A menos que você estivesse em uma caverna nos últimos meses, deve saber que carros autônomos são guiados por um computador. Apesar de não serem pessoas no sentido literal da palavra, o National Highway Traffic Safety Administration (NHTSA, ou sistema de administração de tráfego em rodovias) vai passar a considerar a inteligência artificial como motorista. 

“Concordamos que os carros autônomos da Google não terão um ‘motorista’ no sentido tradicional de como víamos nos veículos pelos mais de cem anos que já se passaram. A próxima questão é quando e como a Gigante das Buscas vai se certificar de que ela [inteligência artificial] corresponde a um padrão desenvolvido e designado para ser aplicado a um veículo com um motorista humano”, explicou a NHTSA. 

Com isso, fica aberta a margem para que mais carros autônomos possam andar pelas ruas no futuro, já que, aparentemente, o principal requisito seria colocar as inteligências artificiais de acordo com aquilo que o órgão espera. Entretanto, fazer com que esses veículos tenham algum mecanismo para permitir a intervenção do motorista em alguns casos deve ajudá-los a circular em vidas federais e estaduais dos Estados Unidos mais rápido. 

Outro dado informado é que a NHTSA já aconselhou a Gigante das Buscas a conseguir isenções para algumas regulamentações que já existem. Para isso, a empresa deve apresentar os documentos que comprovem que os carros estão de acordo com os padrões de segurança para circular.

No caso de considerar a inteligência artificial do carro autônomo como motorista, é certo deixar o banco do motorista vazio? Comente no Fórum do TecMundo