Um acelerador de partículas, pela sua natureza, deve ser um equipamento com o qual muitos de nós, meros mortais, teríamos problemas por conta de sua complexidade. Porém, pior que isso é a tarefa que os engenheiros da CERN terão em breve, pois vão precisar desconectar 9 mil cabos antes que o item receba melhorias. 

De acordo com o site Motherboard, o problema está no fato de os engenheiros terem deixado cabos mais antigos no lugar enquanto faziam atualizações no equipamento – e é aí que mora o problema, pois agora esses fios estão todos no caminho, o que atrapalha a manobra supracitada e exige que todos eles sejam desconectados antes que qualquer coisa seja feita. 

Como se tudo isso ainda fosse pouco, ainda há outro detalhe que precisa ser levado em conta: o acelerador de partículas, nesse caso, funciona como uma espécie de bomba-relógio e, caso o fio errado seja puxado, o equipamento será inutilizado. 

Projeto para até 2019 

Pelas informações divulgadas, a manobra em questão está agendada para terminar em 2019. O sistema conta com três injetores, cada um com 3 mil cabos inutilizados, e um time de 60 engenheiros já começou o trabalho de identificar quais deles precisam ser desligados, recorrendo a um banco de dados e até mesmo procurando quais são eles manualmente. 

Você imaginou que um acelerador de partículas poderia ter tantos cabos assim? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: