A Alcatel é uma das marcas que mais vendem no segmento de entrada, graças a sua estratégia que envolve aparelhos com bons recursos por preços camaradas. Neste ano, ela apresentou o A3 XL para quem busca uma experiência incrementada com o Android.

O modelo em questão é fabricado no Brasil e se destaca entre os aparelhos básicos por sua tela gigante, que garante boas vantagens para curtir jogos e vídeos. Além desse diferencial, ele tem um hardware competente, com boa quantidade de memória RAM, o que permite rodar múltiplos apps de forma satisfatória.

Sem delongas, podemos também destacar a presença do sistema operacional Android Nougat, que é a versão mais atualizada do produto. E, assim como faz com os demais celulares de seu portfólio, a Alcatel promete um preço camarada para esse gigante. Será que o conjunto de qualidades é capaz de entregar uma usabilidade agradável? Vamos conferir!

Especificações

Design caprichado

É bastante comum associar o conceito de “celular de entrada” a características visuais pouco expressivas. Na contramão de outras marcas que optam por design mais simples, a Alcatel investiu na concepção do seu mais novo produto.

O Alcatel A3 XL tem um design quase luxuoso, que se destaca pela simplicidade e pela elegância apresentada nos mínimos detalhes. Trata-se de um projeto bem resolvido, com identidade própria, que deve sobressair entre os demais modelos do segmento.

A frente chama atenção não só pela telona grande, mas também pelo tom minimalista. A aposta na cor branca faz bastante sentido para o conceito “premium” que a marca queria entregar em seu aparelho. Nessa região, só podemos ver os botões capacitivos e itens acima do display, como a câmera e o flash.

A parte traseira do Alcatel A3 XL se destaca pelo tom dourado, que confere beleza, mas não fica gritante, graças também à textura com linhas na diagonal. Aqui, ainda temos o logotipo da Alcatel em prata, gravado de forma discreta. O visual da tampa fica completo com a câmera e o flash alinhados ao centro.

Nas laterais, temos espaço para instalação dos chips, cartão micro SD e botões de volume e energia. É claro que a telona desse celular resulta em dimensões avantajadas, mas, apesar de grande, ele é bem leve. A pegada é confortável, e a qualidade de construção parece muito boa. No geral, só vemos acertos no design do Alcatel A3 XL.

Tela gigante com resolução HD

Quem vê o Alcatel A3 XL pela primeira vez não consegue notar outra coisa além da tela enorme. Esse é justamente o grande destaque do produto, que entrega ótima experiência para curtir vídeos, jogos e mesmo para navegação no sistema. Considerando a presença do sistema Android 7.0, essa telona também se mostra vantajosa para rodar dois apps lado a lado.

A tela do Alcatel A3 XL tem tecnologia IPS FL, que é similar à de modelos mais robustos, como o Moto G5. A reprodução de imagens é bastante satisfatória, e somente a resolução do visor pode ser um contra para quem é mais exigente. A resolução HD limita um pouco a nitidez, ainda mais em uma tela tão grande, mas o resultado ainda é impressionante.

Uma vantagem nesse aparelho é a presença do recurso MiraVision, que roda diretamente no chipset da MediaTek para garantir um ajuste fino nas configurações de brilho, contraste e saturação do display. A MiraVision tem perfis específicos de cores, os quais dão um reforço significativo no colorido e, assim, entregam uma experiência mais agradável com o smartphone.

Bom, sobre a display, minha experiência de uso diário com um modelo mais robusto está muito acima do que a obtida com o Alcatel A3 XL. É um choque sair de um modelo Quad HD e passar para um HD, ainda mais quando a qualidade é comprometida por conta da tela enorme. Apesar disso, eu acredito que essa limitação não seja um problema para quem pensa apenas em usar apps básicos.

As configurações adicionais do aparelho para regular tamanhos de fontes e ícones são bem-vindas nesse caso, já que podem criar interfaces diferenciadas baseadas no gosto do usuário. Para jogos, eu senti que a resolução é um grande problema (ainda mais com as limitações do chip gráfico, sobre o qual comentarei logo abaixo), mas é preciso lembrar que esse aparelho é um modelo de entrada, então você já deve saber que ele não é o mais robusto para games.

Desempenho na medida

No interior do Alcatel A3 XL, nós encontramos o chipset MediaTek MT6735. Esse é o modelo indicado pelos apps CPU-Z e Hardware Info, o que vai contra a informação, divulgada por muitos sites, de que esse aparelho teria o MediaTek MT8735B.

A confusão quanto ao chipset se deve ao fato de que o modelo para outros mercados tem configuração diferenciada. O celular comercializado em alguns locais usa o MediaTek MT8735B (que tem CPU com clock de 1,1 GHz, enquanto a CPU do MT6735 pode chegar a 1,25 GHz) e metade da memória RAM do que temos na versão brasileira. Esse aparelho para outras regiões, porém, vem com leitor de digitais.

Bom, sobre o chipset MediaTek MT6735, podemos ressaltar que este é um componente já utilizado por outras marcas famosas e que tem algum tempo de mercado (já que ele é de 2005), mas isso não quer dizer que não seja adequado para entregar boa performance neste modelo.

É claro que, em um mercado em que vários smartphones já apresentam chips mais robustos, ver um dispositivo intermediário pode preocupar alguns usuários, mas não esperávamos nada além disso para um celular desse nível. Inclusive, vale antecipar que esse MediaTek tem muito poder de fogo e pode garantir uma boa experiência com o Android.

A unidade central de processamento desse chipset é um modelo quad-core que opera com clock de 1,25 GHz — bem próximo do limite de 1,3 GHz. Análises com base apenas em números não são suficientes, por isso sempre rodamos benchmarks para conferir o real poder dos componentes.

Nos benchmarks, o Alcatel A3 XL fica bem abaixo de intermediários como o Moto G5, porém isso não surpreende ninguém, já que ele não concorre com produtos que estão acima de sua categoria. Agora, quando comparado com ASUS Live ou o Multilaser MS60, esse modelo apresenta um desempenho muito próximo.

Na prática, os números pouco expressivos certamente não representam um problema. Trata-se de um processador bem adequado para apps básicos e que até dá conta de rodar dois apps ao mesmo tempo com o novo recurso do Android Nougat.

Apesar de ser um celular mais básico, o Alcatel A3 XL vem com 2 GB de memória RAM. Essa quantidade é mais do que suficiente para um modelo desse nível, sendo possível abrir múltiplos apps sem ter que fechar outras coisas em segundo plano. Essa característica também é interessante para execução de jogos mais pesados, que podem exigir mais memória.

Para armazenamento, a Alcatel incluiu 16 GB de memória, porém é importante ressaltar que aproximadamente 5 GB são reservados para o sistema, de modo que você poderá usar apenas 11 GB. Ainda é mais do que suficiente para instalar dezenas de apps e salvar muitas fotos, mas, se você guarda muitas músicas e jogos, é possível usar um cartão micro SD de até 32 GB.

O chip de vídeo desse celular é o Mali-T720, um modelo modesto, mas que tem potência suficiente para jogos como Asphalt Xtreme, Marvel Future Fight e Esquadrão Suicida. Em alguns casos, o componente não aguenta os gráficos na qualidade média, então é bom realizar alguns ajustes para obter uma performance mais constante e agradável.

Por outro lado, se você gosta de games mais simples, como Crazy Taxi ou Maze Runner, pode ficar tranquilo, pois esse aparelho vai rodar tudo com folga. Joguinhos mais casuais, tipo Aliens Pinball ou Candy Crush, não representam desafio para essa configuração de hardware.

Particularmente, eu estou habituado a um celular premium, equipado com Snapdragon 810, então é claro que um celular como o Alcatel A3 XL mostra uma diferença gritante em desempenho. Todavia, como eu já testei inúmeros aparelhos intermediários e de entrada, tenho bons parâmetros de referência para avaliar esse celular.

Obviamente, o chipset da MediaTek aqui não faz milagres, sendo que em alguns casos, talvez por falta de otimização de software, o processador demora para alternar entre apps ou para abrir novos programas. O mesmo vale para a rolagem rápida no navegador ou na galeria de fotos, quando o chip pode levar alguns milésimos a mais para apresentar os resultados.

Apesar de alguns engasgos aqui e ali, o Alcatel A3 XL conseguiu bons resultados no todo. Considerando a categoria do produto, a performance está dentro da normalidade. Minha sugestão para quem optar por esse smartphone é se habituar a fechar jogos e apps pesados que ficam em segundo plano (até desativar as notificações pode ser uma boa ideia).

Benchmarks – Comparativos de performance

Como de costume, nós realizamos uma série de benchmarks para averiguar o desempenho do hardware dos smartphones. Abaixo, nós comentamos sobre três softwares que usamos como principais referenciais: 3D Mark, AnTuTu Benchmark 6 e Vellamo Mobile Benchmark.

3DMark

Considerado um dos principais aplicativos de benchmark para chips gráficos (tanto em computadores quanto em celulares), o 3D Mark verifica as capacidades para renderização de texturas, polígonos, efeitos e filtros que são comumente utilizados em jogos. Para evitar distorções nos resultados, nós rodamos o Ice Storm Unlimited, que analisa a capacidade do chip gráfico independente da resolução.

AnTuTu

É muito complicado averiguar a performance geral de um celular apenas com base na experiência de uso, uma vez que as configurações de hardware atuais entregam resultados similares. Assim, a utilização de um aplicativo especializado é bastante útil. Nós costumamos usar o AnTuTu para esse tipo de tarefa, uma vez que ele testa interface, CPU, GPU, armazenamento e memória RAM.

Vellamo

Em tempos em que navegação na web se tornou a principal atividade de muitos usuários, um benchmark para averiguar as capacidades dos celulares para tal funcionalidade é de suma importância. Para tanto, nós usamos o app Vellamo Mobile Benchmark, que faz dois testes: HTML5 e Metal. O primeiro avalia o desempenho do navegador; o segundo verifica a performance da CPU para gráficos na web.

Interface e apps

Conforme já comentamos, o Alcatel A3 XL vem com o Android Nougat e, surpreendentemente, a fabricante não fez muitas alterações no sistema. A personalização do software é bastante sutil, de modo que a interface ainda lembra muito a da versão original da Google.

Com leves modificações, que incluem apenas alterações de ícones, ajustes em fontes e outros pequenos retoques, o sistema desse celular se mostra bem leve. As mudanças no visual o deixam mais simples de usar, ainda mais com recursos especiais que facilitam a vida.

Esse celular tem funções como bloqueio de tela com dois cliques, personalização da Home Screen (com ajuste da grade, da fonte e dos ícones), recurso de captura avançada das imagens na tela (que permite rolar a tela para salvar páginas da web inteiras), wallpapers com efeito paralaxe (como um efeito tridimensional) e mais personalizações que facilitam o uso.

O Alcatel A3 XL vem com alguns apps de fábrica, que são, em sua maioria, bem úteis. Há programas próprios da fabricante para reprodução de músicas, exibição de imagens e outros softwares que vêm a calhar no dia a dia. Além disso, a maioria dos aplicativos da Google acompanha o produto, o que é um ponto a favor.

Quanto aos apps de fábrica, vale mencionar que você tem a opção de desativar a maioria deles. Em nossos testes, só não conseguimos desabilitar o app de Proteção do Sistema e o programa de Atualizações. O software de proteção é executado em segundo plano, mas ele não afeta muito no desempenho.

Eu gostei bastante das facilidades que a Alcatel embutiu em seu celular. Meu aparelho pessoal vem com o Android puro, o que significa que ele só tem os truques básicos. Assim, há uma grande mudança no dia a dia ao ter vários recursos adicionais em uma interface muito similar à do sistema original da Google.

Câmeras

Na hora das fotos, o Alcatel A3 XL até que quebra um galho. A câmera principal tem sensor de 8 MP (mas o chipset da MediaTek poderia gerar imagens de até 13 MP), suficiente para produzir imagens de boa qualidade, mas esse certamente não é um aparelho para quem adora fazer fotos, e já vamos explicar os motivos para tal afirmação.

A resolução limitada deve ser levada em conta se você pretende fazer fotos com detalhes, já que as dimensões menores podem resultar em fotos pouco nítidas, o que é um problema se você pretende imprimir suas fotos. Agora, para registros básicos e mesmo para quem sabe fazer bom uso da ferramenta, a câmera até que tem bons resultados.

Sobre os parâmetros de captura, a câmera principal tem abertura de f/2.0, distância focal de 3,5 mm, foco automático, estabilizador de imagem eletrônico (EIS) e função HDR. O componente traseiro tem um flash simples, que ajuda em ambientes mais escuros. Os vídeos podem ser gravados em 720p com taxa fixada em 30 frames por segundo.

O aplicativo da câmera tem opções simplificadas, sendo possível alternar entre os modos de vídeo, panorama, foto e colagem instantânea (para junção de duas imagens lado a lado). Nas configurações, é possível ativar o estabilizador e alterar o tamanho da foto. No modo de foto automática, há um regulador de luz, que permite alguma configuração das imagens.

Além de todas essas funcionalidades, a câmera vem com todos os parâmetros (ISO, velocidade do obturador, exposição, ajuste de brancos e foco). Eles são de fácil regulagem, mas mesmo um bom fotógrafo pode ter dificuldades em conseguir resultados incríveis, já que o sensor capta muito ruído em ambientes internos.

A câmera frontal tem sensor de 5 megapixels, o que garante qualidade razoável para as selfies. Não há tantos ajustes nesse modo, mas a Alcatel incluiu uma opção de “embelezamento” chamado Realce. Essa opção talvez produza resultados legais para alguns, mas recomendamos desativá-la, já que as fotos geralmente saem tremidas com essa função.

Minha experiência com a câmera do Alcatel A3 XL não foi tão boa. As limitações do produto impedem que o usuário consiga resultados fantásticos com poucos cliques. Mesmo com o conhecimento das ferramentas, é bastante trabalhoso obter fotos incríveis e, você vai concordar comigo, ninguém quer perder muito tempo para usar a câmera no celular.

Claro, devido ao foco do produto, fica óbvio que a fabricante priorizou outros componentes e deixou a câmera um pouco de lado. Se você não é exigente e quer apenas fazer registros básicos, a câmera dá conta do recado e até pode ter truques legais, mas eu recomendo que você tenha paciência para aprender a usar todas as opções se quiser obter resultados melhores.

Bateria

Celulares com telas enormes dificilmente trazem baterias que conseguem dar conta de alimentar o hardware por longos períodos. Felizmente, o Alcatel A3 XL vai na contramão dessa probabilidade e apresenta um componente muito competente.

A capacidade da bateria aqui é de 3.000 mAh, o que é bem regular para smartphones atuais. Todavia, a otimização que a fabricante fez no software e no hardware permitiu bons resultados para uso intenso.

Por padrão, nós realizamos um teste controlado e padronizado para conferir a autonomia da bateria. Nesse processo, executamos um vídeo de 1 hora no YouTube, com o WiFi ligado, o brilho da tela regulado em 50% e o som ativado. Ao fim do teste, anotamos a porcentagem de bateria restante e, dessa forma, fazemos um cálculo aproximado da duração de energia até que ela se esgote para tal tarefa.

O teste com o Alcatel A3 XL foi surpreendente: a bateria tem autonomia total de 7 horas e 41 minutos para reprodução de vídeo na internet. Se você é do tipo que adora jogar no celular, pode esperar uma autonomia que chega a quase 6 horas (algo que pode ser prolongado se o brilho da tela for reduzido). O carregador do A3 XL não tem tecnologias de carregamento rápido; a carga completa acontece em aproximadamente 4 horas.

Para uso moderado — navegação na web, conversas em mensageiros, músicas no Spotify e ocasionais partidas em joguinhos —, a bateria pode durar facilmente 24 horas. Novamente, esse tempo pode aumentar se você regular a tela, usar WiFi e gerenciar os apps que consomem muita energia. Além disso, o Alcatel A3 XL tem recursos para economizar energia, como programação para desligar e ligar em horário específico.

Extras

Se você é do tipo que vive no mundo da música e ainda prefere a boa e velha rádio FM, certamente o Alcatel A3 XL pode ter alguns benefícios para o seu dia a dia.

O aparelho possui componente para recepção de rádio, sendo necessário apenas conectar os fones de ouvido (que já vêm com o celular) para começar a usar o app próprio para tal função.

Sobre a sonoridade, o alto-falante do A3 XL fica na parte traseira, o que é um problema para quem só quer curtir música, já que o som fica abafado sobre a mesa.

A melhor solução para conseguir uma boa qualidade de áudio é deixar a tela virada para baixo, porém isso pode causar riscos no display. Ainda bem que a Alcatel envia, com o produto, uma película.

A qualidade do som aqui é até razoável, com um resultado bem agradável mesmo em ambientes um pouco barulhentos. A Alcatel utilizou a tecnologia da Arkamys para melhorar os componentes sonoros, o que garantiu uma boa equalização. O nível de volume é elevado e permite curtir as músicas tranquilamente sem o uso de caixinhas de som.

Vale a pena?

No fim das contas, o Alcatel A3 XL não é tão “premium” como a fabricante promete. Ele não é um celular básico, mas também não chega a ser um intermediário. O que devemos considerar aqui é que ele tem uma configuração equilibrada, bom desempenho no geral e alguns truques que valem a pena.

O design é bem moderno e deve agradar os que preferem um aparelho bonito. A interface é muito similar à que temos no Android original, sendo que os pequenos ajustes vêm a calhar. Assim, no todo, a experiência com o produto é agradável e bastante satisfatória.

Apesar do hardware limitado, o desempenho é bom para tarefas básicas, até porque há 2 GB de memória RAM, que ajudam muito, e até é possível executar a maioria dos games, mas com algum sacrifício da qualidade visual em determinados casos.

A tela de 6 polegadas não tem tanta nitidez, já que a resolução é HD, mas o colorido é bom. As câmeras são razoáveis e a bateria é ótima, o que forma um combo muito interessante! O Alcatel A3 XL tem valor oficial sugerido em 850 reais, o que certamente está fora de cogitação para uma recomendação, já que por 150 reais a mais é possível comprar o Moto G5.

Todavia, nós encontramos promoções que variam de 750 reais a 599 reais (para pagamento em boleto). No preço mínimo, essa é uma ótima aquisição, já que você obtém um aparelho de qualidade aceitável por uma pechincha. Agora, se você vai pegar no parcelamento, é provável que pague mais que 700 reais, o que também não é mau negócio.

Ainda é importante pensar que estamos falando dos preços de lançamento do Alcatel A3 XL, e que os valores devem despencar rapidamente. Não é de se duvidar que esse aparelho esteja ainda mais acessível em alguns meses. Cabe a você analisar se ele tem os recursos de que precisa e se o preço está dentro do que você pode gastar. Para nós, a Alcatel fez um trabalho legal nesse modelo, então recomendamos o produto!

Cupons de desconto TecMundo: