Durante o processo de fabricação de chips para placas de vídeos, as fabricantes podem encontrar modelos que apresentam certa instabilidade, forçando-as a limitar o poder desses componentes. Isso acontece com todas as empresas – como AMD e NVIDIA – e faz com que elas criem linhas inferiores as quais a placa originalmente foi criada.

Porém, alguns consumidores que possuem essas placas conseguem liberar o poder "adormecido", fazendo com que os componentes trabalhem acima do que foi estipulado pela fabricante. Esse é o processo batizado de "desbloqueio" da placa, algo que geralmente é realizado com a ativação da BIOS de uma placa mais potente. É exatamente isso que está acontecendo com a Radeon R9 Fury Strix, da ASUS, que usa a tecnologia de resfriamento DirectCU III.

O processo de desbloqueio foi realizado pelo usuário do fórum XtremeSystem, no qual ele passou sua placa de 3584 CUs (Computer Units ou Unidades de processamento) para 4096 CUs. Com isso, foi possível fazer com que a Fury Strix obtivesse o mesmo desempenho de uma Fury X, a top de linha da AMD.

Como usuário explica no fórum, as unidades desbloqueadas funcionaram de maneira estável, proporcionando o ganho de desempenho desejado. É difícil explicar como e porquê isso aconteceu; provavelmente a linha de produção da AMD considerou que esse modelo não atingiria a performance de uma Fury X e a encaminhou para a linha Fury.

Confira a análise da placa de vídeo AMD Radeon R9 Fury X [vídeo]

Porém, além da disponibilidade de desbloqueio da placa, o que deve ter contribuído para a placa conseguir alcançar o nível de desempenho da top de linha da AMD é o sistema de resfriamento DirectCU III da ASUS. O que você acha da ideia de comprar uma Radeon R9 Fury Strix e descobrir que ela pode funcionar com o nível de uma Fury X?

R9 Fury tem poder de fogo desbloqueado para funcionar como uma R9 Fury X. Comente no Fórum do TecMundo!

Cupons de desconto TecMundo: