Um estudo realizado pelo Technion, o Instituto de Tecnologia de Israel, mostrou que homens que utilizam o celular no bolso podem estar diminuindo consideravelmente a quantidade de espermatozoides que produzem. A pesquisa mostrou que deixar o smartphone perto dos testículos ou de 30 a 60 centímetros do corpo pode tornar a concepção de um filho muito mais difícil.

A descoberta levou especialistas britânicos em fertilidade a sugerirem que homens evitem carregar dispositivos móveis de comunicação em seus bolsos frontais de calças ou bermudas. O estudo chegou à conclusão de que 47% dos homens que deixam o celular no bolso durante o dia sofrem redução na qualidade ou na quantidade de espermatozoides.

Melhor não se aproximar

A equipe responsável pela pesquisa monitorou mais de 100 homens que frequentaram uma clínica de fertilidade durante o período de um ano. Eles descobriram que os problemas vão além de apenas carregar o celular no bolso: pessoas que têm o costume de usar o smartphone enquanto ele está sendo carregado e de deixá-lo durante a noite perto da cama também tiveram resultados negativos no experimento.

Segundo a professora Martha Dirnfeld, foram analisadas a quantidade e a qualidade de espermatozoides ativos em movimento. Os resultados foram bastante reduzidos nos casos de quem mantém o celular próximo à genitália. Os fatores que podem diminuir a fertilidade masculina por causa dos smartphones são o calor gerado pelo aparelho e a atividade eletromagnética do dispositivo.

Menos celular, mais saúde!

Como até o fato de deixar o celular perto de nossas camas é capaz de influenciar negativamente, os responsáveis pelo estudo pedem que os homens tentem usar o celular menos. O professor Gedis Grudzinskas sugere que homens passem a guardar o celular no bolso do peito de camisas e casacos para evitar a proximidade com os testículos.

Não é novidade que a qualidade do espermatozoide dos homens vem diminuindo drasticamente no mundo ocidental, e pesquisas sobre a influência dos celulares nesse problema não são poucas. Cerca de 40% dos problemas envolvendo dificuldades para casais conceberem têm ligação com essa natureza enfraquecida dos gametas.

Resultado contestado

Apesar dos resultados que a pesquisa da Technion apresentou, o professor Alan Pacey, da Universidade de Sheffield, não acredita que haja ligação entre a atividade eletromagnética de dispositivos celulares e a diminuição da qualidade dos espermatozoides. Segundo ele, não é o fato de carregar o smartphone no bolso que afeta a produção de gametas.

Já a professora Dirnfeld rebate: “o dr. Pacey pode não precisar se preocupar com sua fertilidade, mas isso continua sendo um problema para homens mais jovens. Se você estiver tentando ter um bebê e não conseguir por um ano, é bom começar a pensar se a culpa não é de seu smartphone”.

Você acha que carregar o celular no bolso pode afetar a fertilidade masculina? Comente no Fórum do TecMundo