Imagem de: AMD: 'precisamos de resolução 16K e 120-240 Hz para uma imersão real em RV'

AMD: 'precisamos de resolução 16K e 120-240 Hz para uma imersão real em RV'

1 min de leitura
Avatar do autor

A AMD tem dado o que falar no começo do ano. Além do anúncio na nova arquitetura Polaris – com uma nova litografia e muito mais eficiência –, a empresa também deu detalhes sobre a adoção do HBM2. Esse é um novo padrão de memória que pode expandir os limites de largura de banda para até 1 TB/s, algo impressionante para os padrões atuais.

Porém, Raja Koduri, vice-presidente sênior e arquiteto-chefe do Radeon Technologies Group, deu declarações igualmente surpreendentes sobre o segmento de realidade virtual. De acordo com o executivo, ainda estamos muito longe de alcançar o auge dessa tecnologia, o que só será possível quando conseguirmos ter resolução 16K com taxas de atualização de 120-240Hz.

"Verdadeira imersão"

“Se você pensar além, quando chegarmos à resolução 16K por 16K, com 120 Hz, você chega em uma taxa de 6 bilhões de pixels por segundo. Nós não vamos chegar lá se dependermos apenas da Lei de Moore. Nós temos que romper barreiras para chegar lá. Este é o objetivo da nossa divisão, chegar na era da imersão”, afirmou Koduri.

O vice-presidente sênior e arquiteto-chefe do Radeon Technologies Group acredita que somente depois que atingirmos essa meta conseguiremos criar uma realidade virtual que realmente se mistura com a nossa realidade. "Verdadeira imersão" é como Koduri chama o nível atingido por uma resolução 16K com taxa de atualização de 120-240 Hz. Quanto tempo demorará para alcançarmos esse patamar?

Você acredita que teremos em nossa década uma verdadeira experiência de imersão? Comente no Fórum do TecMundo!

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
AMD: 'precisamos de resolução 16K e 120-240 Hz para uma imersão real em RV'