Quem escolhe o PC como plataforma para a jogatina, mas não quer deixar a mobilidade de lado, encontra nos notebooks uma alternativa para brincar de qualquer lugar. Porém, por conta da estrutura mais compacta, o consumidor tem que deixar o visual dos jogos no mínimo para rodar bem em aparelhos mais humildes ou desembolsar uma nota para adquirir um produto de ponta – que ainda fica atrás dos desktops mais parrudos. A AMD, no entanto, quer levar o desempenho dos computadores de mesa para os laptops com um novo e poderoso hardware.

A ideia, segundo uma postagem no perfil pessoal de Robert Hallock, funcionário da fabricante, no Facebook, é oferecer uma solução unificada e que tomaria para si toda a árdua tarefa de processar polígonos, modelos, efeitos de luz e sombra e muito mais, deixando o hardware do PC portátil livre para cuidar do resto dos cálculos do game sendo executado. Ao que parece, isso não é um projeto a longo prazo, mas, sim, algo que AMD já está trabalhando no momento. Duvida? Bem, basta ver abaixo a foto da GPU externa, postada pelo próprio executivo.

“GPUs externas são a resposta. GPUs externas com conectores padronizados, cabos, drivers, plug’n’play, suporte a sistemas operacionais, etc”, escreveu Hallock na rede social ao falar da existência de um público que deixaria seus mini PCs ou torres de bom grado se houvesse uma forma fácil de curtir seus jogos em notebooks ultrafinos com uma ótima performance. O projeto, como um todo, não é exatamente novo, mas o fator padronização pode ser o elemento que faltava para alavancar esse tipo de complemento à plataforma.

Hoje mesmo, no mercado de games, existem produtos como o Graphics Amplifier da Alienware e o Dock da MSI, que fazem precisamente o trabalho de ajudar a tornar a jogatina mais fluida e robusta nos computadores portáteis. O problema é que esses periféricos só funcionam com determinados modelos de cada marca, impedindo tanto que você conecte o kit a outras máquinas quanto eliminando qualquer chance de upgrade do módulo de vídeo – uma vez que o conjunto só funciona com a configuração pré-fabricada.

Assim, o diferencial da empreitada da AMD seria justamente permitir que a GPU externa fosse tratada como um hardware comum, com suporte a uma gama gigantesca de combinações de peças e com portas abertas para melhorias no pacote. Afinal, se você resolver trocar um notebook com display Full HD para um capaz de rodar a 4K, vai ser preciso dar uma reforçada no vídeo externo para acompanhar a mudança, não é? Por enquanto, vai ser preciso esperar para ver, já que Hallock indicou que mais notícias sobre o produto virão “muito em breve”.

Você compraria uma GPU externa para o seu notebook humildão? Comente no Fórum do TecMundo!

Cupons de desconto TecMundo: