Celulares, tablets, notebooks, câmeras digitais, televisores e smartwatches. Produtos como esses fazem parte do portfolio da empresa sul-coreana Samsung e você já deve estar acostumado a ler notícias sobre eles todos os dias aqui no TecMundo. Entretanto, o grupo Samsung não se limita apenas aos aparelhos eletrônicos.

Por trás da empresa líder no segmento de smartphones na atualidade existem dezenas de outras subsidiárias que gerenciam negócios diversos e fabricam itens que talvez você jamais imagine que levem a marca da Samsung. Neste artigo, listamos alguns itens curiosos que fabricados pela empresa ou que, de uma forma ou de outra, gerem lucro para a dona da linha Galaxy. 

1. Helicópteros

Um dos braços da Samsung atende pelo nome de Samsung Techwin e engloba a Samsung Aerospace Industries. Esse segmento é responsável por fabricar, desde 1987, helicópteros para uso comercial e militar. Alguns modelos, como o Bell 427, foram desenvolvidos em parceria com empresas norte-americanas, japonesas e canadenses.

2. Tanques de guerra

A linha de equipamentos de defesa produzidos pela Samsung conta ainda com itens bélicos, como tanques de guerra. Os modelos K2 Black Panther, K9 Thunder e K10 ARV foram desenvolvidos tendo como clientes o governo sul-coreano. A Turquia e a Austrália também adquiriram algumas peças na década passada e, em 2013, o governo do Azerbaijão abriu negociações para a compra de modelos do K9.

3. Motores de aviões, helicópteros e navios 

Tendo como objetivo suprir necessidades do governo sul-coreano, a Samsung Techwin fabrica também turbinas para aviões, helicópteros e navios. Atuando neste segmento desde 1979, a empresa já fabricou mais de 5 mil peças, incluindo as turbinas de gás F404, F110, T700-T701K e LM500.

4. Navios

O nome Samsung também é sinônimo de navios. A empresa é a segunda maior fabricante do mundo de grandes embarcações. Entre as grandes realizações da companhia, está em construção um navio chamado Utopia, com previsão de conclusão em 2016. Uma verdadeira cidade em alto-mar, o Utopia terá 199 residências, shoppings, lojas, cassino, piscinas e casas noturnas.

5. Edifícios e construções

Por meio da Samsung C&T Corporation, a Samsung atua também em diversas partes do mundo como construtora. A Petronas Twin Towers, na Malásia, quarto prédio mais alto do mundo, e o Taipei 101, em Taiwan, terceiro maior prédio do mundo foram feitos pela empresa que é propriedade da Samsung. Outros trabalhos incluem plantas industriais na Arábia Saudita, nos Emirados Árabes, na Coreia do Sul e na Malásia.

6. Refinaria de petróleo

Precisando construir refinarias de petróleo ou estações de tratamento de água? A Samsung, por meio da Samsung Engineering, também apesenta soluções nesta área. Usinas hidroelétricas e siderúrgicas também estão entre os projetos já realizados por esse braço do grupo, que atua desde 1970 em diversas partes do mundo.

7. Roupas

A Samsung leva muito a sério o conceito de “vestir a camisa” e, por conta disso, uma de suas subsidiárias também é responsável por roupas. A Cheil Industries é uma das maiores indústrias têxtis do país. Roupas sob as grifes Bean Pole International, 10 Corso Como e 8seconds geram lucros à empresa sul-coreana.

8. Agência de publicidade e propaganda

A Samsung conta também com a Cheil Worldwide, uma agência de publicidade e propaganda que atua ainda nas áreas de relações públicas, marketing esportivo e marketing digital. A Cheil foi considerada em 2012 a décima quinta maior agência do mundo, atendendo a clientes como Samsung, New Balance, Coca-Cola, ESPN e AIG.

9. Cartão de crédito e seguro de vida

Precisando de uma grana extra para as suas compras? Há cerca de 10 anos a Samsung atua na Coreia do Sul também como operadora de cartão de crédito e de fundos de investimento. A subsidiária é operada pela Samsung Electronics, responsável pelos equipamentos eletrônicos que você conhece, em parceria com a Samsung Life Insurance, outra empresa do grupo responsável pela comercialização de apólices de seguro.

10. Filmes

Até bem pouco tempo, as grandes produções cinematográficas da Coreia do Sul tinham como assinatura uma empresa de propriedade da Samsung, por intermédio da Samsung Entertainment. A CJ Entertainment foi desmembrada da companhia recentemente, devido ao amplo monopólio no setor que a Samsung havia conquistado. Em seu portfolio, a companhia conta com mais de 50 produções.

11. Parque de diversões

Se você for à Coreia do Sul, uma das atrações de lazer que irá encontrar é o parque de diversões Everland Resort. Desde 1976 ele é propriedade da Samsung e esse segmento inclui ainda a rede de hotéis Shilla. Ou seja, se você precisar descansar e relaxar, a Samsung certamente terá uma opção para você. 

12. Futebol

No Brasil, a Samsung já foi patrocinadora de alguns clubes, como por exemplo o Corinthians. No mundo, sua parceria mais conhecida é com o inglês Chelsea. Entretanto, é na Coreia do Sul que reside o Suwon Samsung Bluewings, clube da primeira divisão da K-League, e que conta com suporte total da Samsung, sendo também uma de suas propriedades. 

Indo muito além disso...

Além das empresas que controla majoritariamente, a Samsung também atua em parceria com diversas companhias em projetos específicos – nas chamadas joint ventures – e possui parcela de capital em outras empresas, o que torna o seu alcance ainda maior. Atualmente a empresa responde por 17% do PIB da Coreia do Sul.

Algumas curiosidades:

  • É dona de 9,6% da Seagate
  • É dona de 3% da Sharp
  • É dona de 5% da Wacon
  • Atualmente existe uma parceria entre a Samsung e a Renault para a fabricação de motores automotivos. A empresa sul-coreana detém 19,9% do negócio
  • É dona de 4,19% da Rambus
  • É dona de 10% da Pantech
  • É dona de 10% da Korea Aerospace Industries
  • É dona de 7,4% da Corning, fabricante do Gorilla Glass
  • Possui um acordo com a Shell para construção de instalações voltadas para a produção de energia solar e gás natural no valor de US$ 50 bilhões
  • Possui um acordo com os Emirados Árabes para, juntamente com outras companhias, construir usinas nucleares no país, em um negócio avaliado em US$ 40 bilhões