Quando a Panasonic entregou o Toughbook na redação do Tecmundo, não houve quem ficasse indiferente à máquina. Basta olhar para o produto para ter certeza de que ele não é um notebook comum, desses que alguém compraria para usar no conforto do lar ou na segurança de um escritório.

Para começar, o nome toughbook remete ao verbete tough, que em português quer dizer “durão”, “robusto”, “forte” ou “resistente”. Com dimensões muito maiores do que a dos notebooks atuais, essa máquina foi desenvolvida para sobreviver aos ambientes mais hostis e chega a aguentar temperaturas extremas, quedas, pancadas e até mesmo uma chuva forte ou poeira em excesso.

(Fonte da imagem: Divulgação/Panasonic)

Não é à toa que os usuários do Toughbook 19 são militares, policiais, bombeiros, agrônomos, geólogos e outros tipos de profissionais que precisam levar uma máquina confiável para campo aberto, sem se preocupar demais com a integridade do aparelho. E, como se não bastasse, o toughbook se transforma facilmente em um tablet.

Portanto, esta não é uma análise comum de notebook, em que o produto ganhará pontos por ser fino e elegante. Características como essas arruinariam o propósito de um toughbook. Em contrapartida, prepare-se para ver uma sequência de testes nunca antes mostrada no Tecmundo, com direito a uma verdadeira sessão de tortura em um equipamento bastante caro.

Com isso dito, vamos aos aspectos técnicos do Panasonic Toughbook 19.

Especificações

Aprovado

Customização

Uma característica muito importante do Toughbook 19 é o fato de que ele pode ser personalizado durante a compra, sendo que o consumidor pode comprar mais memória RAM ou espaço de armazenamento, assim como optar por SSD em vez de disco rígido e até mesmo módulos de conexão 3G ou GPS embutidos.

Obviamente, tudo isso possui um custo extra no preço final do produto, mas a possibilidade de customizar as especificações técnicas faz com que esse toughbook esteja pronto para atender diferentes tipos de consumidores. O suporte local fornecido pela empresa também pode ajudar o cliente a identificar suas necessidades.

Toughbook que vira tablet

Quem levar o Panasonic Toughbook 19 para o trabalho estará carregando não apenas um notebook robusto, como também um tablet. Basta deslizar uma trava próxima à tela para que ela possa ser rotacionada e o computador se transforme em um dispositivo touchscreen com Windows 7.

(Fonte da imagem: Divulgação/Panasonic)

Vale a pena notar que, neste caso, o touchscreen resistivo não é um ponto negativo, mas sim uma questão estratégica. Como esse tipo de equipamento será usado em ambientes hostis, as mãos sujas ou molhadas de quem os opera poderia confundir uma tecla capacitiva, que funciona com a interação por elétrons. Uma caneta stylus está presente no Toughbook 19 para facilitar o manuseamento do “tablet”.

Certificações de resistência

O Panasonic Toughbook 19 foi aprovado em dois importantes padrões que comprovam sua resistência. O primeiro deles é o MIL-STD-810G, uma série de exigências feita pelas forças armadas americanas para garantir que um equipamento sobreviva às condições mais adversas, como quedas de uma altura de até 1,80 metro, resistência a impacto, vibração, chuva, poeira, congelamento, descongelamento, calor excessivo, umidade etc. Esse é o primeiro tablet PC a obter essa certificação.

Como se não bastasse, o equipamento também está de acordo com as normas da certificação IP65, que garante que o computador evita totalmente a presença de poeira em seu interior e que suporta o derrame de água sobre o equipamento, de qualquer ângulo. Isso significa que o Panasonic Toughbook 19 pode ser usado tanto no deserto quanto sob uma forte chuva sem apresentar problemas.

Resistência a impactos

O Panasonic Toughbook 19 pode cair, mesmo estando ligado, de uma altura de até 90 centímetros e sobreviver à queda. Quando desligado, esse limite sobre para 1,80 metro. São diversas as tecnologias empregadas para que isso seja possível, mas destaca-se o corpo do toughbook, construído com um plástico super-resistente e liga de magnésio, além de diversas espumas e amortecedores que ajudam a absorver impactos e vibrações sentidos pelo HD.

Derramou água? Sem problemas!

Outro ponto positivo e testado por nós foi o derramamento de água sobre o toughbook enquanto ele estava ligado. Apesar de o líquido ter caído sobre tela e teclado, nada aconteceu. Uma placa que fica logo abaixo das teclas protege os componentes internos da máquina.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

No YouTube, é possível conferir a máquina sendo usada sob condição de muita chuva e funcionando perfeitamente. Também é importante notar como as portas e conectores presentes na máquina são protegidos por tampas de borracha ou com travas duplas, reforçando ainda mais o isolamento.

Conectividade

Além de ter suporte para WiFi e Ethernet por padrão, o consumidor pode optar por um módulo 3G no momento da compra. Além disso, o computador possui conectores extras para antenas externas de GPS e 3G, o que provê uma melhor captação do sinal dessas redes, especialmente em lugares remotos.

De acordo com o press release da empresa, o Toughbook 19 possui uma melhor captação de sinais WiFi e 3G se comparado com outras máquinas. Por isso, levamos o computador junto com um Dell Vostro 3550 para um cantinho do escritório da NZN em que o sinal de WiFi é bastante prejudicado.

Portas e conectores bem isolados por borracha (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

O Vostro 3550 mostrou rapidamente a queda do sinal, mas o toughbook continuou recebendo o WiFi como antes, com os indicadores no máximo.

Tela bem iluminada

Não são raros os usos de um toughbook em situações de iluminação extrema, como em dias de sol muito forte. Por isso, o brilho da tela pode chegar a um nível muito alto, o que, de acordo com o fabricante, torna a imagem visível à luz direta do sol até 6 mil candelas por metro quadrado.

Infelizmente, nos dias em que testamos o computador, o tempo em São Paulo não era dos melhores. Mesmo assim, comparamos a visão da tela do Toughbook 19 da Panasonic com a de um notebook Dell, o Vostro 3550. O resultante foi surpreendente e pode ser facilmente constatado na imagem acima. A visibilidade é muito maior na tela do toughbook.

Brilho do Toughbook 19 é perfeito para ser usado à luz do Sol (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Outra característica da backlight do Toughbook 19 é que ela pode ser ajustada para uma emissão mínima de luz, ideal para operações noturnas de guerra ou patrulhamento, por exemplo, em que qualquer brilho mínimo pode colocar em risco a vida de soldados e agentes.

Modularização e manutenção

Outro ponto positivo, mas desta vez relacionado ao design do aparelho, é o fato de que ele possui componentes modularizados e que podem ser facilmente substituídos pelo suporte técnico da Panasonic. Até mesmo as portas de comunicação funcionam dessa forma e, portanto, se por acaso o conector USB deixar de funcionar, basta trocá-lo.

Vale a pena notar que tanto a bateria quanto o HD do Toughbook 19 são muito fáceis de serem trocados. Portanto, o profissional que precisar substituir essas peças em campo poderá fazê-lo em questão de segundos.

Aguenta o peso de um redator

Uma das promessas do Panasonic Toughbook 19 é a de aguentar 136 quilos de pressão sobre ele, se bem distribuídos. Não chegamos a testar o limite total suportado pelo aparelho, mas podemos garantir que ele aguenta 98 quilos facilmente: este redator acima do peso que vos escreve subiu no computador e o mesmo sobreviveu sem avarias.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Peso leve

Apesar de toda a robustez desse toughbook, ele possui peso equivalente a muito notebook tradicional. Com apenas 2,3 quilos, o modelo da Panasonic não pode ser considerado ruim para ser carregar mundo afora. Uma alça auxiliar também facilita o transporte.

Tecnologia antirroubo

Outro serviço interessante e que pode ser contratado à parte é uma ferramenta de rastreio do Toughbook 19, em caso de roubo ou perda. O software faz parte da BIOS do computador e pode ser uma boa solução para quem tem medo de deixar um equipamento tão valioso à mercê da sorte.

Reprovado

Resolução de tela

Não é fácil encontrar pontos negativos no Panasonic Toughbook 19. O fato de o produto ser voltado para um mercado muito específico torna a máquina bastante especial. Mesmo assim, podemos dizer que a resolução de tela usada pelo computador é bastante baixa para os dias de hoje (1024x768).

Outro ponto que pode proporcionar contratempo é o ângulo de visão da tela, por ser mais limitado, principalmente se comparado com o de um notebook comum, como o Vostro 3550, da Dell.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Usabilidade: teclado e touchpad

Como o Toughbook 19 foi projetado para ambientes hostis, o produto precisa ter um design diferenciado. Se por um lado isso é uma vantagem, por outro ele acaba sendo prejudicado no quesito da usabilidade. O teclado, por exemplo, é bastante “apertado” e chega a lembrar o de netbooks, o que propicia erros de digitação. Além disso, o touchpad da unidade que analisamos não respondia com tanta facilidade ao toque dos dedos e, às vezes, um pouco mais de pressão era necessária para o controle do ponteiro do mouse.

Vale a pena?

Como era de se esperar, um produto como o Panasonic Toughbook 19 possui preço muito alto, por ser voltado para um público muito específico. De acordo com a Rapid Access, esse modelo possui preço que parte de US$ 3,3 mil (cerca de R$ 7 mil), sem impostos, mas pode ser maior de acordo com o hardware e as especificações exigidas pelo comprador. No Brasil, a Panasonic pede para que o cliente consulte o valor com um vendedor especializado.

O preço, aliado ao design robusto do equipamento, faz com que essa não seja uma máquina para qualquer tipo de usuário, tendo um público muito específico: soldados em guerra, policiais ou seguranças que fazem patrulha na rua, agrônomos, geólogos e técnicos que precisam de uma máquina para ambientes extremos e hostis, como desertos, campo, plataformas petrolíferas e outros.

Se esse for o seu caso, a compra do Panasonic Toughbook é bastante indicada. O equipamento passou em nossos testes de stress e os pontos negativos encontrados são pequenos se comparados com todos os prós que a máquina possui.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Em nossos testes, a duração da bateria foi de aproximadamente seis horas. Porém, é preciso ressaltar que essa duração é baseada em uma estimativa média realizada em condições comuns de consumo, como exibição de vídeos, por exemplo.

De acordo com a Panasonic, a bateria do Toughbook 19 pode aguentar até 10 horas ininterruptas. Para que isso seja possível, é preciso garantir que ela esteja em perfeito estado de conservação, já que as baterias perdem a capacidade de carga com o tempo. Outro fator que pode influenciar é o WiFi, que em nossos testes permaneceu desligado.

Apesar do alto investimento inicial, o Toughbook 19 acaba sendo interessante a longo prazo. O uso de notebooks comuns em ambientes hostis não é impossível, porém, com o passar do tempo, é provável que o profissional acabe trocando de máquinas muitas vezes, devido ao acúmulo de poeira, umidade ou até quedas que o aparelho pode sofrer. No caso do toughbook da Panasonic, o investimento alto de início garante que o computador aguentará muito bem esses tipos de condições.

Outra vantagem é o fato de que o Toughbook 19 vem com garantia de três anos, estando acima da média dos equipamentos mais tradicionais do mercado. Como se não bastasse, há mais dois argumentos que favorecem a compra desse computador: a bateria tem garantia de um ano e o suporte técnico é realizado no Brasil, de maneira personalizada.

Cupons de desconto TecMundo: