(Fonte da imagem: Reprodução/Google Play)

Um dos jogos mais viciantes e motivadores de ódio já lançados para Android e iOS, Flappy Bird teve uma vida curta: depois do aviso do desenvolvedor do game, Dong Nguyen, o título foi retirado das lojas virtuais Google Play e iTunes Store neste domingo (9).

Segundo Nguyen, que explicou a situação no Twitter, ele pretende levar uma vida anônima e sossegada – algo difícil quando você é dono de um produto que gera até US$ 50 mil por dia. Ele continuará desenvolvendo jogos, mas deve passar longe de sucessos absolutos.

Há quem diga, entretanto, que tudo não passa de uma desculpa do desenvolvedor, que pode ter recebido uma notificação da Nintendo e usou a vontade de continuar anônimo para esconder o fato. Nguyen nega que a ação tenha motivos legais.

No jogo, tudo o que o jogador precisava fazer era manter uma estranha criatura batendo as asas no ar para passar entre canos verdes pelo máximo de tempo possível. Os sprites foram quase todos retirados da série Super Mario.

Malandragem já começou

(Fonte da imagem: Reprodução/eBay)

Quem não havia baixado o aplicativo ou desinstalou o jogo e agora não pode mais fazer o download tem uma opção bem curiosa para voltar a jogar: smartphones com Flappy Bird instalados já são vendidos em leilões no eBay a preços astronômicos.

Esses "itens de colecionador" usados e de diversas gerações tem a presença do jogo instalado como único atrativo. Um iPhone 5S com o game, por exemplo, sai por US$ 99,9 mil (cerca de R$ 237,8 mil).
Um iPad e um Nexus 5, ambos por US$ 700, também podem ser encontrados nos anúncios.