É natural que todas as atenções do dia 9 de setembro estivessem voltadas aos novos celulares e ao Apple Watch, mas uma das funções inéditas do relógio, do iPhone 6 e do iPhone 6 Plus pode ser tão ou mais revolucionária que os aparelhos em si. Trata-se do Apple Pay (ortográfica e foneticamente quase igual a apple pie, que é torta de maçã em inglês), um moderno e prático sistema mobile de pagamentos.

A ideia é que você dê adeus à carteira e ao cartão de crédito físico e faça compras sem fio (via NFC), usando a internet do aparelho e autenticando a transação a partir do sensor biométrico da empresa, o Touch ID. Procurar a carteira na bolsa, achar o cartão de crédito correto, deslizá-lo pela máquina, inserir a senha e esperar a aprovação da transferência — a ideia é que tudo isso seja modificado, acelerado ou otimizado com o Apple Pay.

Cadastro

O sistema se integra automaticamente com o Passbook, o app de armazenamento de cartões de embarque, tíquetes e cupons lançado com o iOS 7. Agora, ele suporta também cartões de crédito e débito.

O primeiro passo é usar a câmera traseira do iPhone para capturar a frente do cartão ou adicionar informações como seu nome e o número do documento manualmente. Caso você use mais de um e de diferentes bancos, por exemplo, o primeiro a ser cadastrado será a forma principal de pagamento por padrão (isso pode ser modificado nas configurações).

Pagamento

Os estabelecimentos credenciados possuem uma máquina que funciona como um leitor do seu smartphone — isso sem precisar abrir algum app ou desbloquear a tela.

Tudo o que você precisa fazer é aproximar o aparelho de um terminal e deixar a antena NFC (Near Field Communitacion) fazer todo o trabalho. O seu dedo precisa estar posicionado no botão "Home", que possui o sensor biométrico para identificação. Uma pequena vibração no aparelho indica que a transação foi aprovada.

Para transações online, como em apps, um simples toque e o dedo posicionado no Touch ID confirmam a compra.

Segurança

Para não deixar os dados dos seus cartões visíveis, a Apple montou uma única conta para eles: a Device Account Number, que é codificada e armazenada não nos servidores da empresa, mas em um chip presente no iPhone que é dedicado somente a isso. Esse código é ativado sempre que um pagamento é processado, fazendo com que as informações bancárias em si nunca sejam compartilhadas com os comerciantes ou com o sensor das lojas.

A Apple afirma ainda que não armazena dados de transações: as compras mais recentes surgem na tela do Passbook "apenas para a sua conveniência".

Disponibilidade

O Apple Pay será adicionado aos novos iPhones em outubro a partir de uma atualização gratuita do iOS 8. Até agora, só os Estados Unidos estão garantidos na cobertura do serviço.

Por enquanto, seis bancos norte-americanos já fecharam parceria com o sistema (American Express, Bank of America, CapitalOne, Chase, Citi e Wells Fargo) e outros cinco estão em fase de negociação. As bandeiras aceitas são Visa, MasterCard e American Express. Já são 220 mil lojas e apps cadastrados que aceitarão o Apple Pay, incluindo Disney e várias cadeias de fast food.