A RealD, empresa especialista em tecnologia 3D, anunciou, durante um evento anual de entretenimento 3D, a possibilidade de simplificar o uso da tecnologia 3D doméstica em 2011.

Ao invés dos óculos pesados e complexos de hoje, a empresa propõs uma tecnlogia que deixa a criação do efeito 3D a cargo de um adicional no televisor. Quem assiste precisa somente de um óculos simples, que não cria os efeito e somente os interpreta.

Em poucas palavras, isso significa levar o sistema de criação de imagens tridimensionais como acontece nas salas de cinema para as salas de estar.

Hoje, os televisores 3D devem ter um emissor infravermelho que sincroniza as imagens em óculos ativos especiais com baterias. Já o ZScreen, sistema da RealD, propõe um adicional a uma tela capaz de alternar a polarização de luz do sentido horário para o anti-horário e vice-versa.

Assim, bastam óculos simples, passivos, para curtir todos os efeitos 3D. Isso é possível porque os óculos da RealD são como pestanas: enquanto uma imagem vai para um olho, o outro olho sofre um “blecaute”. O efeito é similar aos de óculos como os do cinema.

O presidente da RealD, Josh Greer, afirmou que os licenciados da empresa (que entre outros incluem Sony, Panasonic e Samsung) poderão usar a tecnologia ZScreen em seus aparelhos.

Em resumo, isso significa óculos mais leves — pois não serão mais necessárias as baterias como acontece hoje — e mais baratos. Também significa que não mais é necessário um emissor infravermelho.

Muda-se também um padrão: o efeito 3D pode partir do televisor, e não mais dos óculos. Então, ainda há incertezas quando a aplicação por parte dos fabricantes licenciados. Segundo o site HD Guru, novidades podem aparecer durante a International Consumer Electronics Show de 2011, que acontece em janeiro nos Estados Unidos. Os modelos devem ser anunciados e espera-se que cheguem ao mercado no segundo semestre.

Cupons de desconto TecMundo: