Há alguns dias o vice presidente global de canais da AMD, Roy Taylor, participou de uma discussão em um podcast da MaximumPC. O executivo debateu o futuro da indústria de computadores com outros membros importantes do mercado, como o CEO da Origin PCs Kevin Wasielewski.

Roy Taylor começou falando dos novos processadores da linha FX (FX 8370, 8370E e 8320E) e soltou uma notícia animadora para os fãs da marca. Segundo ele, a empresa sabe que a linha FX faz muito sucesso e não pretende abrir mão desses processadores em nome das APUs. Taylor confirmou a produção de uma nova geração de CPUs de alto desempenho, mas não citou mais nenhum detalhe.

Sobre memória DDR4, o executivo afirmou que a AMD pretende oferecer processadores compatíveis com essa tecnologia, mas que por enquanto esse tipo de memória ainda custa muito caro portanto, é preciso esperar até que a relação custo x benefício seja mais atraente para os consumidores. Vale lembrar que a empresa já possui CPUs com DDR4, mas no ramo dos servidores. Assim, não é difícil imaginar que essa tecnologia apareça em breve nas linhas mais tradicionais.

Placas de vídeo mais poderosas: CrossFire com 5 GPUs?

Apesar de não citar nada específico, Taylor “deixou escapar” que a AMD já está trabalhando com a arquitetura de 20 nm para a próxima geração de placas de vídeo. Ainda sobre o assunto, um leitor do site comentou sobre o novo chipset Intel X99 e como ele pode suportar até 5 placas de vídeo ao mesmo tempo e perguntou se a AMD tinha planos de oferecer CrossFire com mais do que 4 placas de uma só vez.

Taylor disse que ficou impressionado com a tecnologia e que, por mais que isso pareça maravilhoso, é um pesadelo em termos de engenharia, hardware e software. Além disso, ter tantas placas de vídeo é impraticável, disse ele.

Contudo, o executivo não descartou a possibilidade, e disse que se houver interesse grande por parte dos consumidores, a empresa vai estudar um jeito de fazer tudo funcionar.

Roy Taylor também falou sobre o FreeSync, a tecnologia de sincronização de imagens da AMD(concorrente do G-Sync, da NVIDIA). Segundo ele, “teremos amostras já no quatro trimestre”. Ele também garantiu que os monitores que utilizam esse recurso estarão disponíveis no mercado logo depois.

A melhor parte disso tudo é que o FreeSync é compatível com o padrão DisplayPort 1.2a. Por ser um padrão aberto, qualquer empresa pode trabalhar com ele e não é necessário ter um hardware especializado como no caso do G-Sync.

Cupons de desconto TecMundo: