Plataforma G-series, também conhecida como eBrazos

Fonte da imagem: divulgação/AMD

A plataforma G-series, que ganhou o codinome eBrazos, da AMD foi anunciada esta semana. A nova série da AMD é composta por processadores que utilizam a tecnologia AMD Fusion, ou seja, por APUs. Ela é destinada ao mercado de netbooks, terminais de autoatendimento, sistemas eletrônicos em quiosques e outras máquinas que necessitem de baixo consumo de energia e desempenho intermediário.

A nova APU da AMD é considerada como uma excelente opção para estes dispositivos, pois além de fornecer poder de processamento de sobra, ela chega para os fabricantes com baixos custos — o que deve garantir um espaço reservado para a AMD neste ramo de processadores.

Tecnologia AMD Fusion

Fonte da imagem: divulgação/AMD

Segundo divulgação da AMD, o modelo mais forte da série eBrazos virá equipado com dois núcleos “Bobcat”, aliados a um processador gráfico que tem suporte para o DirectX 11. O Bobcat é um chip robusto que para algumas situações não deve ser tão compensador quanto o Intel Atom, devido ao consumo de energia.

Todavia, a AMD visa fornecer processadores eBrazos para produtos onde a economia de energia não é um fator crucial e aí a fabricante pode levar grande vantagem, pois sua nova APU tem desempenho superior aos atuais modelos da série Intel Atom. E se a AMD conseguir manter os custos de fabricação dos eBrazos abaixo dos do Atom, pode ser que novas empresas tenham interesse no produto.

O processador gráfico dos eBrazos vem com um decodificador que possibilita acelerar através do hardware o processamento de vídeos com os codecs H.264, VC1 e DivX/Xvid. Vale lembrar ainda que a GPU oferece até duas saídas de vídeo, que podem ser HDMI, DVI ou DisplayPort.

Enquanto alguns pensam que a AMD não tem chance neste ramo, a fabricante já mostrou que seu produto é muito útil e deve ter grande adoção por parte de muitas empresas. Prova disso é a presença de um processador da plataforma G-series no Microsoft Surface, produto exibido durante a CES.

Microsoft Surface

Fonte da imagem: divulgação/Microsoft

E considerando esta “adoção”, que indica a alta capacidade de processamento das novas CPUs da AMD, pode-se dizer que a fabricante tem grandes expectativas com diversas empresas, incluindo a Fujitsu, Wyse e outras que já demonstraram interesse.

Os modelos da plataforma G-series serão disponibilizados em versões com 9W e 18W (ambos com a GPU ativada), sendo que existe a possibilidade de desativar o processador gráfico e obter uma CPU com consumo de 5W. Alguns sites e blogs vêm arriscando palpites de que até mesmo a Apple poderá adotar os novos processadores AMD no MacBook Air e no Mac mini.

Cupons de desconto TecMundo: