A Acer é uma das maiores fabricantes de notebooks do mundo, mas, até pouco tempo, a empresa não atuava no mercado de dispositivos para jogos. Com a expansão desse segmento, a marca criou uma nova linha de produtos que engloba tanto notebooks quanto monitores dedicados para os gamers.

Paralelamente a tal movimento, a Acer demonstra interesse no mercado brasileiro, o que a impulsionou a trazer alguns aparelhos da série Predator para o nosso país. Nós recebemos o Predator 15 para realizar um review completo, o que nos permite conferir todas as propostas da marca.

Esse notebook vem com uma configuração impressionante, que inclui um processador de alto desempenho, placa de vídeo robusta, muita memória RAM e até drive de estado sólido. Além disso, como você já deve imaginar, seguindo a tendência das concorrentes, a marca aposta em um estilo visual ousado. Vamos conferir os detalhes do produto!

Especificações

Design feroz!

Como a Acer é uma marca relativamente nova no ramo de notebooks gamers aqui no Brasil, nós não sabíamos exatamente o que esperar do produto da fabricante. Ainda que imagens na internet pudessem dar uma noção, a impressão com o aparelho em mãos é completamente diferente.

Para ser bem sincero, ficamos bastante surpresos com o conceito de design do Predator 15. A Acer apostou em uma carcaça que foge bastante daquilo que vemos nos concorrentes. O aparelho tem traços marcantes, que entregam solidez e resistência. Com uma construção baseada em diagonais, a marca conseguiu alinhar a identidade do produto à da série.

Na parte de fora, a tampa chama a atenção com retas que trazem iluminação na cor vermelha e o logotipo ousado que combina com o ícone gráfico. A parte frontal exibe duas áreas na mesma cor, as quais alojam os alto-falantes e criam uma harmonia bastante interessante.

Ao abrirmos o notebook, nos deparamos com uma composição bastante interessante. Ele tem espaço considerável para todas as teclas, área para o jogador repousar os punhos, touchpad de tamanho avantajado e uma harmonia agradável entre tela e bordas. Obviamente, o teclado se destaca com o sistema de retroiluminação, que pode ser todo configurado no software da Acer.

Um destaque interessante na parte interna são alguns dos botões e teclas, que trazem alguma decoração na cor vermelha. O botão de ligar também é compatível com o todo. Toda essa parte visual parece remeter ao personagem Predador, daí o nome da série.

Tela de ótima qualidade

É claro que um notebook gamer não se faz apenas através de incrementos na parte de design: a Acer também caprichou no display para garantir excelentes resultados para os jogadores. Como o próprio nome sugere, o Acer Predator 15 tem tela de 15 polegadas, tamanho bem razoável para curtir os jogos com ótima nitidez.

Com resolução Full HD, o display desse modelo entrega excelentes resultados em qualquer situação. Não é um exagero como já vimos em outros produtos concorrentes, mas a limitação nesse quesito também pode ser benéfica, uma vez que ela consegue garantir melhores resultados na performance dos jogos, já que resoluções menores aliviam a carga de processamento para o chip gráfico.

Fora essa questão da resolução, a Acer também fez um ótimo trabalho na qualidade geral da tela. O colorido é muito bom, com contraste bem ajustado e cores bem fiéis. O brilho atende bem para ambientes claros e escuros, sendo perfeitamente possível reduzir o nível de luminosidade dos LEDs e ainda manter boa visualização do conteúdo em várias situação.

É importante ressaltar que não vimos distorção do conteúdo mesmo nas posições mais extremas. Mesmo que o display esteja inclinado, a tela mantém excelente reprodução de cores. A taxa de atualização de 60 hertz não é exatamente uma limitação, uma vez que é suficiente para a maioria das situações, mas sempre esperamos alguma melhoria nesse sentido – pena que não foi desta vez.

Hardware robusto, mas GPU antiga

Embaixo da carcaça, a Acer apostou no famoso processador Intel Core i7-6700HQ. Esse modelo é o mesmo que outras fabricantes utilizam na maioria de seus produtos mais potentes, com exceção de algumas marcas que já apostam em chips ainda mais poderosos.

Com quatro núcleos configurados para operar com clock de 2,6 GHz em modo padrão, a fabricante garante alto nível de performance para qualquer atividade. Vale notar ainda que este modelo é preparado para subir a frequência para até 3,5 GHz, o que se mostra bastante útil em jogos mais modernos e tarefas pesadas que exigem alta velocidade de processamento.

Pensando justamente em entregar uma experiência mais satisfatória aos jogadores, a Acer disponibiliza duas versões do Predator 15, sendo que ambas trazem unidade de armazenamento de estado sólido. O modelo que testamos trazia um SSD de 128 GB, que tem espaço suficiente para guardar o sistema e alguns jogos que são utilizados com maior frequência.

Obviamente, devido ao espaço limitado para armazenamento, a fabricante apostou em uma combinação que inclui também um HD de 1 TB para guardar os demais jogos e arquivos. Esse componente é um modelo bastante comum, então os jogos arquivados nele demoram mais para iniciar, mas nada que comprometa muito o desempenho na hora de rodar os games.

Na parte de memória RAM, a Acer foi bastante inteligente ao instalar 16 GB do tipo DDR4. O padrão DDR4 garante alta velocidade no carregamento dos arquivos e ainda economiza energia. A quantidade é bastante satisfatória para todos os jogos e certamente é mais do que suficiente para qualquer aplicativo que você vai rodar no dia a dia.

Agora, na hora de botar para quebrar, quem entra em ação é o chip gráfico da NVIDIA. Essa máquina vem com o GeForce GTX 980M que traz 8 GB de memória RAM do tipo GDDR5. Infelizmente, a Acer ainda não atualizou os notebooks aqui no Brasil para a série 10, mas o componente deste já é suficiente para rodar tranquilo os games com ótima qualidade.

Testes de desempenho

Blu-Ray, peso e temperatura

O Acer Predator 15 impressiona em vários sentidos, mas ficamos um bocado intrigados com a presença de um gravador de Blu-Ray. Ainda que alguma parcela do público possa ver alguma serventia nesse componente, acreditamos que a presença de uma unidade desse tipo não tenha tanta utilidade prática para os gamers, uma vez que a maioria já utiliza plataformas digitais para obter seus jogos.

Além disso, o drive de Blu-Ray causa um outro transtorno: ele aumenta o peso do produto. O Predator 15 pesa mais de 3,5 kg, o que já é ruim para quem vai ficar levando a máquina na mochila. Tá bom que laptops de outras marcas também não são leves, mas isso ainda incomoda bastante. Seria uma solução bastante simples remover a unidade de BD ou colocar como opcional.

Além dessas questões, ainda tem o problema da temperatura. Na hora de rodar games, a máquina chega fácil a quase 70 graus. As saídas de ar sopram ventos de quase 67 graus e o teclado esquenta um bocado: quase 45 graus. Não são as piores temperaturas que já vimos, mas incomoda um pouquinho sim.

Bateria razoável e som potente

Em toda análise de notebooks para jogos, nós sempre verificamos que as fabricantes não conseguem melhorar a questão da autonomia de bateria, o que se mostra um verdadeiro problema para o jogador que quer levar sua plataforma de jogos na mochila. Felizmente, o Acer Predator 15 não decepciona tanto quanto outros produtos que já avaliamos.

No teste do Powermark, esse modelo conseguiu rodar o conteúdo por 2 horas e 12 minutos. O modo de verificação utilizado foi o Entretenimento, que avalia a execução de gráficos tridimensionais e vídeos. Para tarefas do cotidiano, a gente conseguiu quase a mesma marca, com uma autonomia para jogos de  aproximadamente 2 horas. Vale notar que os testes foram executados com a seguinte configuração:

  • Nível de brilho da tela em 50%
  • WiFi ligado
  • Bluetooth desligado
  • Modo de economia desligado
  • Retroiluminação do teclado ligada

Obviamente, com algumas medidas simples seria possível melhorar esse tempo, mas o problema real está no hardware, que consome muita energia. Com os coolers funcionando constantemente para refrigerar o chip gráfico e os processadores rodando a todo vapor, fica complicado a bateria dar conta do recado. Felizmente, para tarefas do dia a dia, conseguimos um tempo de quase 4 horas.

Se por um lado a bateria não é tão surpreendente, devemos ressaltar que a Acer fez um excelente trabalho na hora de projetar o sistema de áudio. Ainda que deixe um pouco a desejar na questão dos graves, a configuração de som desse modelo é bem interessante. Esse monstro tem um subwoofer para incrementar os graves e mostra boa qualidade para músicas, jogos e filmes.

Vale a pena?

Nossos testes com o Acer Predator 15 mostram que a fabricante tem muitas ideias boas na cartola e pode ser uma campeã de vendas. Com design diferenciado, configuração robusta e ótimos resultados em nossas verificações, esse modelo pode ser a opção ideal para jogos, trabalho ou uso de softwares pesados.

Considerando a proposta do produto, no geral, o Acer Predator 15 é um ótimo notebook para os gamers, mas é claro que, assim como muitos concorrentes, ele chega para um público bem limitado, principalmente quando consideramos a realidade brasileira.

Nas principais lojas, esse modelo (com SSD de 128 GB) custa cerca de 12 mil reais, o que talvez seja bastante salgado se considerarmos que há outros notebooks similares com chip gráfico GeForce série 10 por valores similares. Sim, há várias tecnologias exclusivas da Acer, mas é complicado recomendar essa máquina por tal preço, quando há produtos que entregam melhor desempenho em jogos.

Certamente, a marca tem maiores chances de esquentar as vendas se reduzir o valor para a casa dos 9 ou 10 mil reais. De qualquer forma, tirando alguns inconvenientes (como a temperatura e o peso), esse é um ótimo notebook, que vai dar um bom suporte para os games mais recentes.

Cupons de desconto TecMundo: