Ano passado a Amazon deu início a investidas pesadas no ramo de desenvolvimento de games: a companhia adquiriu a Double Helix, responsável pelo Killer Instinct do Xbox One, e fundou o Amazon Games Studio. Os desenvolvedores do estúdio criado pela empresa fazem jogos originais para os dispositivos licenciados, como o Fire Phone — que, inclusive, causou prejuízo de US$ 170 milhões (quase R$ 530 milhões) para a corporação.

Famosa por ser uma gigante do varejo, a Amazon não anunciou publicamente seus planos para 2015, mas parece querer estender seus tentáculos para além dos títulos mobile. O time criativo do laboratório de jogos conta com Kim Swift, principal designer de Portal, e Clint Hocking, designer de Far Cry 2 — ambos também contratados em 2014.

Segundo apuração feita pelo Kotaku, a CryEngine pode estar sendo explorada pela equipe por trás do estúdio de games. A Crytek, que é criadora e responsável tanto pela ferramenta quanto por jogos como Crysis e Ryse, pode ter entrado em acordo com a Amazon para solucionar problemas financeiros e envolvido o motor gráfico no meio do acordo.

Fontes anônimas confirmam que a companhia auxiliou a Crytek com um valor entre US$ 50 milhões (R$ 50 milhões) ou US$ 70 milhões (R$217 milhões) — uma ajuda vista como substancial para reverter o cenário anterior, no qual o pagamento de muitos funcionários acabou ficando atrasado.

A negociação não deixa claro como a CryEngine será utilizada pela Amazon. O sistema funciona como um set de funções que auxiliam no desenvolvimento de games. Homefront, Sonic Boom, State of Decay, Far Cry e o recente Evolve são alguns dos que licenciaram a criação da Crytek.

As especulações seguem para duas linhas: a Amazon pode ter acordado com uma espécie regalia na hora de criar games que utilizam o sistema ou como uma fonte sugeriu, de acordo com a matéria original, a CryEngine será utilizada como base para que a criação do próprio motor gráfico da companhia.

Via BJ

Cupons de desconto TecMundo: