O leilão da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) que vai distribuir mediante pagamento os lotes da nova internet 4G do Brasil teve os participantes definidos na manhã desta terça-feira (23). São quatro as empresas interessadas em fazer parte da negociação: TIM, Vivo, Claro e Algar.

Essas companhias competirão por lotes na faixa de 700 MHz, a banda utilizada por diversos outros países do mundo, incluindo os Estados Unidos, e padrão para 4G em alguns aparelhos. Certos smartphones e tablets comprados no exterior, por exemplo, podem não suportar a atual frequência brasileira, entre 2,5 GHz e 2,6 GHz. Atualmente, várias transmissões de televisão analógica ocupam a banda de 700 MHz, mas o serviço deve ser desabilitado em breve.

Ao todo, serão oferecidos três lotes regionais e três nacionais. Estes devem ficar com TIM, Vivo e Claro, que são algumas das maiores operadoras do país. Presente só em alguns municípios de Goiás, São paulo, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais, a Algar deve brigar por uma faixa regional. Os demais lotes possivelmente ficarão sem proposta.

O que aconteceu com a Oi?

Em um comunicado oficial, a Oi confirma a desistência por estar acomodada com os padrões atuais: a faixa 2,5 GHz estará apta para cobertura até 2017 e com o possível acréscimo do espectro de 1,8 GHz. Além disso, a faixa leiloada terá utilização plena somente em 2019, o que fez com que a Oi não mudasse as estratégias de investimento nesse projeto e focasse nas estruturas das redes atuais.

Outras empresas que ficaram de fora são a Nextel (que poderia brigar por um lote nacional) e a Sercomtel (dona de concessão regional).

Cupons de desconto TecMundo: