No ano passado, nós mostramos que o Marrocos iria inaugurar uma usina gigantesca para a captação de energia solar chamada Ouarzazate. Pois a primeira etapa do sistema acaba de ser colocada em funcionamento e isso significa que já podemos ver um pouco do que será a maior usina de captação solar de todo o planeta — o projeto completo deve ser concluído até o ano de 2020.

Essa primeira etapa é batizada de Noor 1 e conta com 500 mil painéis solares em forma de crescente espalhados em 800 fileiras através do deserto — sendo que cada espelho tem 12 metros de altura e transfere o calor recebido para uma tubulação de aço cheia de uma “solução termal sintética”. Tudo isso já garante a geração de 160 megawatts — de um total de 580 megawatts previstos até 2020.

Quando todo o projeto estiver em funcionamento, os responsáveis preveem que será possível fornecer energia elétrica para mais de 1 milhão marroquinos — hoje são cerca de 650 mil pessoas sendo beneficiadas com o projeto. Também é previsto que todos os painéis vão ocupar uma área maior que a capital do Marrocos (Rabat), lembrando que eles estão instalados em uma região bem favorável à captação da luz do Sol: o deserto do Saara.

Ao final do projeto, a estimativa é de que o custo total seja de US$ 9 bilhões (cerca de R$ 35 bilhões), sendo que o investimento tenta livrar o país da dependência energética de fontes externas. Outro objetivo bem interessante está na tentativa do país de aumentar drasticamente a porcentagem de influência da energia renovável em seu território. Hoje, apenas 3% da energia é limpa no Marrocos e estima-se que isso suba para 42% nos próximos anos.

Qual forma de obtenção de energia você acha mais favorável ao planeta? Comente no Fórum do TecMundo