ETs e trapaças: tudo sobre a Área 51

Entenda o que é verdade e o que é lenda em um dos temas mais controversos da história dos Estados Unidos.
  • Visualizações134.056 visualizações
Por Wikerson Landim em 16 de Janeiro de 2012

Mistério e teorias conspiratórias. A Área 51 é assunto recorrente quando o tema em questão é a visita de extraterrestres ao planeta Terra ou mesmo as tecnologias de ponta ultrassecretas desenvolvidas pelo governo norte-americano. Apesar das muitas teorias existentes, até hoje pouquíssima coisa foi comprovada.

Além disso, lendas urbanas, montagens e textos nada isentos ajudaram a formar a opinião, na maioria das vezes errada, de muitas pessoas sobre o assunto. Mas afinal, o que existe de falso e verdadeiro por trás dos mistérios ocultos na temida base militar secreta dos Estados Unidos?

ETs e trapaças: tudo sobre a Área 51 (Fonte da imagem: Google Maps / Reprodução)

Área 51: mito ou verdade?

Localizada no deserto de Nevada, a base militar norte-americana popularmente conhecida como Área 51 “não existia” oficialmente até 1994. Porém, é sabido que ela começou a ser construída na década de 50, sendo utilizada com grande frequência entre os anos 60 e 80. Somente na década de 90 o governo dos EUA admitiu a existência do local.

Portanto, a base militar de fato existe e é um local utilizado pelo governo para colocar em prática os seus projetos mais secretos. Entretanto, as grandes dúvidas que permanecem é quais são esses projetos, qual é a infraestrutura do local e se há alguma ligação com naves especiais alienígenas ou seres extraterrestres. E é justamente aí que começam as especulações.

Por dentro da base militar

ETs e trapaças: tudo sobre a Área 51 (Fonte da imagem: Filosofia Imortal)

Algumas informações cruzadas reveladas por ex-funcionários do local dão indícios de como funciona a base militar secreta do governo. O local abrigaria um complexo subterrâneo, totalmente blindado contra ataques externos e sinais de frequência.

O sistema informatizado é composto por computadores de última geração e com um sistema operacional próprio, evitando que desconhecidos tentem invadir a rede da base. O complexo abriga uma série de veículos militares, além de grandes hangares e área de projetos onde são desenvolvidas e testadas novas aeronaves.

Projetos secretos

No final da década de 80, o físico Bob Lazar, funcionário da base, fez revelações polêmicas sobre a Área 51, sobre as quais muitas das teorias propagadas se apoiam nos dias de hoje. Ele descreveu em detalhes a infraestrutura do local, antes mesmo de o governo norte-americano confirmar a sua existência.

Cerca de dez anos depois, imagens de satélite comprovaram que as descrições de Lazar estavam corretas. Posicionamento de hangares, pistas de pouso e o relato de que a base militar de fato existia serviram para alimentar outra parte das afirmações do físico, que até hoje aguardam por confirmação.

Bob afirmou que um dos trabalhos que fazia no local era uma espécie de engenharia reversa aplicada a naves espaciais alienígenas. Traduzindo: Lazar relatou que um dos projetos secretos do local consistia em desmontar naves desconhecidas, capturadas pelos militares norte-americanos, para entender a lógica de funcionamento de sua tecnologia, tentando fazê-las funcionar novamente.

“As naves que examinei não possuíam juntas aparentes, solda, parafusos ou rebites”, declarou em entrevista a um programa de televisão de Los Angeles. As coincidências quanto à parte externa do local fizeram com que muitos acreditassem serem verdadeiras as explicações quanto ao trabalho feito no local. Verdade ou mentira, o fato é que nenhuma das hipóteses foi confirmada até hoje.

Seres extraterrestres e discos voadores

Quando falamos sobre a Área 51, é comum encontramos relatos de pessoas que afirmam ter avistados objetos voadores não identificados. Isso, de fato, pode ter acontecido, mas as aeronaves avistadas pelos observadores podem não ser extraterrestres, mas sim aviões projetados pelos próprios militares em testes no local.

Um dos casos que ilustra perfeitamente essa possibilidade é o do caça F-117 Nighthawk. Trata-se de um avião desenvolvido para não ser percebido por radares. Segundo informações extraoficiais, ele teria sido fabricado na base militar de Nevada e voado durante dez anos em fase de testes. Ou seja, é possível que muitas das pessoas que afirmaram ter visto OVNIs tenham, na verdade, avistado caças e aviões secretos desconhecidos, mas que nem por isso tenham vindo de outros planetas.

Outro fato que foi relacionado durante pelo menos uma década com a Área 51 é o conhecido “Caso Roosevelt”, um vídeo em que é mostrada a suposta autópsia de um ser extraterrestre. O vídeo teria sido descoberto por Ray Santilli e, na época, muitos afirmavam que os corpos dos alienígenas, bem como os relatórios da análise, estavam armazenados na base militar.

Dez anos depois, o próprio Santilli admitiu que tudo não havia passado de uma farsa e que os extraterrestres eram, na verdade, simples bonecos. Para os órgãos internos, o cineasta utilizou vísceras de carneiro, dando um ar de realismo às filmagens.

Uma realidade bem diferente

ETs e trapaças: tudo sobre a Área 51 (Fonte da imagem: WallpaperBase)

Apesar de todas as lendas que rondam a base militar de Nevada, há quem diga que a Área 51 não passa de um lugar comum. T. D. Barnes, engenheiro que trabalhou no local durante a Guerra Fria, faz questão de afirmar que a base foi o lugar mais chato onde ele trabalhou.

“Por 30 anos ninguém soube da existência da base e nem os nossos familiares sabiam o que fazíamos por lá, mas não há ligação alguma com OVNIs e extraterrestres”, explica. “Todos os mitos em torno do lugar se devem ao fato de ninguém de fora saber absolutamente nada sobre a Área”, completa.

Em tempos de conspirações, Illuminatis e sociedades secretas, a Área 51 perdeu um pouco do seu encanto, mas nem por isso deixou de ser associada constantemente a teorias de dominação mundial. Contudo, apesar de isso funcionar muito bem na literatura ou mesmo no cinema, ao que parece a realidade do lugar é bem menos espetacular do que se pode imaginar.



Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria?
Colabore com o autor clicando aqui!