O N9 foi uma grande empreitada da Nokia, especialmente no quesito design, não há qualquer dúvida sobre tal fato. O lançamento oficial ocorreu em setembro de 2011 e o aparelho está disponível com três opções de cores. A faixa de preço do produto no Brasil está entre R$ 1.394,00 até R$ 1.699,00.

Testamos o Nokia N9 e avaliamos o potencial do dispositivo. O resultado você confere aqui e já pode saber se o gadget vale ou não o investimento.

Especificações

  • Sistema operacional: MeeGo 1.2 "Harmattan";
  • Processador: ARM Cortex A8 single-core (1 GHz);
  • Memória RAM de 1 GB;
  • Armazenamento interno: 16 GB ou 64 GB (somente na cor preta);
  • Tela Capacitiva AMOLED de 3,9 polegadas;
  • Resolução: 480x854 Pixels;
  • Câmera com lente Carl Zeiss de 8 MP VGA;
  • Gravação de vídeos em até 720p HD;
  • Bluetooth: 2.1 com A2DP;
  • Wi-Fi: 802.11a/b/g/n;
  • Possui GPS com instruções de navegação;
  • Dimensões: 116,5 x 61,2 x 12,1 mm;
  • Peso: 135 gramas.

Aprovado

Design

Se a Nokia apostou alto no design do N9, certamente obteve o êxito esperado. Sem sombra de dúvidas, este foi o aparelho da empresa que mais chamou a atenção nos últimos anos, esbanjando elegância. O corpo do celular é revestido por uma peça única de policarbonato com a opção de três cores: preto, azul e cor-de-rosa.

De acordo com a Nokia, o policarbonato é colorido durante o processo de manufatura. Dessa maneira, a cor torna-se mais duradoura e muito resistente aos riscos de marcas à qual está submetida pelo uso diário do aparelho. Os contornos são arredondados e a traseira do smartphone é levemente convexa, para proporcionar um formato ainda mais oval.

Visão geral da frente do aparelho

O acabamento é impecável, com detalhes lembrando aço escovado. O celular não possui um botão frontal ou de "tela inicial". Os únicos botões são os de volume e trava da tela, na lateral direita. Na parte superior do aparelho, você encontra a entrada para o fone de ouvido, o conector USB e o slot para o microSIM (chip da operadora).

Abrir o compartimento do chip pode ser um pouco difícil, especialmente se você tem unhas compridas (pois você aperta e a tampinha "se ergue"). Na parte inferior do telefone há o alto-falante e na traseira se encontra a câmera (embora também haja uma na parte frontal). As demais funções são todas operadas a partir da tela, fazendo com que o N9 seja quase uma peça única no que diz respeito à aparência.

Tela

Embora a tela possua uma resolução um pouco menor do que a do iPhone 4S (480x854 pixels, contra 640x960 do concorrente), ela possui uma área maior, de 3,9 polegadas. A superfície é de ClearBlack AMOLED capacitiva e multitouch, com 251 ppi de densidade (pixels).

A reposta ao toque está perfeitamente adequada ao tipo de tela (não há travamentos ou esperas desnecessárias pela ação solicitada). Além disso, a manipulação do aparelho é uma experiência única: as imagens obtidas no visor aparentam suavidade e leveza, passando a impressão de que tudo parece "flutuar" conforme você aciona os dados pelo toque.

Tela do aparelho

A tela adota como material o Gorilla Glass, fazendo com que, como o restante do aparelho, ela seja muito resistente a rachaduras, além de ser quase impossível de riscar ou arranhar (dispensando as famosas películas protetoras).

Interface

A interface do Nokia N9 é excelente, além de ser muito intuitiva e estar em português (inclusive o teclado). Ela merece ainda mais destaque por ser diferente daquela apresentada pelos grandes SOs do mercado (como Windows Phone, Android e iOs). Ela adota o "Swipe Concept" (ou Conceito Swipe), que consiste em "arrastar" para alternar entre os aplicativos, os menus e as telas.

Se em um primeiro momento pode parecer um pouco intimidador o fato de você não ter "uma tela inicial" ou local para pastas e widgets, com o uso você percebe o quão intuitivo é este mecanismo de funcionamento. Basicamente, ele possui três telas. A primeira é o menu de aplicativos.

A visualização dos apps é na forma de ícones e você pode alternar entre eles arrastando a tela (de baixo para cima ou de cima para baixo). A segunda tela aparece quando você abre os aplicativos (sendo específica para eles). O interessante nessa função é a ideia de "pré-visualização", pois há uma miniatura de cada um (cujo tamanho e a quantidade de apps exibidos podem ser modificados pelo toque).

Detalhe da interface de usuário da Nokia

A terceira tela é responsável por mostrar todas as suas atualizações e notificações. Assim, você não precisa ficar alternando entre janelas ou aplicativos para ver os feeds do Twitter e do Facebook, por exemplo. Para passar de uma para a outra, basta “arrastar” para a lateral.

Da mesma maneira, para atender (ou rejeitar) uma ligação, tudo o que você precisa fazer é "arrastar" a tela ao receber a chamada. Outro aspecto muito interessante da interface é o fato de você não precisar utilizar o botão na lateral para destravar o aparelho: isso pode ser feito com dois toques consecutivos no visor.

Câmera

A resolução da câmera do N9 é de 8 megapixels e com flash dual-LED, o que está de ótimo tamanho para um aparelho celular. A lente é Carl Zeiss e o aparelho possui suporte para geotags (tags geográficas), detecção de rostos, autofoco e "Touch Focus" (foco sensível ao toque). A qualidade das fotografias é excelente, com boa iluminação.

Elas apresentam uma boa quantidade de detalhes, especialmente quando você utiliza o modo macro, porém o modo noturno deixou um pouco a desejar. Nele, a fotografia ficou um pouco desfocada, além da qualidade não ter atingido as expectativas.

Foto tirada com a câmera do aparelho

Bem como usar a câmera para tirar uma fotografia, montar vídeos com o N9 foi muito satisfatório, apesar de a resolução máxima suportada ser de 720p em alta definição (HD) e a 30 fps. Uma funcionalidade interessante é que, como o aparelho possui boa integração com os serviços da Google, você pode enviar um vídeo gravado diretamente para o YouTube.

Aplicativos

Ainda que muitos desenvolvedores não sejam entusiastas do MeeGo, o N9 possui várias opções de aplicativos. Você vai encontrar apps para comunicação e mídias sociais (como Twitter, Facebook, Foursquare, Skype, Ovi Music e navegador, além de integração com o Gtalk), jogos (Angry Birds, Need for Speed Shift, Real Golf 2011 e Galaxy on Fire 2, por exemplo).

Além disso, você ainda pode ter a opção de encontrar programas em português para o aparelho (embora sejam mais escassos) e aplicativos gerais (despertadores, rádios, editores etc.). O navegador interno do aparelho utiliza HTML5 e renderiza as páginas com bastante velocidade, sendo que as mais acessadas são gravadas na tela incial, para agilizar a navegação.

Angry Birds é um dos jogos que já vem instalado no N9

O N9 também vem com um ótimo player de áudio e um de vídeo que, inclusive, é capaz de lidar com AVI e MKV. O alarme (presente na função do relógio) também é muito elegante e fácil de configurar. Com isso, você pode perceber que os aplicativos não estão entre os pontos fracos do smartphone.

Processador

O processador do N9 é capaz de manter vários aplicativos abertos ao mesmo tempo sem travamentos. Embora ele possua uma maneira de fechar os programas abertos, o fato de ele ser capaz de suportar vários rodando ao mesmo tempo sem apresentar problemas é uma das grandes vantagens do aparelho.

Além disso, o processador é robusto (1 GHz e 1 GB de RAM), fazendo com que ele não tenha maiores dificuldades para lidar com jogos (mesmo aqueles um pouco mais pesados).

GPS

O GPS do gadget encontrou a localização de maneira muito rápida, mesmo em um ambiente fechado. Esse é realmente um diferencial apresentado por poucos aparelhos. A inserção de um novo roteiro e o cálculo da distância (bem como das direções a serem tomadas) também foi eficiente, tomando menos do que um minuto.

Imagens do GPS

Reprovado

Bateria

Com relação à grande maioria dos smartphones presentes no mercado, o N9 não deixa a desejar. No entanto, quando você ativa várias funções, em conjunto com o Wi-Fi, a bateria é consumida de forma rápida. Ainda assim, segundo a Nokia, ela é capaz de se manter por até 7 horas de uso intenso do aparelho e 11 horas de ligações e SMS.

Sistema Operacional

O MeeGo, para quem não conhece, é um sistema operacional baseado no Linux. Ele foi concebido por uma parceria da Nokia com a Intel, mas aparentemente não agradou muito ao mercado consumidor. O problema não está no SO em si, mas no fato de a própria Nokia ter deixado o projeto de lado.

A empresa pretende lançar produtos com o Windows Phone 7, e os horizontes do MeeGo parecem não ir muito além do que ele já é. A expectativa de utilizar um aparelho com um sistema operacional descontinuado pode representar a falta de atualização e resolução de bugs e problemas.

Gerenciamento de aplicações

Embora o uso básico da interface seja bem intuitivo, o gerenciamento de aplicativos deixa a desejar. Algumas funções ainda são um pouco mais simples de descobrir como se ativar, como o fechamento de uma aplicação na tela de programas. No entanto, outras podem tomar tempo ou até mesmo necessitar de uma consulta ao manual do aparelho.

Controle de foco

A câmera, de uma maneira geral, funciona muito bem, além de apresentar uma grande riqueza de detalhes quando você utiliza o modo macro. Porém, o controle de foco pode trazer problemas, ao menos nos primeiros usos. Assim como o gerenciamento de aplicações, ele pode não ser tão intuitivo.

Se você estiver utilizando um dos modos de fotografia, para obter o foco é necessário segurar por alguns instantes o botão da câmera – fato que pode fazer algumas pessoas perderem fotos até descobrir esse mecanismo de funcionamento.

Vale a Pena?

O hardware do aparelho é simplesmente impecável. A aparência do smartphone esbanja elegância e bom gosto, além de se tratar de um dispositivo robusto e muito resistente aos riscos do dia a dia. Certamente, ao adquirir um N9 você estará comprando uma peça de muito bom gosto.

No entanto, a Nokia pecou muito ao desenvolver um aparelho tão interessante com um sistema operacional deixado de lado. Talvez, o N9 seja o dispositivo que faltou para a empresa há alguns anos, visto que ela perdeu mercado, pois o lançamento dele poderia ter sido uma grande inovação.

Visão geral do aparelho

Porém, com SOs robustos disponíveis, não parece uma boa escolha optar por um que não terá mais atualizações e nem suporte ou o conserto de bugs. Ainda mais se você pensar na faixa de preço do aparelho (no mercado brasileiro, entre R$ 1.394 e R$ 1.699).

Com isso, parece muito mais interessante esperar pelo Lumia 800 da Nokia, que possui quase o mesmo visual, porém conta com o Windows Phone 7. Da mesma maneira, também vale a pena dar uma olhada em outros produtos como o Galaxy SII ou um iPhone 4S, por exemplo.

Cupons de desconto TecMundo: