A Microsoft Band é a primeira aposta da empresa no mercado de wearables. Em nossa análise, apesar de o design ter decepcionado um pouco, o dispositivo se mostrou bastante promissor, com sensores e recursos que funcionaram muito bem. Contudo, parece que a pulseira inteligente também tem as suas falhas.

No vídeo abaixo, Emily Gorcenski coloca a Microsoft Band em um peito de frango cru para saber qual é o batimento cardíaco do pedaço de carne. Porém, em vez de mostrar o esperado – zero, afinal, o animal está morto –, o contador indica que o frango está com 119 batimentos por minuto.

Onde está o problema?

Isso só pode ter dois significados: ou o peito de frango está fazendo alguns exercícios vigorosos ou a Microsoft Band tem problemas sérios para aferir a frequência cardíaca. No Twitter, Gorcenski rebate aqueles que questionam a realização do teste, argumentando que não havia fontes de luz artificial que poderiam alterar os resultados da medição.

Isso também pode indicar um defeito nesse modelo específico da Microsoft Band, afastando o problema da pulseira inteligente e seus sensores. Porém, fica a dúvida: será que esse produto é realmente confiável para aqueles que querem manter um registro de seus batimentos cardíacos? E as outras medições? Será que também não são tão confiáveis?

Você acha que os sensores de batimento cardíaco de pulseiras inteligentes realmente funcionam? Comente no Fórum do TecMundo