A novela está longe do fim. Depois que a Microsoft anunciou que diversos exclusivos do Xbox One chegariam também ao PC, a exemplo de jogos de peso como Quantum Break, Gears of War 4 e Scalebound, entre outros, muitos jogadores torceram o nariz, enquanto outros defenderam a unificação das duas plataformas. Nesse contexto, Phil Spencer, o carismático chefão da divisão Xbox, tem sido um importante articulador.

Em um recente evento da Microsoft lá fora, o executivo recebeu uma enorme pergunta do Polygon, abordando, de forma clara, por que um jogador hardcore de PC iria querer comprar um Xbox One. A pergunta foi formulada exatamente assim: “Digamos que você está falando com alguém que é um jogador absoluto de PC. É um cara exclusivo do PC, ama o Steam, é doente pela plataforma. Por que eu, se for essa pessoa, vou comprar um Xbox One? Qual é a razão para eu comprar um Xbox One?”, perguntou o veículo.

De acordo com o portal, Spencer fez uma pausa de 10 segundos para responder de maneira enfática: “Você talvez não deva. E eu não estou tentando enganar você para comprar um Xbox One pelo que eu estou fazendo. Fui perguntado por alguém: ‘Você fez Forza 6: Apex como uma forma de mexer com os jogadores de PC sobre o quão bom Forza é para que eles comprem um Xbox One?’. Não. Não é esse o plano. Eles talvez não devam. E eu quero que fique tudo bem”, explicou o executivo.

O fato de a Microsoft ter uma presença nos dois lugares [Xbox One e PC] vai facilitar sua vida

Apesar dessa relativa discrepância entre o jogador de PC e o de console, Spencer opina que ainda há muitas razões para os jogadores de PC quererem comprar um Xbox One – sobretudo por causa da experiência que um console oferece.

“Acho que existe algo muito único em jogar games de console na minha televisão. 3 metros de distância com um controle nas mãos, eu e alguém sentados próximos, seja jogando um contra o outro ou junto com o outro, isso é diferente do que jogar no PC, sentando a menos de um metro enquanto se joga com teclado e mouse ou até mesmo um controle. (...) Vamos trazer a experiência mais absoluta possível de jogatina na TV, e se você decidir que quer um PC em vez de um Xbox One, o fato de a Microsoft ter presença nos dois lugares vai facilitar sua vida”, dissecou o chefão.

Xbox One e Windows 10 estão cada vez mais unidos

Para embasar sua justificativa, Spencer apontou recursos como saves e perfis compartilhados entre as duas plataformas e falou sobre o potencial que essas características têm para beneficiar o investimento da Microsoft na unificação.

“Dessa forma, se você comprar [jogos de Xbox One e PC], não vai sentir que está lidando com ilhas desconectadas que não entendem os games que você tem ou onde você está nesses jogos, ou o que suas conquistas são nesses títulos. Em vez disso, colocamos o jogador no centro de nossa plataforma e construímos nossas plataformas em torno dele”, concluiu.

O que você acha da unificação entre Xbox One e PC? Concorda com os argumentos de Phil Spencer? Discuta no Fórum do TecMundo.