Depois de uma breve apresentação durante uma conferência da NVIDIA, a Adobe mostrou mais detalhes sobre fotografia computacional usando sua tecnologia de lentes plenóticas – um método de fotografar que permite a alteração do foco da imagem depois de a foto já ter sido tirada!

O nome pode parecer estranho, mas quando você vê a etimologia tudo faz sentido. “Plenótico” é uma mistura das palavras “plenus” do latim e “optikos” do grego, isto é, algo parecido com “cheio de visão”, em tradução livre. Em outras palavras, uma ótima palavra para explicar um método com o qual você tem completo controle sobre o foco da foto.

Apesar de esta tecnologia ainda estar longe de ser disponibilizada para o público, é interessante vê-la como parte do futuro da fotografia de modo geral: por meio de um conjunto de pequenas lentes e um software de renderização, você pode escolher onde deseja deixar o foco da foto e, além disso, a tecnologia permite a criação de imagens 3D no processo.

De modo mais técnico, no lugar de a luz passar por uma só lente e atingir apenas um ponto do sensor da câmera, ao passar por diversas ela atinge vários pontos nele – dessa forma são geradas várias perspectivas para a mesma imagem captada. Em teoria, o controle de foco se torna infinito com lentes plenóticas, permitindo que você escolha quais partes deseja deixar no foco e fora dele.

Por exemplo, se uma pessoa está fora de foco e o cenário está bem definido, é possível inverter isso, deixando a pessoa em foco e o cenário desfocado. Há um total de aproximadamente 25 possibilidades de variação de foco, basta mover um cursor no programa para encontrar a opção.

Cupons de desconto TecMundo: