uma diferença brutal na qualidade sonora que você vai obter com o fone de ouvido, oferecendo uma experiência 7.1 surround excelente. Em jogos como The Last of Us, essa configuração contribui para fazer com que você se envolva ainda mais no que está passando em sua tela. Já em jogos FPS, como Call of Duty: Black Ops 2, os graves mais pronunciados ajudam você a detectar o posicionamento de seus adversários.

Vale notar que, sem o processador EarForce DSS, o DPX21 continua entregando uma qualidade sonora respeitável, podendo ser utilizado sem qualquer espécie de restrição. No entanto, a diferença proporcionada pelo acessório que acompanha o pacote é tanta que você não vai querer deixar de usá-lo.

Ajustes ao alcance da mão

Um dos pontos que ajudam o DPX21 a proporcionar uma experiência de uso confortável é o fato de ele contar com um controlador de volume diferente do usual. Em vez de simplesmente modificar a intensidade geral da mídia que está sendo acessada, você pode ajustar detalhes específicos do microfone e dos graves do aparelho.

(Fonte da imagem: Divulgação/Turtle Beach)

Além disso, o controlador permite que você desligue completamente a função de conversas por voz (algo ótimo para evitar que outros escutem sons do ambiente em que você está) e até mesmo desabilite o processador Dolby Surround que acompanha o pacote, embora não vejamos motivos para que alguém queira fazer isso.

Por fim, também é possível realizar a conexão direta do controle do Xbox 360 ao dispositivo, o que facilita o acesso a conteúdos da LIVE. Para facilitar o processo de configuração, o produto conta com indicadores claros que ajudam a compreender a função realizada por cada uma das opções que ele oferece ao consumidor.

PC, Xbox 360 ou PlayStation 3

Um ponto que geralmente passa batido na hora de escolher um headset, mas que merece destaque no caso do EarForce DPX21, é o fato de o produto ser compatível com as principais plataformas do mercado (deixando de lado somente o Wii e o WiiU). Com isso, o produto ganha uma versatilidade que não é vista em linhas produzidas por concorrentes como a Razer.

(Fonte da imagem: Divulgação/Turtle Beach)

O que mais chama a atenção não é somente a compatibilidade do headset com várias plataformas, mas sim a facilidade de instalação em cada uma delas. Basta seguir o manual fornecido pela fabricante para, em questão de poucos minutos, poder aproveitar toda a qualidade sonora oferecida pelo produto.

Um dos pontos importantes a se notar no PC é o fato de que o dispositivo nem sempre se mostra compatível com emuladores virtuais de som surround. Exemplo disso é o Razer Surround, que pode conflitar com as configurações do produto — logo, é recomendado desinstalar ou desabilitar softwares do tipo para evitar problemas na hora de usar o fone de ouvido.

Reprovado

Cabos para todos os lados

Um ponto que pode incomodar no uso do EarForce DPX21 é o fato de o produto acompanhar uma grande quantidade de cabos que podem bagunçar toda a sua sala de estar ou a mesa de seu computador. Não só o headset conta com dois cabos que se conectam ao processador surround, como este apresenta outros dois cabos que se encaixam a seu console ou computador.

(Fonte da imagem: Divulgação/Turtle Beach)

Devido ao grande comprimento das conexões utilizadas, não é comum que uma delas acabe se enroscando em algum objeto ou sirva como uma armadilha para fazer alguma pessoa desatenta tropeçar. Embora a grande quantidade de cabos seja o que garante a qualidade sonora do produto (e permite usá-lo a grandes distâncias da televisão), a Turtle Beach poderia ter pensado em alguma maneira melhor de organizá-los.

Som para toda a casa ouvir

Caso você seja daqueles que usa fones de ouvido para não incomodar as pessoas ao redor, então é melhor nem pensar em usar o DPX21 em sua intensidade máxima. O dispositivo não possui qualquer tecnologia que impeça que as pessoas ao redor ouçam os sons de seus jogos e vídeos favoritos, o que pode provocar alguns constrangimentos.

Felizmente, o dispositivo não apresenta qualquer espécie de distorção mesmo quando você abusa de suas capacidades (contanto que a fonte utilizada possua uma boa qualidade). No entanto, só recomendamos testar isso em um ambiente controlado, no qual não haja o risco de que outros ouçam o que você está ouvindo mesmo sem querer que isso aconteça.

Preço pouco amigável

Embora o EarForce DPX21 seja relativamente barato quando se leva em consideração sua capacidade 7.1, isso não quer dizer que o produto seja exatamente acessível em território brasileiro. Enquanto nos Estados Unidos o dispositivo é vendido por US$ 149,99, em nosso país é possível encontrá-lo por valores que variam entre R$ 469 e R$ 829.

(Fonte da imagem: Divulgação/Turtle Beach)

Mesmo nos locais em que é possível encontrar o headset por um preço mais acessível, ele ainda exige um investimento considerável. Apesar de apresentar uma qualidade surpreendente, é preciso pensar bem antes de investir mais da metade de um salário mínimo para levar o produto para casa.

Vale a pena?

Apesar de ter pequenos problemas, o headset EarForce DPX21 da Turtle Beach se mostra um ótimo investimento. O destaque vai para o processador Dolby Surround 7.1, que se provou capaz de oferecer uma experiência sonora impressionante, especialmente em games nos quais a trilha de fundo e os sons ambientes são indispensáveis para criar um clima de tensão.

Caso você esteja procurando um fone de ouvido completo, que funciona perfeitamente tanto no PC quanto no PlayStation 3 e no Xbox 360, não é preciso procurar em outro lugar. O grande problema é só conseguir lidar com os altos custos do produto, que se mostra pouco amigável para o bolso da maioria das pessoas.

Cupons de desconto TecMundo: